CBN - A rádio que toca notícia

MUNDO

Doze meninos e o técnico de futebol são retirados de caverna após três dias de resgate na Tailândia

Quatro meninos e o técnico foram os últimos a deixar a caverna Tham Luang, no norte do país, nesta terça (10)

10/07/18, 14:14
T
odas as 13 pessoas que estavam na caverna Tham Luang, no norte da Tailândia, foram retiradas com apoio de dezenas de mergulhadores. Os últimos quatro meninos e o técnico do time de futebol saíram do local nesta terça-feira (10), o terceiro dia de resgate e o mais desafiador, porque chovia e havia mais pessoas a serem resgatadas.

“Não temos certeza se isso é um milagre, uma ciência ou o que é. Todos os 13 Javalis [nome do time de futebol] agora estão fora da caverna”, comemorou a Marinha tailandesa em post no Facebook.

Entenda o caso

  • 12 meninos, entre 11 e 16 anos, e o técnico entraram na caverna no dia 23 de junho, para se proteger do mau tempo. A chuva ficou intensa e a água subiu muito rápido. Eles ficaram isolados e sem comida por 9 dias. Foram encontrados no dia 2 de julho, debilitados e com muita fome, a 4 km da entrada da caverna.
  • Resgate durou 3 dias: começou no domingo (8) e terminou na terça (10). Cada menino foi conduzido por pelo menos 2 mergulhadores e usou máscara facial de oxigênio.
  • 4 garotos foram retirados por dia e, no último dia de resgate, o técnico também foi tirado da caverna.
  • O percurso do ponto onde estavam até a entrada da caverna dura 6 horas. Eles estavam em um trecho que tem entre 800 m e 1 km de profundidade. Vários trechos são muito estreitos, com água turva e baixa visibilidade.
  • 90 mergulhadores participaram do resgate: 50 estrangeiros e 40 tailandeses. Ao todo, mais de mil pessoas fizeram parte dos trabalhos.
  • Resgatados foram levados de helicóptero para hospital, onde vão ficar em quarentena e observação.

Operação delicada

A dramática situação dos meninos presos na caverna causou comoção internacional. Doze garotos entre 11 e 16 anos e seu técnico de futebol entraram no local há 17 dias e só puderam sair depois de uma operação de resgate que envolveu mil profissionais vindos de várias partes do mundo.

A missão era muito difícil: os estreitos, lamacentos e inundados caminhos eram um desafio até mesmo para mergulhadores experientes, que levavam cerca de seis horas para percorrer 4 km até onde estava o grupo. Um deles morreu após levar suprimentos aos meninos, que estavam presos uma encosta cercada de água.

As equipes de resgate chegaram a considerar tirá-los pela superfície da montanha, mas não encontraram cavidades na parte superior da caverna. A profundidade no ponto em que estavam era grande demais – entre 800 m e 1 km – e ainda havia risco de desmoronamento caso o solo fosse perfurado.

Para facilitar o resgate, bombas drenavam a água initerruptamente, mas os esforços tinham pouco resultado. Apesar dos milhões de litros de água bombeadas, o nível recuava lentamente.

O governo tailandês também considerou esperar meses até que a água baixasse, já que a saída pela água seria muito arriscada – alguns dos meninos não sabiam nadar e nenhum deles sabia técnicas de mergulho.

Mas, durante o fim de semana, a chuva deu uma trégua e a operação de resgate foi colocada em prática. A queda no nível de oxigênio na cavidade subterrânea e a elevação do dióxido de carbono também pressionaram as equipes a abreviar o resgate.

O entorno da caverna começou a ser esvaziado ainda no fim da noite de sábado (7). Os mais de 1 mil jornalistas que acompanham o resgate tiveram que se afastar da região. Nesta terça, um jornalista estrangeiro foi detido pela polícia por colocar um drone para sobrevoar a entrada da caverna.

Tudo foi feito para preservar os meninos, seu treinador e suas famílias. Conforme as vítimas eram salvas, os nomes não eram divulgados nem para os parentes. Questões culturais, relacionadas ao respeito, explicam essa decisão.

Algum tempo depois que os últimos meninos e o treinador voltarem à superfície, o médico e os fuzileiros navais que entraram na caverna para auxiliar nos resgates também saíram das galerias subterrâneas.

Rachapol Ngamgrabuan, governador da província Chiang Rai e coordenador do esforço de resgate, não escondeu a emoção com o sucesso da operação.

“Este é um evento importante na minha vida. É algo de que me lembrarei. Houve momentos em que chorei. [Estou] Feliz. Muito feliz em ver o amor de todos os tailandeses”, afirmou o governador de Chiang Rai.

Voluntários e tailandeses comemoraram o anúncio do bem-sucedido resgate com palmas e buzinaço. Além da Marinha, líderes internacionais, como o presidente Donald Trump e a premiê Theresa May, comemoraram o sucesso da ação.

Atendimento aos meninos

Ao sair da caverna, os resgatados foram atendidos em um hospital improvisado. Em seguida, foram transferidos de ambulância para um helicóptero e foram levados ao hospital da província de Chiang Rai, que fica a cerca de 70 km.

Nesta terça, houve certa demora em transferir os meninos para o helicóptero, mas três ambulâncias foram vistas deixando o local, de acordo com a BBC.

O primeiro-ministro tailandês, Prayut Chan-o-chau, afirmou que os meninos receberam ansiolíticos (calmantes) antes de serem levados à superfície, segundo o “The Guardian”. Nos últimos dias, resgatados foram vistos chegar à superfície em macas.

As oito primeiras crianças salvas permanecem internadas, mas passam bem. Elas estão em quarentena para evitar alguma infecção, já que a saúde do grupo ficou fragilizada por causa do longo período de jejum forçado.

Fonte: JL/Agência Brasil
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
14/02/19, 13:29 | POLÍTICA - Primeira reunião da Câmara de Luzilândia de 2019 promete ser histórica
14/02/19, 13:25 | TRAGÉDIA - Parecer do MPF diz que Vale privilegiou lucros em detrimento da segurança
14/02/19, 13:10 | POLÍTICA - Humilhado publicamente, Bebianno pode se dedicar a derrubar Bolsonaro e filhos contando o que sabe
14/02/19, 13:05 | POLÍTICA - Na TV, Bolsonaro diz que ministro mentiu e adverte o vice Mourão
14/02/19, 13:02 | CRIME - Moro diz cumprir ordem de Bolsonaro para investigar laranjas no PSL
14/02/19, 12:54 | MEIO AMBIENTE - Desflorestamento da Amazônia, já em ascensão, pode subir sob Bolsonaro
14/02/19, 12:43 | INCOERÊNCIA - Governo Bolsonaro desvia R$ 600 bilhões da Previdência para pagar dívida
14/02/19, 09:12 | IMBRÓGLIO - Bolsonaro sobre laranjas do PSL: Determinei à Polícia Federal que investigue
14/02/19, 09:04 | CRIME - Gráfica de dirigente do PSL recebeu R$1,2 milhão em recursos de campanhas do partido
14/02/19, 07:14 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Justiça põe tucano Beto Richa, mulher, filho e contador no banco dos réus
13/02/19, 19:14 | CRIME - Pais de Marielle Franco cobram solução para duplo assassinato
13/02/19, 19:08 | IMPRENSA - Maria Júlia Coutinho será a primeira mulher negra na bancada do Jornal Nacional
13/02/19, 18:55 | POLÍTICA - Joice fala em 'puxadinho da Presidência' e critica filho de Bolsonaro
13/02/19, 18:51 | POLÊMICA - Carlos Bolsonaro diz que Bebianno mentiu e divulga áudio do presidente
13/02/19, 18:32 | OPINIÃO - A impossível missão de governar um país a partir de corruptos e moleques
13/02/19, 18:26 | INVESTIGAÇÃO - Moro se recusa a responder sobre encontro com setor de armas alegando direito à privacidade
13/02/19, 18:01 | LUTO - Morre no Rio a atriz e cantora Bibi Ferreira
13/02/19, 14:51 | CORRUPÇÃO & PROPINA - PF identifica supostos emissários de R$ 28,2 milhões a Aécio Neves
13/02/19, 14:19 | PESQUISA - Manaus, Campinas e Brasília são eleitos os melhores aeroportos do país
13/02/19, 12:37 | PRESÍDIOS - Marcola e mais 21 integrantes do PCC são transferidos
13/02/19, 12:35 | DOENÇA - Bolsonaro recebe alta médica e deixa o hospital Albert Einstein
13/02/19, 12:05 | MUNDO - Enchente bizarra na Austrália mata meio milhão de cabeças de gado
13/02/19, 11:55 | REFORMAS - Moro recusa convite para fazer debate público sobre pacote anticrime
13/02/19, 10:19 | TRAGÉDIA - Plenário da Câmara debate tragédia de Brumadinho
13/02/19, 10:16 | ECONOMIA - Volume do comércio varejista fecha 2018 com alta de 2,3%
13/02/19, 10:12 | INVESTIGAÇÃO CRIMINAL - Réu na Lava Jato, Collor presta depoimento no STF
13/02/19, 09:34 | ECONOMIA - Consumidores pagaram R$ 6,9 bilhões a mais nas contas de luz
13/02/19, 09:30 | POLÊMICA - Ação civil pede o afastamento da ministra Damares Alves
13/02/19, 09:24 | POLÍTICA - Eduardo Bolsonaro nega conflito com Mourão e generais
13/02/19, 08:50 | JUDICIÁRIO - Supremo deve julgar nesta quarta ação para criminalizar homofobia
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site