CBN - A rádio que toca notícia

REAÇÃO

'Reforma' trabalhista será alvo de disputa nas ruas e nos tribunais

Para representantes de trabalhadores e especialistas em direito, em debate no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, país já provou que é possível criar empregos sem reduzir direitos

13/11/17, 21:53

A

nova legislação trabalhistas sancionada pelo governo Temer, que entrou em vigor no último sábado (11), não está consolidada, e será alvo de disputa jurídica, nos tribunais do trabalho e instâncias superiores, e política, nas ruas, nas fábricas e nas eleições do ano que vem. Essas foram as impressões compartilhadas por especialistas do direito, sindicalistas e políticos, em debate promovido pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, realizado nesta segunda-feira (13), em São Bernardo do Campo. 

As mudanças na legislação, segundo os debatedores, foram feitas sem que os trabalhadores fossem consultados, e atendem, portanto, somente aos interesses da classe patronal, que pretende enfraquecer os sindicatos durante as negociações e criar obstáculos para o acesso à Justiça do Trabalho. O debate sobre o dia seguinte à reforma trabalhista também foi acompanhado de perto pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que defende a realização de um referendo revogatório sobre essa e outras medidas do governo Temer. 

Ao contrário do discurso oficial do governo, que alega que as novas regras estimularão a criação de novas vagas de emprego, os participantes foram unânimes em dizer que o que, de fato, vai aumentar com a reforma trabalhista é a precarização das relações do trabalho e a queda dos rendimentos gerais dos salários. 

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, o efeito geral é que, se essa nova legislação não for revogada, todos os trabalhadores com o atual modelo de contratação serão demitidos, e recontratados de maneira precarizada, na forma de terceirizado, autônomo ou intermitente. 

Ele também criticou o dispositivo que consta da nova lei que considera que as negociações coletivas terão prevalência sobre a legislação, até mesmo quando retirarem direitos. Segundo Freitas, negociação sem a presença do sindicato, como legítimo representante dos trabalhadores, não pode ser considerada com uma negociação coletiva. "Não há negociação coletiva sem um sindicato forte", ressaltou. 

Vagner defendeu a união de sindicatos em macro-setores, que reúna todo um determinado seguimento de trabalhadores, para, assim, terem maior poder de negociação e menores custos de manutenção de estruturas de assistência jurídica, por exemplo. 

Fonte: JL/RBA
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
03/06/18, 18:23 | BRASILEIRÃO - Flamengo vence o Corinthians e segue na liderança do Brasileirão
03/06/18, 15:20 | OPINIÃO - FHC admite golpe contra Dilma e aponta que Temer chegou ao fim
03/06/18, 14:54 | INCIDENTE - Caminhão carregado de carne pega fogo na BR-343 entre Cocal de Telha e Campo Maior
03/06/18, 14:48 | MUNDO - Alemanha pede perdão por perseguição a homossexuais
03/06/18, 14:43 | ECONOMIA - Petroleiros dizem que gestão de Parente foi desastre para Petrobras e o país
03/06/18, 14:26 | ESPORTE - Brasil vence Croácia por 2 x 0 com gols de Neymar e Firmino
03/06/18, 13:49 | ARTIGO - Caminho que falta
03/06/18, 10:29 | ARTIGO - Financiamento eleitoral no Brasil
03/06/18, 10:25 | CRISE - Acuado, governo Temer arquiva privatização da Eletrobras
03/06/18, 07:23 | BRASILEIRÃO - Botafogo bate Vasco em São Januário e ganha a 1ª fora de casa
03/06/18, 07:15 | CORRUPÇÃO - Ex-secretário executivo do governo Temer se entrega à PF
03/06/18, 07:07 | POLÍTICA - Henrique Meirelles rejeita ‘rótulo’ de candidato do governo Temer
02/06/18, 17:30 | CRISE - Correios fazem mutirão de entregas de encomendas após greve dos caminhoneiros no PI
02/06/18, 17:28 | CRIMINALIDADE - Família é feita refém dentro de residência durante assalto em José de Freitas-PI
02/06/18, 13:45 | INVESTIGAÇÃO - PF aponta envolvimento de senadores e deputados em esquema de fraudes no Ministério do Trabalho
02/06/18, 13:31 | CRISE - Petrobras volta a elevar preço da gasolina dois dias após greve
02/06/18, 13:27 | ESPORTE - CR7 quer mais de R$ 300 milhões por ano para ficar no Real
02/06/18, 13:24 | HISTÓRIA - Ditadura abafou apuração de corrupção, revelam documentos
02/06/18, 10:41 | CRIME - PF prende policial civil suspeito de facilitar sumiço de provas no Piauí
02/06/18, 10:13 | PARLAMENTO - Governo envia ao Congresso projeto para privatizar distribuidoras da Eletrobras
02/06/18, 09:53 | INVESTIGAÇÃO - PT teme prisão ”em breve” de Dilma Rousseff
02/06/18, 09:49 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Justiça condena Cunha a mais 24 anos de prisão por fraude na Caixa
02/06/18, 09:41 | MOVIMENTO - URGENTE: Greve de caminhoneiros deve voltar na segunda-feira
02/06/18, 08:23 | CRISE - Temer acolhe indicação de Monteiro e diz que política de preços não muda
02/06/18, 08:17 | BASTIDORES - Saída de Parente pode ter se dado por interferência de Moreira Franco
02/06/18, 08:13 | POLÊMICA - 'Demissão de Parente é um golpe no golpe', diz coordenador da FUP
01/06/18, 17:43 | CRISE - Federação dos petroleiros e oposição comemoram saída de Parente; governistas evitam comentar
01/06/18, 17:29 | REPERCUSSÃO - Novo premiê espanhol disse que Lula era uma referência global
01/06/18, 17:18 | FUTEBOL - CBF apresenta numeração das camisas da seleção para a Copa 2018
01/06/18, 17:07 | JUDICIÁRIO - Gilmar Mendes manda soltar outro corrupto do Rio de Janeiro
« Anterior 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 | 301 - 330 | 331 - 360 | 361 - 390 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site