CBN - A rádio que toca notícia

POLÊMICA

Para ministros do TST, pontos da lei trabalhista só valem em contrato novo

Na interpretação de uma comissão do Tribunal Superior do Trabalho, a legislação que entrou em vigor em novembro do ano passado não pode retirar direitos adquiridos

09/01/18, 16:27

U

ma comissão de ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST) avalia que alguns pontos da reforma trabalhista, em vigor desde o dia 11 de novembro, valem apenas para novos contratos de emprego. O parecer, que ainda será votado no plenário do Tribunal, é contrário ao entendimento do governo, que defende a mudança para todos os trabalhadores.

Os ministros argumentam que a reforma não pode retirar direitos adquiridos. Entre os pontos que, na interpretação deles, devem valer apenas para contratos novos ou repactuados a partir do dia 11 de novembro, estão: o fim do pagamento pelo tempo de deslocamento entre a casa e a empresa; e a proibição de incorporar gratificações e diárias de viagem ao salário.

O parecer faz parte da proposta de revisão de 34 súmulas do Tribunal. As súmulas são interpretações sobre temas específicos, que servem para uniformizar o entendimento dos juízes.

O Estadão/Broadcast obteve parte da proposta elaborada pela Comissão de Jurisprudência do TST, onde foram sugeridas mudanças em oito súmulas. O projeto já foi distribuído aos 28 ministros da Casa, que começarão a discutir o texto no dia 6 de fevereiro.

A proposta obtida pela reportagem defende que o Tribunal deve aplicar a nova lei trabalhista apenas em contratos assinados após o dia 11 de novembro, em processos relacionados ao deslocamento entre a casa e o trabalho, às gratificações e às diárias de férias incorporadas ao salário. Se o contrato for anterior à nova lei, fica aberta a possibilidade para que o funcionário cobre da empresa na Justiça. O mesmo vale para a regra que permite a um não empregado representar a empresa na Justiça, o chamado “preposto”: só vale nas ações ajuizadas após 11 de novembro.

Composta por três ministros, a Comissão argumenta que a reforma deve ser aplicada imediatamente “desde que não afete o direito adquirido do empregado ou do empregador”. A interpretação é que há “direito adquirido dos atuais empregados” pela “sistemática da lei velha” para casos em que a nova legislação pode suprimir benefícios previstos em contrato anterior à mudança.

Para valer, esse entendimento precisa da aprovação de 18 ministros – dois terços do plenário. Súmulas do TST não têm efeito vinculante como em alguns casos do Supremo Tribunal Federal (STF). Ou seja, não obriga as demais instâncias a adotar o entendimento. O mundo jurídico, porém, encara uma súmula como um posicionamento sedimentado e que, por isso, influencia parte dos juízes.

Polêmica. O entendimento proposto pelo TST é oposto ao defendido pelo governo. Procurado, o Ministério do Trabalho reafirmou que a reforma vale para todos os contratos e cita como argumento a Medida Provisória 808. Assinado em novembro, o texto afirma que a reforma “se aplica, na integralidade, aos contratos de trabalho vigentes”. “Ou seja, vale tanto para os novos contratos, quanto para os que já estavam vigentes”, defende o Ministério.

Fonte: JL/Estadão
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
09/02/18, 15:39 | POLÍTICA - Globo diz que TSE vai tirar Lula da eleição em velocidade recorde
09/02/18, 15:34 | ARTIGO - Crime de Oficial Militar - Demissão ou Exclusão a Bem da Disciplina
09/02/18, 15:28 | SENADO - Requião será relator do fim do auxílio-moradia para Judiciário
09/02/18, 15:22 | DISCURSO - Cármen Lúcia: “cidadão está cansado de todos nós, inclusive do Judiciário”
08/02/18, 21:52 | DISCÓRDIA - Eunício diz que reforma da Previdência foi 'mal vendida' pela equipe econômica do governo
08/02/18, 21:42 | OPERAÇÃO SAQUEADOR - Juiz Marcelo Bretas libera empreiteiro Fernando Cavendish da prisão domiciliar
08/02/18, 21:09 | POLÊMICA - Site do Exército mostra erros da Operação Lava Jato e ataca o MPF
08/02/18, 18:49 | INSANIDADE - Pai vítimas diz que líder de seita no PI obrigava adolescentes a ingerir fezes
08/02/18, 18:39 | DECISÃO - Assassino da estudante de Direito Camilla Abreu é expulso da PM-PI
08/02/18, 17:26 | JUDICÁRIO - Gilmar Mendes pede parecer da PGR sobre transferência de Cabral
08/02/18, 17:23 | CRIME - Justiça anula testamento de ganhador da Mega-Sena assassinado
08/02/18, 17:00 | ELEIÇÕES 2018 - Justiça Eleitoral quer permitir auditoria nas urnas no dia da votação
08/02/18, 14:05 | JUDICIÁRIO - Julgamento no STF sinaliza chance de Lula escapar da prisão
08/02/18, 13:32 | DECISÃO - Fux garantiu ganho inconstitucional a juízes, dizem juristas
08/02/18, 13:23 | POLÊMICA - Mordomias de juízes já são debatidas nas igrejas
08/02/18, 12:42 | CRIMINALIDADE - Polícia prende suspeito de participar de diversos assaltos a banco pelo PI
08/02/18, 12:38 | CRIME - Casal é preso em casa alugada para embalar drogas durante carnaval em Parnaíba-PI
08/02/18, 12:25 | LAVA JATO - Gilmar Mendes manda soltar ex-secretário de Sérgio Cabral
08/02/18, 12:07 | ARTIGO - Golpe à custa do povo
08/02/18, 10:11 | CLIMA TENSO - General se revolta, rebate Raquel Dodge e dá recado
08/02/18, 09:55 | ENTREVISTA - Bolsonaro: ‘Policial tem que ter o direito de matar se for preciso’
08/02/18, 09:48 | POSIÇÃO - 'Judiciário passou a ser refúgio de quem não tem razão', diz ministro Barroso
07/02/18, 22:47 | POLÊMICA - Marco Aurélio: revisão de prisão após 2ª instância depende do plenário do STF
07/02/18, 18:26 | SAÚDE - Brasil confirma 353 casos e 98 mortes por febre amarela desde julho de 2017
07/02/18, 18:22 | ECONOMIA - Com lucros de até R$ 53 bi em 2017, bancos fecharam mais de 17 mil postos de trabalho
07/02/18, 18:16 | POLÊMICA - ‘Quando se trata do próprio bolso, juízes se recusam a discutir’diz federal do Trabalho
07/02/18, 17:14 | LAVA JATO - Moro diz que recibos de Lula 'não são materialmente falsos
07/02/18, 17:05 | POLÍTICA - Aos gritos de “vendido”,”ladrão”, deputado antipetista não consegue mais sair as ruas
07/02/18, 14:09 | ILEGALIDADE - Mesmo com imóveis no DF, Gilmar Mendes usa casa da União
07/02/18, 13:58 | CRIME - Assessor de deputado federal é preso por tráfico de drogas em Brasília
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site