CBN - A rádio que toca notícia

ROMBO

Brasil perdeu R$ 123 bilhões com esquemas de corrupção, diz Polícia Federal

Em quatro anos, a Polícia Federal deflagrou 2.056 operações contra organizações criminosas

18/06/17, 14:11

E

m quatro anos, a Polícia Federal deflagrou 2.056 operações contra organizações criminosas que provocaram prejuízos estimados em R$ 123 bilhões ao País. Os números revelam que o maior rombo não é o apurado pela Lava Jato, mas o causado pelas fraudes nos fundos de pensão investigadas na Operação Greenfield, que alcançam R$ 53,8 bilhões ou quatro vezes o valor de R$ 13,8 bilhões desviados pelo esquema que agiu na Petrobras.

Esse quadro é o resultado da conta feita pelos investigadores federais com base em valores de contratos fraudulentos, impostos sonegados, crimes financeiros e cibernéticos, verbas públicas desviadas e até mesmo danos ambientais causados por empresas, madeireiras e garimpos. Tudo misturado ao pagamento de propina a agentes públicos e políticos.

Os dados são da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Dicor), da PF, e foram obtidos pelo Estado por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

Segundo especialistas em máfias e grupos criminosos, a análise dos números mostra a mudança do perfil do trabalho da PF, priorizando a investigação patrimonial das organizações. “Há uma tendência das investigações em se preocupar mais com os aspectos patrimoniais do que acontecia há 5 anos, quando se pensava só em autoria e materialidade”, afirmou o procurador da República Andrey Borges de Mendonça.

De fato, nos últimos três anos, esse montante cresceu ano a ano, partindo de R$ 6,8 bilhões em 2014 até atingir R$ 80 bilhões em 2016, um aumento de 1.068%. Os valores sequestrados ou recuperados com as operações também aumentaram ano a ano. Em 2013, a Dicor listou R$ 6 milhões. Já no seguinte – início da Lava Jato – esse número subiu para R$ 2,6 bilhões e, em 2016, atingiu R$ 12,4 bilhões.

“Isso também mostra as prioridades adotadas pela Polícia Federal”, disse o juiz aposentado e ex-secretário nacional antidrogas Wálter Maierovitch, que participou como perito convidado da Convenção de Palermo. Organizada pelas Nações Unidas em 2000, a convenção, da qual o Brasil é signatário, definiu as regras de combate ao crime organizado.

Escalada semelhante de valores pode ainda ser observada naquilo que os agentes federais chamam de “prejuízos evitados”, quando a operação interrompe a prática de crimes, antes que eles se consumem. Nesse caso, os valores subiram de R$ 2,8 bilhões em 2014 para chegar a R$ 59,1 bilhões em 2016 – e já teriam atingido R$ 12,4 bilhões no primeiro trimestre deste ano. “O objetivo é asfixiar essas organizações, pois não adianta nada investigar autoria e materialidade se não se consegue recuperar o patrimônio”, disse Mendonça.

Além do enfoque na descoberta e no sequestro dos bens das organizações criminosas, os números também mostrariam o efeito da disseminação do estilo de investigação adotado pela Lava Jato, em Curitiba, com a criação de forças-tarefa envolvendo diversos órgãos.

“O que a força-tarefa de Curitiba trouxe é essa forma nova de investigar”, disse Mendonça, que participa da forças-tarefa da Lava Jato e hoje atua nas Operações Greenfield e Custo Brasil, que investiga fraudes e corrupção no Ministério do Planejamento no governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, a PF tem de cumprir seu papel e sua missão em todos os aspectos e espectros onde tem criminalidade dentro de sua competência. “É isso o que a sociedade espera da corporação.”

E são muito os afetados. Quase 2 milhão de beneficiários de fundos de pensão investigados na Greenfield tiveram de arcar com parte dos prejuízos gerados. “A gente se sente impotente diante de tudo o que aconteceu e é preciso botar a boca no trombone para não ocorrer outra vez”, disse Suzy Cristiny Costa, da Fentect, federação do servidores dos Correios.

Ranking. Entre os dez maiores prejuízos investigados pela PF, além dos apurados pela Greenfield e Lava Jato, estão os causados pelas organizações criminosas que são alvo das Operações Acrônimo, que apura o desvio de verbas e financiamento ilícito de campanhas eleitorais, e Zelotes, que averigua crimes tributários e corrupção no Conselho de Administração de Recursos Fiscais (Carf), órgão do Ministério da Fazenda.

Há ainda os casos envolvendo as Operações Enredados – R$ 5,1 bilhões de prejuízo – em que os agentes federais apuraram crimes ambientais e pagamento de propinas no extinto Ministério da Pesca, e esquemas de fraudes tributárias, contrabando e evasão de divisas apurados nas Operações Celeno, Valeta e Huno. A lista é completada pela Janus, que verifica supostas fraudes no financiamento do BNDES para obras da Odebrecht em Angola.

Fonte: JL/Agência Estado
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
14/12/17, 21:19 | FESTIVIDADES - Luzilândia promove festividades de fim de ano com o 'Natal Luz: Um céu de Luz e Paz'
14/12/17, 18:43 | CRIME - Pai é condenado a 13 anos de prisão por estuprar a filha de três anos em Teresina
14/12/17, 18:36 | CRIME - Gari atingido com cinco tiros durante o trabalho em Teresina retoma movimentos
14/12/17, 18:22 | ONG OXFAM - Políticas de Temer atrasam o país e ampliam desigualdades, diz estudo
14/12/17, 16:21 | DESCASO - UPA usa carro de passeio para transferir idoso com perna fraturada em Teresina
14/12/17, 15:33 | POLÊMICA - Rodrigo Maia anuncia votação da reforma da Previdência em fevereiro na Câmara
14/12/17, 14:47 | QUALIFICA TUR - Teresina certifica turmas de quatro cursos de qualificação em turismo
14/12/17, 14:44 | CAMPANHA - Ponte Estaiada de Teresina recebe iluminação vermelha na luta contra Aids
14/12/17, 14:38 | ENSINO - Alunos de 13 escolas de Teresina participam de Torneio de Xadrez
14/12/17, 13:23 | VIOLÊNCIA - Passageiros sofrem fraturas ao tentar fugir de assalto em ônibus em Teresina
14/12/17, 13:01 | LUTO - Primeira mulher a ingressar no Ministério Público morre aos 105 anos
14/12/17, 12:54 | SHOW - Chico diz que saída de Temer 'é pouco' em estreia de 'Caravanas'
14/12/17, 11:37 | POLÍTICA - Povo reconhece o preparo de Jaqkeline Aguiar para governar Luzilândia
13/12/17, 21:28 | DECISÃO - Reforma Trabalhista de Temer faz sua primeira vítima: ex-funcionária é condenada a pagar R$ 67 mil
13/12/17, 18:53 | INCONSTITUCIONALIDADE - Auditores entram com representação contra Temer no STF
13/12/17, 18:30 | ARTIGO - A equidade nos julgamentos justos
13/12/17, 17:25 | FIM DE ANO - Papai Noel é alvo de pedradas de crianças ao ficar sem balas em SP
13/12/17, 17:08 | CELEBRIDADE - Jaque Khury posta foto de biquíni e desabafa: "Peso não é referência"
13/12/17, 17:02 | POLÊMICA - Congresso derruba veto de Temer a limite de autofinanciamento e barra campanha milionária
13/12/17, 16:50 | TRANSPARÊNCIA - Tribunais ignoram determinação do CNJ e não divulgam salários de magistrados
13/12/17, 16:45 | HISTÓRIA - Há 49 anos, ditadura decretava o AI-5 inaugurando o terror como política
13/12/17, 16:31 | ENSINO - Professora faz campanha em Teresina e garante formatura para mais de 50 alunos
13/12/17, 16:28 | PROTESTO - Casal faz greve de fome há 21 horas em Teresina contra reforma da previdência
13/12/17, 16:22 | ENTREVISTA - Globo e a corrupção no futebol: 'Vai ser muito difícil jogar para debaixo do tapete'
13/12/17, 16:12 | CONFUSÃO - Flamenguistas são presos após confronto com torcedores do Independiente
12/12/17, 21:47 | MEA CULPA - “As redes sociais estão dilacerando a sociedade”, diz um ex-executivo do Facebook
12/12/17, 21:44 | APOIO - Temer pede ajuda de empresários para angariar votos a favor da reforma
12/12/17, 18:47 | JUDICIÁRIO - Tribunal marca julgamento de Lula no caso tríplex para 24 de janeiro
12/12/17, 18:42 | CORRUPÇÃO - STF torna senador Agripino Maia réu por desvios em arena da Copa em Natal
12/12/17, 18:22 | PROPINA - Aécio Neves pede mais prazo para apresentar defesa ao STF
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site