CBN - A rádio que toca notícia

POLÊMICA

Deputados divergem sobre reforma trabalhista, que entra em vigor hoje

Pelas novas regras, a negociação entre empresas e trabalhadores prevalecerá sobre a lei em pontos como parcelamento das férias, flexibilização da jornada, entre outros

11/11/17, 15:20

E

ntra em vigor neste sábado (11) a reforma trabalhista aprovada neste ano pelo Congresso Nacional (Lei 13.467/17), com mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT - 5.452/43). A nova legislação amplia a negociação entre patrões e empregados em torno de alguns direitos e cria novas modalidades de contratação, como o trabalho intermitente; um tipo de trabalho que não tem jornada fixa, sendo pago por período trabalhado.

Pelas novas regras, a negociação entre empresas e trabalhadores prevalecerá sobre a lei em pontos como parcelamento das férias, flexibilização da jornada, participação nos lucros e resultados, intervalo de almoço, plano de cargos e salários, banco de horas, remuneração por produtividade e trabalho remoto. 

Também a rescisão poderá ser negociada com pagamento de metade do aviso prévio e metade da multa de 40% sobre o saldo do FGTS. Neste caso, o trabalhador poderá movimentar até 80% do valor depositado no FGTS, mas não terá direito ao seguro-desemprego.

O deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), que foi relator do projeto de lei na Câmara, explica que a população em idade de trabalhar é de 140 milhões no Brasil, mas um contingente bem menor tem carteira assinada.

"São 90 milhões de brasileiros que, ou são desempregados, ou são subempregados, ou são autônomos, ou são microempresários, ou são trabalhadores intermitentes; enfim, um número muito maior do que aqueles formalizados está à margem da legislação, que era restritiva”, argumentou.

Ele acredita que a flexibilização da lei vai permitir a entrada dos que estão à margem da legislação. “Vai dar segurança, por exemplo, a Previdência Social pressupõe tanto a questão da aposentadoria quanto do seguro eventual de um acidente de trabalho", afirmou.

Mas o presidente da Comissão de Trabalho da Câmara, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), não acredita em aumento do emprego formal com a nova lei e prevê muitas ações na Justiça.

"Eu tenho certeza que essas mudanças na CLT vão piorar muito as condições do trabalho. Não é lei que gera emprego. Há 5 anos, o Brasil vivia o que tecnicamente os economistas chamam de pleno emprego, quando o desemprego está abaixo da taxa de 5%. E foi com a lei anterior, tal qual ela existia. Portanto, é falsa a ideia de que mudar a CLT é imperioso para a geração de empregos, para melhorar a qualidade do emprego. O que se viu foram medidas para atender aos interesses dos empresários", lamentou.

Outras mudanças

Desde que haja concordância do empregado, as férias poderão ser divididas em até três períodos, sendo que um deles não poderá ser inferior a quatorze dias corridos e os demais não poderão ser inferiores a cinco dias corridos, cada um. Também é vedado o início das férias no período de dois dias que antecede feriado ou dia de repouso semanal remunerado.

A reforma trabalhista também regulamentou o trabalho em casa, sem controle de jornada e com remuneração por tarefa. O trabalho parcial passou de 25 para 30 horas semanais. E a jornada de 12 horas em um único dia, seguida de descanso de 36 horas, poderá ser acordada entre as partes.

A contribuição sindical não será mais obrigatória e a multa por deixar de registrar um trabalhador será de R$ 3 mil, caindo para R$ 800 no caso de micro e pequenas empresas.

Fonte: JL/Agência Câmara
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
05/11/17, 14:04 | EDUCAÇÃO - Quase 150 mil candidatos fazem o Enem no Piauí
05/11/17, 13:56 | MUNDO - Arábia Saudita decreta prisão de príncipes e ministros por corrupção
05/11/17, 13:44 | FÉ & ESPERANÇA - Em carta ao Papai Noel, menino de SC pede tratamento para o câncer: 'tenho medo de morrer'
05/11/17, 13:07 | ARTIGO - Direito Penal - doença mental, psicopatia e mente doentia
05/11/17, 11:59 | ECONOMIA - Novo Refis de Temer deixa rombo de R$ 4 bi no Orçamento de 2018
05/11/17, 11:51 | ENTREVISTA - Ministro do STF questiona moralidade da eventual candidatura de Lula
05/11/17, 09:32 | ESPORTE - Kaká ganha placa em seu último jogo pelo Orlando City
04/11/17, 22:11 | PROVAS - Inep não vai recorrer de decisão do Supremo sobre redação do Enem
04/11/17, 22:07 | EDUCAÇÃO - STF nega pedidos para zerar redação do Enem que ferir direitos humanos
04/11/17, 21:57 | POLÍTICA - TSE vai julgar Bolsonaro e Lula por antecipação de campanha eleitoral
04/11/17, 21:52 | CRIME - Homens armados invadem partida de futebol e matam dois no RN
04/11/17, 21:18 | POLÊMICA - Justiça persegue juízes por protestar contra o impeachment, mas esquece os que foram a favor
03/11/17, 15:52 | CRIME - Governo suspende parte das investigações da Lava Jato
03/11/17, 15:42 | MUNDO - Merkel é eleita a mulher mais poderosa do mundo pela 7ª vez
03/11/17, 15:29 | EDUCAÇÃO - Enem: cerca de 5 milhões já consultaram seus locais de prova
03/11/17, 14:54 | ESPORTE - COI lança manual de proteção de atletas contra assédio e abusos
03/11/17, 14:00 | LEGISLAÇÃO - Proibir delações de presos é tentativa da Câmara de destroçar Lava Jato
03/11/17, 13:45 | POLÊMICA - ‘Acabou a ingenuidade’ em casos de corrupção, diz juiz do recurso de Lula
03/11/17, 12:53 | ARTIGO - RELEVÂNCIA DO DIREITO: Juízo de Prelibação e Juízio de Delibação
03/11/17, 12:36 | POLÍTICA - Ex-presidente Lula divide o Brasil, diz jornal 'Washington Post'
03/11/17, 12:32 | CRIME - Réus com dupla nacionalidade atrapalham processos de Moro na Lava Jato
03/11/17, 12:21 | OPINIÃO - LEIA O ARTIGO - Temer: o nada
02/11/17, 18:25 | ECONOMIA - Desigualdade entre homens e mulheres aumenta. Brasil cai 11 posições em ranking
02/11/17, 17:52 | CRIME - Família de capitão teme que clamor social o leve ao suicídio na prisão
02/11/17, 17:42 | EDUCAÇÃO - Revisão para o Enem lota auditório e arrecada alimentos em Teresina
02/11/17, 17:38 | CELEBRIDADES - Gêmeas do nado exibem silhueta em biquíni
02/11/17, 17:20 | MUNDO - Justiça da Espanha decreta prisão de líderes da Catalunha
02/11/17, 17:09 | CRÍTICA - 'Poder não existe para proteger amigos', diz Barroso, sem citar Gilmar
02/11/17, 09:06 | PES - Para 74% da população, Câmara errou ao rejeitar a denúncia contra Temer
02/11/17, 08:57 | CRIME - População faz protesto pela morte de Camilla Abreu e por feminicídios no PI
« Anterior 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 | 301 - 330 | 331 - 360 | 361 - 390 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site