CBN - A rádio que toca notícia

VIOLÊNCIA

Decreto pró-arma de Bolsonaro poderá abranger 76% da população

Presidente pretende associar liberação de arma a nível de violência nas cidades. Levantamento mostra que 3.485 cidades seriam afetadas

12/01/19, 17:20

T

rês em cada quatro brasileiros poderão ser incluídos no decreto que o governo Jair Bolsonaro está preparando para facilitar a posse de arma de fogo. O presidente estuda associar a liberação simplificada para quem mora em cidades onde a taxa de homicídios por 100 mil habitantes é maior que 10.

Levantamento do jornal O Estado de S. Paulo com base em dados do Ministério da Saúde mostra que, nesse caso, a medida atingiria 3.485 das 5.570 cidades, ou 62% dos municípios do País, onde vivem 159,8 milhões de pessoas (76% da população brasileira).

A Polícia Federal, além de documentos e exames psicológicos e de capacidade técnica, exige hoje que o cidadão apresente justificativa de "efetiva necessidade" para a posse de arma - o que permite ter o equipamento dentro de casa ou de estabelecimento comercial. O decreto de Bolsonaro deverá dizer o que objetivamente seria uma justificativa aceitável. Uma das ideias em estudo, segundo revelou o próprio presidente, seria afrouxar essa "efetiva necessidade" nessas cidades violentas. Assim, o cidadão que requerer na PF a arma nesses lugares, em tese, veria o processo andar mais rápido.

A maior parte dos Estados do Norte e Nordeste, por exemplo, veria uma grande parcela das suas cidades serem afetadas. Em Pernambuco, por exemplo, 95,7% dos 185 municípios poderão ter acesso facilitado a armas. No Acre (95,4%), Alagoas (92%), Pará (90%), Sergipe (89%), Ceará (88,5%) e Amapá (87,5%), o porcentual também é elevado.

As cidades que poderão ter as regras alteradas, além de compreender parcela significativa da população, concentram 94% dos homicídios. Na outra ponta, São Paulo (36,1%), Piauí (39,2%) e Santa Catarina (40%) têm a menor proporção de cidades violentas. A cidade de São Paulo seria a única capital a não ser englobada pela medida.

A reportagem analisou dados preliminares referentes a 2017 registrados pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde. Esse registro engloba várias causas de mortes intencionais, como arma de fogo, arma branca (faca) e agressões corpo a corpo. O dado, porém, não inclui mortes causadas em ações policiais, que em alguns Estados, como São Paulo e Rio, podem ser significativas ante o total de homicídios.

Como o Ministério da Justiça não produz dado atualizado e completo sobre violência, a expectativa é de que Bolsonaro se baseie nos dados do Ministério da Saúde. Com eles, o Instituto Nacional de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) produz o Atlas da Violência, que também poderá ser usado.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, o coordenador do Atlas, o economista Daniel Cerqueira, criticou ontem a eventual escolha do método. Segundo ele, pode haver distorções. "O governo tem de explicar a escolha desse parâmetro (taxa acima de 10 por 100 mil). O que vai ser dito para a cidade que tem 9 homicídios por 100 mil? E as cidades pequenas que tiveram dois assassinatos e, mesmo assim, têm taxa acima de 10?", disse. "Além disso, pode haver distorções, já que há uma quantidade considerável de mortes por causas indeterminadas."

O pesquisador critica também o aspecto geral da medida. "Se o Estado está interessado em reduzir a violência, deveria olhar para as evidências científicas e não passar por cima dos estudos. Armar a população vai jogar mais lenha na fogueira dos homicídios e agravar a miséria da segurança pública atual."

A medida, defende Bolsonaro, garante o direito da população em ter uma arma para legítima defesa. Poderá, segundo o presidente, fazer frente à violência crescente nas cidades.
 
Fonte: JL/Estadão
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
24/03/19, 20:40 | VIOLÊNCIA - Os 5 países que fabricam 75% das armas do mundo (e seus maiores compradores)
24/03/19, 20:26 | POLÍTICA - 100 anos do fascismo: 'O perigo atual é que democracia vire repressão com apoio popular', diz historiador
24/03/19, 19:42 | CRISE - Após polêmica com Moro, Maia exclui pacote anticrime de sua agenda na Câmara
24/03/19, 19:13 | INSTABILIDADE - Líder do governo critica velha política, cita Maia e acirra crise
24/03/19, 19:05 | POLÍTICA - Paulo Guedes vai ao Congresso em missão de paz para tentar salvar Reforma da Previdência
24/03/19, 18:29 | ARTIGO - Visão da Prisão Preventiva
24/03/19, 14:07 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Temer passa fim de semana sem visitas e recebe livro na cela
24/03/19, 14:03 | PESQUISA - Mulheres assinam 72% dos artigos científicos publicados pelo Brasil
24/03/19, 13:59 | COMUNICAÇÃO - Anatel inicia bloqueio de celulares irregulares no PI e mais 14 estados
24/03/19, 12:55 | RETROSPECTIVA - Bolsonaro, Maia, prisão de Temer, Previdência, visita a Trump, STF, Lava Jato, bolsa, Moro... as duas semanas do pós-carnaval
24/03/19, 12:14 | ARTIGO - Receita para destroçar um país
24/03/19, 11:56 | ARTIGO - A Praça de guerra dos Três Poderes
24/03/19, 11:37 | ARTIGO - Bolsonaro pode provar do próprio veneno
24/03/19, 10:54 | POLÍTICA - 'Não uso as redes sociais para agredir ninguém', diz Maia após almoço com Doria em SP
24/03/19, 10:44 | HISTÓRIA - Quarenta anos de Brasil e de Lula: uma história contada por olhares
24/03/19, 10:32 | POLÊMICA - “Moro não sabe nada de segurança”, diz governador do Distrito Federal, que vai pedir transferência de líder do PCC
24/03/19, 10:29 | POLÍTICA - Bolsonaro diz que a responsabilidade da reforma está com o Parlamento
24/03/19, 10:17 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Justiça manda soltar empresário preso na operação que prendeu Temer
24/03/19, 10:06 | ARTIGO - Enquanto eles batem cabeça, o país afunda
24/03/19, 09:41 | POLÍTICA - Secretário de Guedes ataca deputados e expõe fracasso da reforma
23/03/19, 09:52 | CRIMES - Bolsonaro abandona Temer e diz ter vergonha da corrupção
23/03/19, 09:39 | RISCO - Barragem da Vale em Barão de Cocais entra em alerta máximo
23/03/19, 09:27 | INTERNACIONAL - Polícia chilena reprime protesto contra visita de Bolsonaro
23/03/19, 09:15 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Vizinho de Temer é apontado como 'caixa-forte' do ex-presidente
23/03/19, 09:02 | CRISE - Governo é “deserto” de ideias e trabalhou contra minha reeleição, diz Maia. “Quem foi contra a reforma foi Bolsonaro”
23/03/19, 08:44 | ECONOMIA - Preço da gasolina sobe pela 4ª semana e acumula alta de 3,5% em um mês
22/03/19, 21:22 | POLÍTICA - Dois assessores de Bolsonaro doaram mais de R$ 100.000 reais a campanhas da família
22/03/19, 20:45 | CRISE - Bolsonaro compara Maia a namorada que separa e pede diálogo
22/03/19, 20:36 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Ministro do Supremo nega liberdade ao ex-ministro Moreira Franco
22/03/19, 17:45 | ARTIGO - Prisão de Temer não merece comemoração e nem solidariedade
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site