CBN - A rádio que toca notícia

POLÊMICA

Política fiscal de austeridade torna país mais desigual e compromete futuro

Documento detalha efeitos das medidas de redução dos gastos públicos, como a Emenda 95, "projeto absolutamente incompatível com a garantia de direitos sociais e com a Constituição"

09/08/18, 14:58

"A

austeridade compromete o futuro das próximas gerações, aumenta a desigualdade social e destitui direitos dos cidadãos", diz trecho do documento Austeridade e retrocesso – impactos sociais da política fiscal no Brasil, divulgado terça-feira (7) na Comissão de Direitos Humanos do Senado. Resultado de meses de debates sobre temas diversos, o relatório afirma que abrir mão de políticas de transferência de renda "é optar por uma sociedade cada vez mais desigual e segregada, destituindo o acesso da população a direitos sociais básicos".

A situação se agrava com a aprovação da Emenda Constitucional 95, de congelamento de gastos públicos por 20 anos. Uma "regressão social" que pode fazer o gasto passar de 19,8% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2017, para 12,4% em 2037. 

Segundo os autores do documento, a EC 95 (que começou a tramitar em 2016, como PEC 241) é "um projeto de Estado mínimo no Brasil, absolutamente incompatível com a garantia de direitos sociais e com a Constituição Federal de 1988". Um projeto "especialmente grave para o caso brasileiro, no qual o orçamento social é uma ferramenta fundamental de redução da já escandalosa desigualdade social brasileira em todas as comparações internacionais". Em resumo, "um passo à frente no 'abismo social'".

"O arrocho fiscal imposto pelas políticas de austeridade econômica tem promovido o desmonte de políticas públicas e permitido uma nova agenda do governo, com aumento da influência privada nas decisões estatais e um redirecionamento dos esforços do Estado", diz o documento. "Essa nova postura de política fiscal cumpre a perversa função de reverter os avanços conquistados nas últimas décadas no acesso a bens públicos e na redução da pobreza, assim como a melhora recente no mercado de trabalho e o aumento do poder de barganha dos trabalhadores."

No caso da saúde, por exemplo, políticas de austeridade tendem a piorar o quadro, na medida em que cortam recursos do sistema e reduzem a proteção social. "O resultado é, por exemplo, o aumento da mortalidade infantil, que voltou a crescer em 2017 depois de 26 anos de queda", diz o texto. A EC 95 acaba com as perspectivas de melhora da saúde pública. De acordo com simulação que integra o relatório, os recursos federais destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS), até 2036, cairão de 1,7% para 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB). E despesas do Ministério da Saúde transferidas a estados, municípios e Distrito Federal cairão em dois terços.

No caso da educação, a emenda "inviabiliza definitivamente o Plano Nacional de Educação", afirma o documento. "E vai contra a última recomendação do Comitê das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança (CRC) ao Brasil (feita em 2015), que enfatizou a necessidade de 'garantir os recursos para a implementação do PNE, mesmo em tempos de crise'."

Com quase 30 colaboradores, o documento foi coordenado pelos economistas Esther Dweck (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Ana Luíza Matos de Oliveira (Universidade Federal de Minas Gerais) e Pedro Rossi (Universidade Estadual de Campinas). Além de saúde e educação, trata de áreas como seguridade social, meio ambiente, cultura, segurança, moradia, agricultura familiar, reforma agrária, gênero, raça e direitos humanos.

Eles argumentam que a EC 95 "é um projeto de desconstrução do pacto social de 1988 naquilo que ele tem de melhor: a cidadania social", além de um "equívoco macroeconômico". E receitam justamente o caminho oposto.

"O desenvolvimento brasileiro deve passar pela redução das desigualdades e pela ampliação do acesso aos bens e serviços públicos em contexto de aprofundamento democrático", afirmam os autores do documento. "Nesse projeto, a ampliação do gasto social é fundamental como ferramenta de desenvolvimento e para aumentar o impacto redistributivo da politica fiscal. Em um país tão desigual como o Brasil, a garantia de recursos do orçamento público para atender as demandas sociais é fundamental para viabilizar o exercício de direitos e da própria cidadania social." 

Longe de ser uma "necessidade técnica", afirmam, a austeridade é uma "opção política-ideológica".

Fonte: JL/RBA
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
15/08/18, 21:41 | ELEIÇÕES 2018 - Patrimônio dos 13 presidenciáveis chega a R$ 834 milhões
15/08/18, 21:15 | INVESTIGAÇÃO - Alckmin depõe em inquérito que investiga suspeita de caixa 2
15/08/18, 21:02 | APOIO - Com milhares de pessoas, candidatura de Lula é registrada no TSE
15/08/18, 20:55 | POLÍTICA - Wellington Dias recebe Haddad em primeira visita ao Nordeste
15/08/18, 16:50 | ECONOMIA - Número de pontos comerciais volta a crescer no 1º semestre, diz CNC
15/08/18, 16:38 | INTERNACIONAL - Novo presidente do Paraguai promete combater a impunidade
15/08/18, 16:28 | ECONOMIA - Supermercados desperdiçam R$ 3,9 bi em alimentos por ano
15/08/18, 15:33 | ESTATÍSTICA - Com a economia em crise, Brasil tem 12,5 milhões de jovens com o 'nome sujo'
15/08/18, 15:02 | MUNDO - Ataque em escola de Cabul deixa pelo menos 48 mortos
15/08/18, 14:54 | POLÍTICA - Cabo Daciolo ultrapassa Meirelles, Boulos e João Amoêdo
15/08/18, 14:39 | INTERNACIONAL - Papa Francisco lamenta tragédia em Gênova, na Itália
15/08/18, 14:32 | DENATRAN - CNH poderá ser renovada sem que o motorista precise ir ao Detran
15/08/18, 14:26 | POLÍTICA - Patrimônio do senador Ciro Nogueira cresce mais de 1.000% em oito anos
15/08/18, 14:14 | CRIME - Ministério Público do Rio denuncia 'Dr. Bumbum' por homicídio
15/08/18, 11:55 | OPINIÃO PÚBLICA - Paraná Pesquisas aponta novamente Lula como líder nas intenções de voto
15/08/18, 11:12 | ELEIÇÕES 2018 - Governador do Piauí reforça apoio a Haddad, caso Lula seja impedido
15/08/18, 11:08 | POLÍTICA - Lula diz que não pretende morrer, nem renunciar: 'Vou brigar'
15/08/18, 10:51 | TRAGÉIDA NA ITÁLIA - Sobe para 39 o número de mortos na queda de ponte em Gênova
15/08/18, 10:46 | SAÚDE PÚBLICA - Erros em hospitais matam 148 pessoas por dia no Brasil, mostra estudo
14/08/18, 22:34 | INVESTIGAÇÃO - 2ª Turma do STF retira de Moro mais trechos de delações que citam Lula
14/08/18, 22:13 | POLÍTICA - Haddad diz que Rosa Weber deve julgar candidatura de Lula ‘sem pressões’
14/08/18, 21:56 | JUDICIÁRIO - Rosa Weber toma posse e mulheres chefiam maioria das Cortes Superiores
14/08/18, 21:35 | RECONHECIMENTO - Regina Sousa recebe pela segunda vez o Prêmio Congresso em Foco 'Melhores Senadores'
14/08/18, 21:28 | EMPREGO - Apenas mil empregadas domésticas têm carteira assinada no Piauí, segundo IBGE
14/08/18, 21:11 | INVESTIGAÇÃO - Decisão do STF confirma inocência de Ciro Nogueira na Lava Jato
14/08/18, 16:46 | LEGISLAÇÃO - Projeto que altera Lei Maria da Penha é aprovado na Câmara
14/08/18, 16:42 | ACIDENTE - Ex-goleiro do Cagliari sobrevive à queda de ponte em Gênova
14/08/18, 16:37 | POLÍTICA - Em artigo no NY Times, Lula diz que 'o tempo corre contra a democracia'
14/08/18, 15:13 | EVENTO - Ciro quer debate antes de propor reformas previdenciária e tributária
14/08/18, 15:02 | CRIMINALIDADE - Após 13 anos, polícia prende envolvido em assalto ao BC de Fortaleza
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site