CBN - A rádio que toca notícia

CRIME

Homem finge ser gerente da Caixa e faz mais de 40 vítimas em Teresina

Suspeito dizia ser gerente da Caixa Econômica Federal, gerente da SDU, e até sobrinho de senador do Piauí. Prejuízo total gira em torno de R$ 300 mi

11/01/18, 17:56

O

sonho da casa própria levou pelo menos 42 pessoas a serem vítimas de uma suposta quadrilha de estelionatários que atua em Teresina e Parnaíba há quatro anos. Segundo a Polícia Civil, o grupo formado por pelo menos seis pessoas cobrava de R$ 1.500 até R$ 14 mil para acelerar o processo de compra de imóveis do programa Minha Casa Minha Vida em troca de quantias em dinheiro. O prejuízo calculado até o momento gira em torno de R$ 300 mil.

A polícia informou que o homem apontado como líder da quadrilha se apresentava como gerente da Caixa Econômica Federal, como gerente habitacional da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) ou como corretor de imóveis, e dizia ser sobrinho do senador Elmano Férrer (PMDB-PI).

O G1 procurou a assessoria do senador Elmano Férrer, que esclareceu que a avó do suspeito envolvido no caso citado é sua prima de segundo grau. O senador reiterou que não possui nenhum tipo de relacionamento pessoal com o mesmo. O parlamentar disse esperar que tudo seja apurado e, em caso de confirmação das acusações, que haja as devidas punições.

Assim, o suspeito ganhava a confiança das pessoas e cobrava os valores para acelerar o processo de compra de um imóvel do programa. Depois de receber o dinheiro, as pessoas do grupo desapareceram: não respondiam mensagens, não atendiam e nem retornavam ligações.

O advogado Jairo Braz, que representa algumas das vítimas do grupo, contou que o homem apontado como líder entregou às vítimas diversos documentos falsos como sendo da prefeitura e da Caixa Econômica. Os valores foram tanto depositados na conta bancária dele como de outras três pessoas, além de dinheiro entregue em espécie. “Os valores variam: R$ 8 mil, R$ 10 mil, R$ 14 mil. Ele falava que era para acelerar a burocracia do processo”, disse o advogado.

Marianni Campelo, uma das vítimas do grupo, soube do "serviço" ofertado pela quadrilha através de colegas de trabalho, em outubro de 2017. “Havia uma pessoa do meu trabalho que estava comprando. Dizia que o irmão dela conhecia esse homem. Marcamos um encontro com o irmão dela e ele, e a gente começou, ele sempre tratando como gerente da Caixa e o irmão da minha colega como um amigo pessoal dele, batendo no peito e dizendo que podia confiar”, contou Marianni. A proximidade fez com que acreditasse que tudo correria bem.

Marianni pagou R$ 6.178. Parte do dinheiro foi entregue em um depósito bancário e outra feita em espécie.
 
“A previsão para assinar a documentação ficou para janeiro”, relembra. A partir do ano novo, ela não conseguiu mais falar com o líder da quadrilha nem com o irmão da colega de trabalho.

“A gente percebe que é uma quadrilha. No emprego, barzinho, qualquer lugar eles vão conquistando com uma proposta boa, dizendo que é de família, que tem emprego, que não ia fazer isso e sempre bem apresentado”, comentou a vítima.

Carmen Célia e o marido foram vítimas da quadrilha ainda em 2014 e foram até a delegacia após o caso ser divulgado na mídia local. “Ele dizia que era sobrinho de um senador piauiense. Isso dava uma confiança para a gente”. Além dela, outras cinco pessoas de sua família também foram enganadas. “Ele levou todos para escolher o lote lá no Vale do Gavião e escolhemos cada um o seu. Depois disso, nunca mais ele apareceu”.

Após diversas vítimas denunciarem o caso em vários Distritos Policiais diferentes em Teresina, o delegado Mamede Rodrigues, do 6º DP, foi nomeado delegado especial para este caso. A polícia já conhece a localização do suposto líder da quadrilha de estelionatários. O homem será intimado a prestar depoimento e caso se recuse, será pedida sua prisão. Outro inquérito, com outras vinte vítimas, também corre na Delegacia de Parnaíba.

De acordo com o investigador Joatan Gonçalves, o grupo poderá ser indiciado pelos crimes de estelionato, formação de quadrilha, falsidade ideológica e falsificação de documentos. “Na nossa contabilidade já vai para 42 pessoas. Deus sabe lá quantos vão aparecer mais”, disse Joatan. Segundo o investigador, as vítimas imaginavam se tratar de um procedimento legal.

“Ora, se um homem de cargo alto na SDU diz que tenho que pagar essa quantia, bem, eu não entendo disso, então acho que é devido. Não podemos de início culpar as vítimas, essas pessoas foram induzidas ao erro”, comentou o Joatan.

Fonte: JL/G1PI
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
08/01/18, 11:29 | POLÍTICA - Na TV, Huck diz que trabalha na política para trazer novos candidatos
08/01/18, 11:24 | PESQUISA - Datafolha: apoio à pena de morte bate recorde entre os brasileiros
08/01/18, 11:20 | POLÍTICA - Temer pode perder mais 17 ministros e ser o recordista de baixas pré-eleições
08/01/18, 11:12 | COTAS - Pagamento do PIS/Pasep para trabalhadores com mais de 60 anos começa dia 24
08/01/18, 11:09 | CRISE PRISIONAL - Cármen Lúcia inspeciona presídios em Goiás onde ocorreram rebeliões
07/01/18, 19:36 | POLÊMICA - Alvos da Lava Jato não têm luxo, só podem pagar advogados, diz 'mãe dos presos'
07/01/18, 19:19 | FESTA - Blocos fazem 'abertura não oficial do carnaval de rua' no Centro do Rio
07/01/18, 19:05 | ELEIÇÕES - Cunha da cadeia, comandará campanha da filha, que Moro deixou de lado
07/01/18, 18:55 | DENÚNCIA - Emendas parlamentares pagaram shows de Wesley Safadão e duplas sertanejas
07/01/18, 18:53 | POLÍTICA - Presidenciáveis mudam discurso e defendem posições que antes criticavam
07/01/18, 18:40 | VATICANO - Papa defende amamentação em público: 'Linguagem de amor'
07/01/18, 13:41 | POLÍTICA - Depois de Huck, Datena é convidado para ser candidato à presidência
07/01/18, 13:15 | ORÇAMENTO - Liberação de emendas bate recorde com Temer
07/01/18, 12:58 | VIOLÊNCIA - Homem é assassinado a facadas por amigo após discussão em bar no Piauí
07/01/18, 12:54 | PROPINA - Joesley reafirma que Serra pediu R$ 20 mi para campanha, diz site
07/01/18, 12:39 | JUSTIÇA ELEITORAL - Patrimônio dos Bolsonaro cresceu consideravelmente com a política
07/01/18, 12:22 | CORRUPÇÃO - Moro manda PF manter aberto 'inquérito mãe' da Lava Jato
06/01/18, 18:23 | DESCASO - Urgência de Teresina atendeu mais de 7 mil pessoas com lesão ocular
06/01/18, 18:03 | ECONOMIA - Teresina recebe mais de R$ 85 milhões de recursos de Ministério
06/01/18, 17:33 | AC IDENTE - Moradora deixa vela acesa e incêndio atinge apartamento no Torquato Neto, em Teresina
06/01/18, 17:02 | OPERAÇÃO - A trágica história do reitor cuja morte pôs em xeque os excessos da PF e da Justiça
06/01/18, 16:15 | CRISE - Rio Grande do Norte decreta estado de calamidade na segurança pública
06/01/18, 16:00 | CORRUPÇÃO - PF envia 50 perguntar a Temer em investigação sobre Porto de Santos
05/01/18, 17:01 | POLÊMICA - Estados Unidos declaram ‘guerra’ à legalização da maconha
05/01/18, 16:57 | QUALIDADE DE VIDA - Nove em cada dez brasileiros dizem ter medo de envelhecer
05/01/18, 16:53 | JUDICIÁRIO - Cármen Lúcia prorroga investigações sobre Dirceu, Jucá e Renan
05/01/18, 15:56 | ECONOMIA - Preço da cesta básica cai em 21 capitais, diz Dieese
05/01/18, 15:40 | POLÍTICA - Até abril, mais 13 ministros devem desembarcar do governo Temer
05/01/18, 15:05 | SUCESSÃO 2018 - PF, TSE e Ministério Público vão criar grupo para combater fake news na eleição
05/01/18, 15:01 | ENTREVISTA - 'Sem uma política redistributiva, seremos o país mais desigual do mundo', diz professor
« Anterior 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 | 301 - 330 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site