CBN - A rádio que toca notícia

HISTÓRIA

Ustra: “Herói” de Bolsonaro e Mourão torturava mulheres grávidas

Criméia estava grávida de sete meses e diz que Ustra foi o primeiro a torturá-la no DOI-Codi. Ao saber que ela tinha sido presa com identidade falsa, já que vivia nesta época na clandestinidade após escapar da Guerrilha do Araguaia, Ustra foi até a sua cela aos gritos. A Guerrilha do Araguaia foi o maior combate rural contrário ao regime ditatorial

09/09/18, 15:24

E

x-guerrilheira do PC do B que combateu a ditadura militar (1964-1985), Crimeia Schmidt foi presa em dezembro de 1972 e levada para o DOI de São Paulo que, à época, estava sob o comando de Carlos Alberto Brilhante Ustra, o ex-coronel homenageado pelo deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) em seu voto a favor do impeachment na Câmara no último domingo (17).

Criméia estava grávida de sete meses e diz que Ustra foi o primeiro a torturá-la no DOI-Codi. Ao saber que ela tinha sido presa com identidade falsa, já que vivia nesta época na clandestinidade após escapar da Guerrilha do Araguaia, Ustra foi até a sua cela aos gritos. A Guerrilha do Araguaia foi o maior combate rural contrário ao regime ditatorial.

Ao Blog, Criméia afirmou que foi espancada pelo ex-coronel, neste primeiro momento, até ficar desacordada. “Me espancou muito. Eu cheguei a perder a consciência. Ele me tirou da cela puxando pelos cabelos e me batendo na cara. Aí eu fui sendo arrastada por ele ali no corredor das celas, apanhando. Antes de subir as escadas, eu perdi a consciência e acordei na sala da tortura toda urinada”.

O martírio de Criméia estava só começando. Nos dias seguintes, ela continuou sendo torturada pela equipe de Ustra. “Era espancamento, palmatória nos pés e nas mãos, choque elétrico em partes do corpo durante o interrogatório contínuo. Teve uma vez que eu fiquei o dia, a noite e o outro dia, até bem noite, sendo torturada e interrogada”, conta a ex-militante.

Segundo ela, após aquele primeiro momento onde Ustra participou diretamente da tortura, ele entrava na sala durante as sessões para dar uns “tapas e safanões” nela e saía, deixando o resto sob o comando de sua equipe. Sabia, contudo, de tudo que ocorria contra ela em um órgão de Estado, construído originalmente com a função de proteger os brasileiros. No caso de Criméia, grávida, um médico foi chamado para apontar aos torturadores como eles deveriam proceder durante a tortura.

Ao chegar em casa de uma manifestação pró-Dilma neste domingo (17), a ex-guerrilheira disse que viu Bolsonaro dar o seu voto, definido por ela como chocante e lamentável. “É crime o que ele fez: apologia de Estado totalitarista”.

Segundo a Lei 7.170, de 1983, é “crime fazer, em público, propaganda de processos violentos ou ilegais para alteração da ordem política ou social” ou “incitar à subversão da ordem política ou social e à animosidade entre as Forças Armadas ou entre estas e as classes sociais ou as instituições”.

Como informou o Blog esta semana, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) estuda tomar medidas contra Bolsonaro por “clara apologia ao crime”. A OAB-RJ e o Instituto Vladimir Herzog pedem a cassação de seu mandato. A Procuradoria Geral da República vai analisar mais de 17 mil manifestações contra ele recebidas após o voto na sessão do último domingo.

Após ação movida por Criméia e dois de seus parentes, Ustra foi apontado pela Justiça como torturador, o primeiro militar brasileiro nesta condição por crimes durante a ditadura. O ex-coronel faleceu ano passado e o voto de Bolsonaro foi em “sua memória”.

Em 2007, escrevi, como repórter da revista “Época”, a reportagem “Torturado antes de nascer”. Nela, conto a história do filho de Criméia, João Carlos Grabois, que nasceu num hospital de uma guarnição do Exército de Brasília, em 13 de fevereiro de 1973, longe das mãos de Ustra, mas marcado por elas. Na ocasião da matéria, Joca, como é conhecido, acabara de ser reconhecido pelo Estado como preso político da ditadura quando ainda era apenas um feto, em sua vida intra-uterina.

Fonte: JL/Elpaís
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
21/04/19, 20:26 | POLÊMICA - Plano de privatizações de Guedes esbarra em resistência nos ministérios
21/04/19, 20:23 | POLÍTICA - Parlamento no Brasil quer limitar poder do presidente da República
21/04/19, 20:14 | MUZEMA - Encontrada a última vítima fatal da tragédia dos prédios no Rio
21/04/19, 20:01 | INVESTIGAÇÃO - Documento revela 187 pagamentos da Odebrecht; tem político do Piauí
21/04/19, 19:49 | CARIOCÃO - Festa no Rio! Flamengo vence Vasco outra vez e é campeão carioca de 2019
21/04/19, 19:33 | PAULISTÃO - É tri! Corinthians derrota São Paulo com gol no fim e conquista o Paulistão 2019
21/04/19, 14:20 | ARTIGO - Ouvir a Voz das Ruas
21/04/19, 13:11 | VALOR UNIVERSAL - Professores estrangeiros exaltam Paulo Freire, atacado pelo governo
21/04/19, 13:00 | DISCUSSÃO - Negociações da Previdência reacendem discussões em torno da PEC da Bengala
21/04/19, 12:57 | QUESTIONAMENTO - Ação no Supremo questiona decreto das armas de fogo de Bolsonaro
21/04/19, 11:55 | - Páscoa: Explosões em hotéis e igrejas deixam mortos e feridos no Sri Lanka
21/04/19, 08:17 | POLÍTICA - Bolsonaro incentiva ataques a Mourão e diz que não o terá como vice em 2022
20/04/19, 22:40 | SEMANA SANTA - Brasil tem o maior ovo de Páscoa decorado do mundo
20/04/19, 16:27 | PROTESTO - Engenheiros da Petrobrás mandam carta aberta aos caminhoneiros e pedem união em defesa da empresa
20/04/19, 15:52 | NOVA CONFUSÃO - Áudio atribuído a Onyx sugere que governo estaria intervindo na Petrobras desde março
20/04/19, 15:46 | CRIME - Governador do Rio pode ser punido por ordem
20/04/19, 15:36 | CRIME - Suspeitos de construir prédios que desabaram no Rio estão foragidos
20/04/19, 12:43 | POLÍTICA - Alexandre Frota diz que PSL foi “sacaneado” pelo governo: “Odeio ser enganado”
20/04/19, 12:20 | ACUSAÇÃO - Bolsonarista, ex-professor de Direito da USP pede prisão de Dias Toffoli e Alexandre de Moraes
20/04/19, 12:15 | INUSITADO - Menina se nega a cumprimentar Bolsonaro no Planalto
20/04/19, 09:00 | SAÚDE - Nova etapa da Campanha contra a Gripe começa nesta segunda
20/04/19, 08:56 | INTERNACIONAL - Opositores de Maduro preparam protestos para 1º de maio
20/04/19, 08:49 | INTERNACIONAL - Justiça peruana determina prisão preventiva de ex-presidente
19/04/19, 16:47 | VATICANO - Papa se prostra diante de Jesus adorando o mistério da Santa Cruz
19/04/19, 16:32 | TRAGÉDIA - "O Exército matou meu filho", diz mãe de catador fuzilado por militares
19/04/19, 16:15 | POLÊMICA - Mello Franco: Toffoli tentou erguer um escudo para proteger a si mesmo
19/04/19, 15:48 | ARTIGO - Quando a nobreza se cala
19/04/19, 13:32 | HOMICÍDIO DOLOSO - Justiça do Rio decreta prisão de três pelas mortes em desabamento de prédios
19/04/19, 11:13 | ESPORTE - Concessão do Maracanã passa hoje para o Clube do Flamengo
19/04/19, 11:10 | INTERNACIONAL - Povo francês se une para reconstrução da Catedral de Notre-Dame
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site