CBN - A rádio que toca notícia

AFRONTA

Fundo político-eleitoral retira R$ 70 milhões de verbas da Saúde

Com a verba destinada para as eleições, o orçamento de 2018 do Fundo Nacional de Saúde (FNS) perderá verbas que haviam sido previstas

12/11/17, 17:14

O

fundo eleitoral de R$ 1,75 bilhão aprovado pelo Congresso Nacional em outubro para custear campanhas com dinheiro público vai reduzir a aplicação de verbas na saúde, diferentemente do que os parlamentares prometeram quando propuseram o novo gasto. O modelo passou como uma alternativa à proibição das doações eleitorais por empresas.

A destinação de parte das emendas parlamentares ao Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) pode retirar, em cálculos conservadores, R$ 70,3 milhões originalmente destinados a despesas com saúde, segundo levantamento feito pelo jornal 'O Estado de S. Paulo'. O valor não foi considerado na manifestação da Advocacia-Geral da União (AGU) assinada pelo presidente Michel Temer e enviada ao Supremo Tribunal Federal, na última quinta-feira, dia 9 de novembro, em uma ação que questiona o fundo. No documento, o órgão afirma que investimentos do governo em áreas sociais, como a saúde, não serão prejudicados.

Com a verba destinada para as eleições, o orçamento de 2018 do Fundo Nacional de Saúde (FNS) perderá verbas que haviam sido previstas, no mês passado, por senadores e deputados de pelo menos três Estados: Ceará, Paraíba e Santa Catarina. O corte na saúde pode aumentar, a depender de como os parlamentares dos demais Estados vão decidir sacrificar suas emendas para dar a contribuição obrigatória às campanhas. A definição será feita nas próximas semanas na Comissão Mista de Orçamento (CMO).

O fundo eleitoral será composto de R$ 1,3 bilhão em emendas coletivas impositivas somado aos R$ 450 milhões advindos do fim da compensação fiscal para TVs na exibição de propaganda partidária. Dessa forma, cada uma das 27 bancadas estaduais vai retirar R$ 48,7 milhões do valor originalmente destinado em emendas ao Orçamento que haviam sido assinadas por deputados e senadores e cuja execução pelo governo era obrigatória. Antes da lei, cada uma delas dispunha de um total de R$ 162,4 milhões. Agora, 30% desse valor será destinado às campanhas eleitorais.

Unidades médicas

No caso do Ceará, por exemplo, os parlamentares alocaram toda a verba impositiva (R$ 162,4 milhões) em apenas uma emenda do FNS, para manutenção de unidades médicas. Ou seja, o corte de R$ 48,7 milhões vai recair obrigatoriamente na área da saúde.

A ata das emendas traz a assinatura do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), um dos que negavam durante a tramitação da proposta que saúde e educação perderiam verba. "Não aceito nada de fonte que mexa um centavo de saúde e educação", disse ele à época. Um dos idealizadores da ideia, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), fez coro: "A proposta que eu fiz não tira dinheiro da educação, da saúde, de lugar nenhum".

Já os parlamentares da Paraíba enviaram R$ 129 milhões para manutenção dos equipamentos de saúde e R$ 33,4 milhões para a construção do sistema adutor do ramal do Piancó pelo Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs).

A obra, relacionada à transposição do Rio São Francisco, é tida pelos políticos como fundamental para garantir o abastecimento de água no interior paraibano, o que tem impacto na saúde pública. Ainda que retirassem toda a verba do Piancó para bancar campanhas, os parlamentares ainda teriam de remanejar mais R$ 15,3 milhões do FNS para atingir a cota de R$ 48,7 milhões como contribuição ao fundo.

Equipamentos

A situação é semelhante em Santa Catarina. A bancada reservou R$ 42,4 milhões do Orçamento da União no próximo ano para a compra de equipamentos agrícolas, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Mesmo que os parlamentares catarinenses redistribuam toda essa quantia para o fundo bilionário de campanha, ainda terão de transferir R$ 6,3 milhões dos R$ 120 milhões dados ao Fundo Nacional de Saúde para aplicar no fundo eleitoral.

Existem ainda casos como o do Espírito Santo, em que as duas emendas impositivas foram divididas entre saúde (R$ 52,4 milhões para compra de ambulâncias) e educação (R$ 110 milhões para a Universidade Federal do Espírito Santo), justamente as áreas que não seriam mexidas.

Fonte: JL/Estadão
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
25/11/18, 14:31 | SAÚDE - Mães de bebês com microcefalia vivem novos desafios
25/11/18, 13:55 | ELEIÇÃO - Neta de Bernardo Dias é eleita vice-presidente da OAB em Parnaíba
24/11/18, 19:02 | ECONOMIA - Vendas de comércio eletrônico na Black Friday 2018 crescem 23%
24/11/18, 18:57 | POLÊMICA - Em petição a Fux, juízes querem manter vantagem do auxílio-moradia
24/11/18, 18:51 | PROGRAMAS - Presidente eleito diz que programas sociais passarão por auditoria
24/11/18, 18:48 | POLÊMICA - Bolsonaro cogita criação de campo de refugiados para venezuelanos
24/11/18, 18:00 | MUNDO - Paris vive dia de caos em novo protesto contra Macron
24/11/18, 14:29 | VIOLÊNCIA - Briga de vizinhos termina em morte em Teresina, diz polícia
24/11/18, 14:07 | SAÚDE PÚBLICA - Ministério inicia campanha nacional para estimular doação de sangue
24/11/18, 13:39 | GESTÃO PÚBLICA - Governadores eleitos vão participar de curso de gestão em Oxford
24/11/18, 12:45 | JUDICIÁRIO - Ministro libera voto e STF pode julgar descriminalização da maconha
24/11/18, 12:41 | REFORMAS - Sérgio Moro diz que vai propor um “Plano Real” contra a criminalidade
24/11/18, 12:14 | SAÚDE - Adiamento de cirurgia abre especulações sobre saúde de Jair Bolsonaro
24/11/18, 12:05 | CORRUPÇÃO - MP pede que Aécio devolva R$ 11,5 milhões gastos com voos particulares
24/11/18, 09:58 | JUSTIÇA - Barroso diz que corruptos serão perdoados, caso STF mantenha indulto
24/11/18, 09:55 | CRIME - Ministro: envolvimento de poderosos na morte de Marielle é certeza
24/11/18, 09:51 | POLÍTICA - TSE vai julgar contas da campanha de Bolsonaro no dia 4 de dezembro
23/11/18, 19:34 | SAÚDE - Infecção adia cirurgia de Jair Bolsonaro para depois da posse
23/11/18, 19:29 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Delegada indicada Moro diz que ainda há pessoas dispostas a roubar
23/11/18, 19:26 | ANTICORRUPÇÃO - Moro apresentará no início do governo projeto de combate ao crime
23/11/18, 19:05 | REPERCUSSÃO - Entidades de 87 países assinam moção contra censura a professores no Brasil
23/11/18, 14:27 | ECONOMIA - Desvalorizar salário mínimo e aposentadorias agravará crise social
23/11/18, 14:03 | SAÚDE PÚBLICA - Semana Nacional de Combate ao Aedes começa domingo
23/11/18, 14:00 | SAÚDE - Câncer: segunda causa de morte entre crianças e adolescentes
23/11/18, 12:13 | PARLAMENTO - Comissão aprova projeto que impede remoção de veículo por débito de IPVA
23/11/18, 12:06 | TRANPORTE - Aplicativos de transporte poderão ter limite de comissão por corrida
23/11/18, 11:55 | SAÚDE PÚBLICA - Programa Mais Médicos já registra 84% das vagas definidas
23/11/18, 09:34 | CRIME - Nova fase da Lava Jato cumpre 22 mandados de prisão
23/11/18, 09:30 | TRANSIÇÃO - Futuro presidente do BB fala em "privatizar o que for possível"
23/11/18, 09:19 | DIREITOS HUMANOS - Alunos do DF criam painel em alusão à Declaração dos Direitos Humanos
« Anterior 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 | 301 - 330 | 331 - 360 | 361 - 390 | 391 - 420 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site