CBN - A rádio que toca notícia

CORRUPÇÃO & PROPINA

Delator da JBS relata pressão para ajudar Temer

Denúncia é do advogado Francisco de Assis e Silva

07/07/18, 12:08

U

m delator da JBS, o advogado Francisco de Assis e Silva, disse à Polícia Federal que foi pressionado a fechar um acordo judicial envolvendo uma das empresas do grupo para ajudar financeiramente Michel Temer.

De acordo com o depoimento, foi José Yunes, amigo há décadas do emedebista, quem insistiu para que o negócio fosse acertado e fez intermediação para outro advogado, Paulo Henrique Lucon, que estava na causa em questão.

Lucon foi nomeado por Temer para integrar a Comissão de Ética Pública da Presidência em março deste ano.

O episódio da pressão, segundo o executivo da JBS, ocorreu em junho de 2015.

Yunes foi assessor especial de seu governo até 2016, quando foi citado na delação da Odebrecht, como intermediário de pacote com R$ 1 milhão que conteria dinheiro para campanhas do PMDB.

Segundo a versão levada à PF, Temer receberia uma parte dos honorários da causa.

"Em junho de 2015, Paulo Lucon propôs ao depoente para que colassem termo final em relação aos honorários de uma ação privada envolvendo a empresa Bertin, adquirida pela JBS, e a empresa Basf, na qual Paulo Lucon possuía honorários que, segundo ele, totalizavam R$ 60 milhões, ocasião em que o depoente informou para Lucon que de forma alguma teria interesse em realizar tal acordo uma vez que entendia que a causa seria ganha pela JBS", disse Assis e Silva à PF. O depoimento é de 23 de maio deste ano.

"Que, então, Yunes insistiu com o depoente para que repensasse sobre tal acordo com Lucon, uma vez que o então vice-presidente Michel Temer teria participação nos honorários que Lucon pleiteava na causa", completou.

O advogado da JBS afirmou desconhecer a relação comercial entre Lucon, Yunes e Temer. O caso não entrou na colaboração premiada da empresa. O depoimento de Assis e Silva aconteceu em meio à investigação da participação do ex-procurador Marcello Miller na delação.

O executivo afirmou à PF que não delatou o episódio por achar que era uma questão de "âmbito privado, sem ocorrência de ilícitos". Segundo o advogado, Yunes procurou primeiro Joesley Batista, dono da JBS. "Que depois indagou Joesley sobre o encontro, ao que foi informado por Joesley que o pedido partiu direto de Yunes para que fosse atendido por alguém de jurídico".

OUTRO LADO

Yunes disse que "exerce a advocacia de forma ética há mais de 50 anos e jamais utilizou influência política em seu trabalho". Para o ex-assessor de Temer, a "acusação do delator é falsa e representa mais uma ilegalidade na questionável delação da JBS". Em nota, o Planalto afirmou que "o presidente não teve qualquer participação neste processo e desconhece essa ação".

Paulo Lucon disse que "nunca houve qualquer tipo de pressão para ser feito acordo" e afirmou que a declaração do delator é "mentira". Lucon disse ainda que Yunes agiu como advogado, e que, na qualidade de mediador, atuou na tentativa de solucionar o conflito dentro da legalidade.

Amigo de Temer há mais de 30 anos, tendo atuado como consultor do presidente em ação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Lucon disse que a mediação não chegou a ocorrer porque a JBS se recusou a pagar seus débitos que foram seguidas vezes reconhecidos pela Justiça.

Segundo o advogado, Temer nada tem a ver com o caso.

"Joesley e seu grupo desejam, das formas mais baixas e com ilações infundadas, distorcer a realidade e incriminar Michel Temer", afirmou.

Para o advogado, a maior prova de que não houve pressão é que até hoje a JBS não pagou o que deve, mesmo após seguidas e reiteradas decisões judiciais reconhecendo as obrigações da JBS com a Basf. "O processo é público e a falta de pagamento está lá demonstrada. O resto é invencionice de mal pagador."

Fonte: JL/Folha de S. Paulo
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
03/02/19, 11:00 | PARLAMENTO - Senador de poucos discursos e muitas articulações, o Davi que derrotou Renan terá de pacificar o Senado
03/02/19, 10:45 | ARTIGO - Itália no turbilhão do euro
02/02/19, 22:33 | ELEIÇÃO DO SENADO - Davi Alcolumbre: 'O Senado não pode se curvar à intromissão do Judiciário e de qualquer outro Poder'
02/02/19, 19:23 | CRIME - Empresário é preso sob suspeita de arrastar a sogra por 30 m em veículo
02/02/19, 19:21 | RECUPERAÇÃO - Bolsonaro se sente mal e usa sonda para alimentação
02/02/19, 19:09 | SUCESSÃO - Davi Alcolumbre é eleito presidente do Senado Federal
02/02/19, 18:57 | ARTIGO JURÍDICO - Consulta Tributária Vinculante
02/02/19, 18:04 | URNA - Após confusão de voto duplo, senadores decidem fazer nova votação
02/02/19, 18:01 | TRAGÉDIA - Moradores de Brumadinho negam ter recebido orientações de evacuação
02/02/19, 17:57 | TRAGÉDIA - Custos da União com Brumadinho serão cobrados da Vale, diz AGU
02/02/19, 16:33 | TRAGÉDIA - ‘Se é para prender alguém, que seja o presidente da empresa da Vale’, diz engenheiro
02/02/19, 16:16 | CRIMINALIDADE - Rio de Janeiro tem sexto policial militar morto em 2019
02/02/19, 15:46 | INTERNACIONAL - Principais cidades da Venezuela têm manifestações contra Maduro
02/02/19, 15:22 | OPINIÃO - O gabinete de Toffoli é uma farmácia que só atende alguns pacientes
02/02/19, 14:58 | POLÍTICA - Onyx Lorenzoni x Paulo Gudes: Disputa no Senado revela racha no núcleo duro do governo Bolsonaro
02/02/19, 13:55 | ABUSOS SEXUAIS - Filho de João de Deus é preso por coação e corrupção a testemunha
02/02/19, 13:49 | INVESTIGAÇÃO - Raquel Dodge cria força-tarefa para investigar rompimento de barragem
02/02/19, 13:46 | TRAGÉDIA - Em Brumadinho, um ritual de dor e angústia se repete entre as famílias
02/02/19, 10:19 | SERVIÇO - Agespisa conclui serviço em Luzilândia e abastecimento é retomado
02/02/19, 10:15 | PREMIAÇÃO - Banco de Alimentos da Nova Ceasa recebe Prêmio Piauí Inclusão Social
02/02/19, 10:02 | DISCURSO - Em posse de deputados, governador pede união e diálogo pelo Piauí
02/02/19, 09:23 | INFRAESTRUTURA - Autoridades vão fiscalizar 3,3 mil barragens com risco neste ano
02/02/19, 09:20 | TRAGÉDIA - Brumadinho: famílias recebem doações de alimentos, água e roupas
02/02/19, 09:17 | POLÍTICA - Dias Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado
02/02/19, 09:12 | POLÍTICA - Rodrigo Maia é reeleito presidente da Câmara dos Deputados
01/02/19, 13:44 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Presidente do STJ manda soltar tucano Beto Richa, ex-governador do Paraná
01/02/19, 13:39 | CELEBRAÇÃO - Agentes fazem cerimônia em homenagem às vítimas da barragem da Vale
01/02/19, 13:33 | JUDICIÁRIO - Mourão diz que Supremo saberá tomar decisões que o país precisa
01/02/19, 13:29 | POLÍTICA - Toffoli defende pacto entre os poderes para aprovação de reformas
01/02/19, 11:48 | PARLAMENTO - Dos 70 deputados eleitos do Rio, seis estão presos e devem adiar posse
« Anterior 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 | 301 - 330 | 331 - 360 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site