CBN - A rádio que toca notícia

POLÍTICA

Em jantar com Alckmin, Centrão indica apoio a Ciro

Bloco é formado por DEM, PP, PRB, Solidariedade e PSC

06/07/18, 17:29

S
ob o argumento de que o desgaste do PSDB após a Lava Jato atrapalha as alianças, dirigentes do Centrão - hoje rebatizado de blocão - indicaram ao pré-candidato tucano à Presidência, Geraldo Alckmin, que estão mais propensos a apoiar Ciro Gomes (PDT). Mesmo assim, não bateram o martelo sobre o aval a nenhum concorrente e ainda há divisões no grupo, principalmente na seara do DEM.

Embora nomes do Centrão também sejam investigados, a explicação dada a Alckmin para a falta de entusiasmo com sua campanha, na noite desta quarta-feira, 4, foi a de que o PSDB amarga índices de rejeição maiores do que os do PT.

Em jantar de três horas, presidentes dos partidos que compõem o bloco formado por DEM, PP, PRB, Solidariedade e PSC mostraram ao ex-governador de São Paulo preocupação com o seu imobilismo nas pesquisas. Até agora, Alckmin apresenta índices que variam de 4% a 6% das intenções de voto.

Deputados e senadores fizeram uma espécie de sabatina com Alckmin na sede do PRB, onde foi realizado o encontro. Perguntaram a ele, por exemplo, sobre a possibilidade de substituição de seu nome na chapa pelo do ex-prefeito João Doria, hoje pré-candidato do PSDB ao Palácio dos Bandeirantes. Lembraram que há articulações para isso nos bastidores, dentro do seu próprio partido, com a simpatia do Palácio do Planalto e da cúpula do MDB.

Presidente do PSDB, Alckmin assegurou não haver hipótese de troca, mas não escondeu a contrariedade com esse movimento. Disse já ter apoio de quatro partidos (PTB, PSD, PPS e PV) e demonstrou confiança em seu crescimento quando se iniciar o horário eleitoral. "A campanha começa em 31 de agosto, com a propaganda na TV e no rádio. Tem gente que ainda acha que sou governador de São Paulo", afirmou ele.

Recém-saída do forno, uma pesquisa do DEM apresentada ali serviu de munição para os que já pareciam decididos a não chancelar o tucano, como o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI). Segundo o levantamento, a rejeição de Alckmin aumentou por causa do PSDB e seu desempenho está aquém das expectativas até mesmo em São Paulo, Estado que ele administrou por quase 14 anos e maior colégio eleitoral do País.

Estratégia

Os interlocutores do ex-governador quiseram saber qual seria a estratégia para resolver esse problema. "Expusemos todas as nossas preocupações, sem vetos nem embargos", resumiu o presidente do DEM, ACM Neto, que também é prefeito de Salvador.

Alckmin respondeu que um amplo arco de alianças fará diferença na disputa. Disse que formou a melhor equipe e reiterou estar disposto a integrar todos na campanha e num eventual governo. Admitiu até mesmo ter um vice do Centrão em sua chapa. Até agora, foram cogitados para a vaga os ex-ministros Aldo Rebelo, pré-candidato à Presidência pelo Solidariedade; Mendonça Filho (DEM-PE), hoje deputado, e a senadora Ana Amélia (PP-RS).

Doria almoçou nesta quinta-feira, 5, com o presidente do PPS, Roberto Freire, em São Paulo. O PPS pressiona Alckmin a adotar estilo mais agressivo para alavancar a campanha. À noite, o ex-prefeito divulgou nota negando que queira tomar o lugar do padrinho político. "Aqueles que dizem o contrário só querem mal à candidatura do Geraldo e à minha", insistiu Doria.

Em Brasília, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chegou no fim do jantar com Alckmin. Diante dos colegas, expôs com todas as letras as dificuldades que vê para o casamento com o PSDB. Cobrou, ainda, o apoio dos tucanos a candidatos do DEM em outros Estados, como o Rio.

Maia também engrossava a lista dos postulantes ao Planalto, mas já avisou que sairá do páreo. Disputará mais um mandato de deputado e pretende comandar novamente a Câmara, a partir de 2019, com aval do Centrão.

De todos os representantes do bloco, apenas o presidente do PRB, Marcos Pereira - ex-ministro da Indústria e Comércio Exterior do governo de Michel Temer - demonstrou algum interesse na composição com Alckmin. Atualmente, o pré-candidato do PRB ao Planalto é o empresário Flávio Rocha.

O grupo marcou novo encontro para quarta-feira, com o objetivo de resolver as últimas pendências para a escolha do candidato. A ideia é anunciar quem o bloco apoiará até dia 20, mas pode haver racha.

Apesar de a cúpula do DEM dar sinais de adesão a Ciro, a maioria da bancada na Câmara prefere Alckmin. O deputado Rodrigo Garcia (SP), líder do DEM e ex-secretário de Alckmin, será vice na chapa de Doria e é um dos maiores defensores da união nacional entre os dois partidos.

Fonte: JL/Notícias ao Minuto
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
04/02/19, 22:12 | PROJETO DE LEI - Para advogados, projeto de lei anticrime de Moro cria 'licença para matar'
04/02/19, 22:09 | STF - Barroso envia denúncia contra Temer para primeira instância
04/02/19, 21:55 | INTERNACIONAL - Grupo de Lima recomenda restrições às negociações com regime de Maduro
04/02/19, 21:46 | REPERCUSSÃO - Entidades da sociedade se manifestam sobre projeto de lei anticrime
04/02/19, 14:59 | SAÚDE - Sobreviventes do câncer devem mudar estilo de vida, diz pesquisa
04/02/19, 14:53 | DISCUSSÃO - Estados pedem desburocratização de fundos de segurança pública
04/02/19, 14:50 | PAUTA - Ministros fazem reunião para debater políticas para a Região Nordeste
04/02/19, 13:36 | INTERNACIONAL - Corpo é achado entre pedaços de avião onde estava jogador argentino
04/02/19, 13:30 | JUSTIÇA - Uso de tecnologia no transporte de presos agrada a governadores
04/02/19, 13:26 | REFORMAS - Lei propõe endurecer cumprimento de pena para crimes graves
04/02/19, 12:31 | DENÚNCIA - Prefeito de Luzilândia é denunciado por crime de improbidade na Justiça Federal e poderá perder o cargo
04/02/19, 11:11 | CRIME - Ministro de Bolsonaro teria usado 'laranjas' para conseguir verbas
04/02/19, 11:04 | AGRESSÃO - Renan ataca jornalista e pai de senadora com ofensa de natureza sexual
04/02/19, 10:59 | DISCUSSÃO - Em Brasília, Moro e governadores debatem Lei Anticrime
04/02/19, 10:50 | REFORMAS - Lei anticrime poderá criminalizar caixa 2 também em ato já praticado
04/02/19, 09:56 | CRIME - Novo presidente do Senado é alvo de duas investigações no STF
04/02/19, 09:49 | SENADO - Festa da vitória de Alcolumbre tem deboche a Renan
04/02/19, 09:40 | LUTO - Ativista que ajudava vítimas de João de Deus se suicida
04/02/19, 09:26 | REFORMAS - Moro anuncia medidas 'objetivas' contra corrupção, crime organizado e crime violento
03/02/19, 11:00 | PARLAMENTO - Senador de poucos discursos e muitas articulações, o Davi que derrotou Renan terá de pacificar o Senado
03/02/19, 10:45 | ARTIGO - Itália no turbilhão do euro
02/02/19, 22:33 | ELEIÇÃO DO SENADO - Davi Alcolumbre: 'O Senado não pode se curvar à intromissão do Judiciário e de qualquer outro Poder'
02/02/19, 19:23 | CRIME - Empresário é preso sob suspeita de arrastar a sogra por 30 m em veículo
02/02/19, 19:21 | RECUPERAÇÃO - Bolsonaro se sente mal e usa sonda para alimentação
02/02/19, 19:09 | SUCESSÃO - Davi Alcolumbre é eleito presidente do Senado Federal
02/02/19, 18:57 | ARTIGO JURÍDICO - Consulta Tributária Vinculante
02/02/19, 18:04 | URNA - Após confusão de voto duplo, senadores decidem fazer nova votação
02/02/19, 18:01 | TRAGÉDIA - Moradores de Brumadinho negam ter recebido orientações de evacuação
02/02/19, 17:57 | TRAGÉDIA - Custos da União com Brumadinho serão cobrados da Vale, diz AGU
02/02/19, 16:33 | TRAGÉDIA - ‘Se é para prender alguém, que seja o presidente da empresa da Vale’, diz engenheiro
« Anterior 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 | 301 - 330 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site