CBN - A rádio que toca notícia

POLÊMICA

Procurador denuncia nova “lei da mordaça” contra o Ministério Público

Para Dallagnol, a proposta inibe as investigações ao permitir que os investigados possam processar promotores e juízes em casos de prisões preventivas com duração de prazo “além do razoável”, sem definir qual seria tal prazo

15/05/18, 15:09

O

coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, criticou o que classificou como nova tentativa de inibir o trabalho do Ministério Público e da Justiça nas investigações de combate à corrupção e lavagem de dinheiro. As mudanças contestadas pelo procurador da República estão no projeto de lei que o Estatuto de Responsabilidade Civil, que está na pauta desta quarta-feira (16) da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

O autor da proposta, deputado Hugo Leal (PSD-RJ), e o relator, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), negam que o projeto seja uma retaliação à Lava Jato. A proposição, segundo eles, foi sugerida pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), antes do início da operação. A primeira versão do texto foi apresentada pelo então deputado Flávio Dino (PCdoB-MA), atual governador do Maranhão.
 
Na última quarta-feira o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) pediu vista – ou seja, mais tempo para analisar a proposta – na CCJ. Assim como Dallagnol, Randolfe também considera o projeto uma tentativa de intimidar os procuradores da Lava Jato. Para o procurador e o senador, o Estatuto é uma maneira disfarçada de aprovar a chamada Lei de Abuso de Autoridade com um novo nome. Essa proposta está parada na Câmara desde o ano passado e prevê punição rigorosa a promotores, procuradores e juízes, entre outras autoridades, que cometerem atos considerados abusivos, inclusive em investigações.

Em relação ao Estatuto de Responsabilidade Civil, a principal crítica de Dallagnol recai sobre o dispositivo que prevê a responsabilização do Estado no caso de prisões preventivas “além do prazo razoável”. A modificação polêmica determina indenização ao indivíduo que “ficou preso além do prazo razoável para a conclusão do processo”. Esse prazo, porém, não é especificado no projeto.

“Novo nome, mesmo objetivo: Estatuto de Responsabilidade Civil é a mais recente manobra para tentar inibir o trabalho do MP e da Justiça. O projeto apresenta um nome diferente para a conhecida Lei de Abuso de Autoridade”, escreveu o procurador Dallagnol em suas redes sociais no último sábado (12).

“Tema antigo”

Segundo Hugo Leal, o texto original não tem relação com o debate sobre abuso de autoridade ou prisão preventiva, e foi apresentado muito antes das polêmicas em torno desses dois assuntos. “Não quero criar polêmica, até porque o projeto é de 2011. Nem sei desde quando o Dallagnol faz parte do Ministério Público”, disse Hugo Leal ao Congresso em Foco. Ele também afirmou que “deseja muito” que os parâmetros e o conceito de responsabilidade civil do Estado sejam definidos.

Hugo Leal ressaltou que o projeto já tramita há anos e teve origem no início dos anos 2000, a partir da discussão a respeito do momento em que se deveria determinar a responsabilidade civil do Estado. O deputado confirma que o projeto teve origem nas sugestões de Gilmar Mendes, à época advogado-Geral da União.

Contudo, a matéria só foi apresentada duas legislaturas atrás (2007-2010) pelo atual governador do Maranhão, Flávio Dino. Com a saída de Dino da Câmara, Hugo Leal reapresentou o projeto. “Nós estamos falando de um projeto com quase 20 anos de discussão. É um tema muito antigo”, alegou. Somente em 2015 a proposta foi aprovada pelo plenário da Câmara e enviada ao Senado. Na época, não houve polêmica em torno do texto.

Para Dallagnol, a proposta inibe as investigações ao permitir que os investigados possam processar promotores e juízes em casos de prisões preventivas com duração de prazo “além do razoável”, sem definir qual seria tal prazo. Randolfe considera que o projeto expande indevidamente e de modo “sub-reptício” os casos de responsabilização do Judiciário e do Ministério Público por suas funções institucionais.

Fonte: JL/Congresso em Foco
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
08/05/18, 12:59 | CORRUPÇÃO - Nova fase da Lava Jato apura esquema de R$ 200 milhões na Petrobras que envolve MDB
08/05/18, 12:50 | TRAGÉDIA - Bombeiros localizam segundo corpo no desabamento em São Paulo
08/05/18, 12:27 | POLÍTICA - Joaquim Barbosa anuncia desistência de concorrer à eleição pelo Twitter
08/05/18, 12:19 | POLÊMICA - Temer promete R$ 1,2 bilhão para a intervenção e entrega zero
07/05/18, 21:07 | ENTREVISTA - Temer diz não ter medo de ser preso ao deixar o cargo: 'Seria uma indignidade'
07/05/18, 20:25 | POLÊMICA - Dodge questiona STF sobre foro para julgar congressistas reeleitos
07/05/18, 20:23 | PROPINA - Barroso prorroga por mais 60 dias inquérito que investiga Temer
07/05/18, 20:08 | CORRUPÇÃO - Temer questiona fim do foro privilegiado: ‘Não sei de quem é a conquista’
07/05/18, 16:58 | CLASSIFICAÇÃO - Brasil ocupa 102º lugar no ranking com mais liberdade de imprensa
07/05/18, 16:55 | EVENTO - Conselho de Comunicação Social debate violência contra jornalistas
07/05/18, 16:49 | CORRUPÇÃO - PGR pede ao Supremo explicação sobre foro privilegiado
07/05/18, 15:07 | ARTIGO - Foro privilegiado, sociedade, parlamento, MP e Judiciário
07/05/18, 14:30 | POLÍTICA - Alvaro Dias reitera em sabatina que não cogita aliança com o PSDB de Alckmin
07/05/18, 12:32 | ARROGÂNCIA - Segurança é afastada da guarda de Marcela Temer por não cuidar de cãozinho
07/05/18, 12:23 | PREVIDÊNCIA - Em audiência, professor propõe "milhas para a aposentadoria"
07/05/18, 12:12 | CRIMINALIDADE - Bandidos têm ordens para matar policiais no Rio, diz delegado
07/05/18, 11:59 | DECLÍNIO - Pobreza cesce e trás de volta nova segregação social no governo Temer
07/05/18, 11:54 | SOCIAL - Emgerpi oferece descontos de até 90% a mutuários do Programa Minha Casa Legal
07/05/18, 10:55 | DECISÃO - TCE-PI prorroga prazo para envio de prestações de contas municipais
07/05/18, 07:51 | DESCASO - Prefeito de Luzilândia não divulga valores arrecadados com taxa de iluminação pública
06/05/18, 21:39 | DENÚNCIA - Aneel vê rombos bilionários em emendas da MP da Eletrobras
06/05/18, 21:31 | ECONOMIA - Shoppings de todo o país têm, juntos, 12,5 mil lojas vazias
06/05/18, 20:48 | BRASILEIRÃO - Palmeiras derruba invencibilidade do Atlético-PR na Arena
06/05/18, 20:40 | BRASILEIRÃO - Na volta de Guerrero, Flamengo faz 2 a 0 no Inter e mantém liderança
06/05/18, 20:21 | BRASILEIRÃO - Com gol de Dedé, Cruzeiro bate o Botafogo no Mineirão
06/05/18, 16:38 | POLÊMICA - Procuradores e juízes repudiam declarações de Gilmar: “Nítido objetivo de desestabilizar a Justiça”
06/05/18, 16:35 | VIOLÊNCIA - Delegado da Polícia Federal é assassinado após ter casa invadida no Maranhão
06/05/18, 16:28 | VIOLÊNCIA - Mulher é morta a paulada após briga com vizinho em Campo Maior
06/05/18, 16:19 | POLÍTICA - Em 27 anos como deputado, Bolsonaro tem dois projetos aprovados
06/05/18, 16:06 | PROPINA - Entregador diz que levou dinheiro a escritório de amigo de Temer
« Anterior 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 | 301 - 330 | 331 - 360 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site