CBN - A rádio que toca notícia

CORRUPÇÃO & PROPINA

Delator da JBS relata pressão para ajudar Temer

Denúncia é do advogado Francisco de Assis e Silva

07/07/18, 12:08

U

m delator da JBS, o advogado Francisco de Assis e Silva, disse à Polícia Federal que foi pressionado a fechar um acordo judicial envolvendo uma das empresas do grupo para ajudar financeiramente Michel Temer.

De acordo com o depoimento, foi José Yunes, amigo há décadas do emedebista, quem insistiu para que o negócio fosse acertado e fez intermediação para outro advogado, Paulo Henrique Lucon, que estava na causa em questão.

Lucon foi nomeado por Temer para integrar a Comissão de Ética Pública da Presidência em março deste ano.

O episódio da pressão, segundo o executivo da JBS, ocorreu em junho de 2015.

Yunes foi assessor especial de seu governo até 2016, quando foi citado na delação da Odebrecht, como intermediário de pacote com R$ 1 milhão que conteria dinheiro para campanhas do PMDB.

Segundo a versão levada à PF, Temer receberia uma parte dos honorários da causa.

"Em junho de 2015, Paulo Lucon propôs ao depoente para que colassem termo final em relação aos honorários de uma ação privada envolvendo a empresa Bertin, adquirida pela JBS, e a empresa Basf, na qual Paulo Lucon possuía honorários que, segundo ele, totalizavam R$ 60 milhões, ocasião em que o depoente informou para Lucon que de forma alguma teria interesse em realizar tal acordo uma vez que entendia que a causa seria ganha pela JBS", disse Assis e Silva à PF. O depoimento é de 23 de maio deste ano.

"Que, então, Yunes insistiu com o depoente para que repensasse sobre tal acordo com Lucon, uma vez que o então vice-presidente Michel Temer teria participação nos honorários que Lucon pleiteava na causa", completou.

O advogado da JBS afirmou desconhecer a relação comercial entre Lucon, Yunes e Temer. O caso não entrou na colaboração premiada da empresa. O depoimento de Assis e Silva aconteceu em meio à investigação da participação do ex-procurador Marcello Miller na delação.

O executivo afirmou à PF que não delatou o episódio por achar que era uma questão de "âmbito privado, sem ocorrência de ilícitos". Segundo o advogado, Yunes procurou primeiro Joesley Batista, dono da JBS. "Que depois indagou Joesley sobre o encontro, ao que foi informado por Joesley que o pedido partiu direto de Yunes para que fosse atendido por alguém de jurídico".

OUTRO LADO

Yunes disse que "exerce a advocacia de forma ética há mais de 50 anos e jamais utilizou influência política em seu trabalho". Para o ex-assessor de Temer, a "acusação do delator é falsa e representa mais uma ilegalidade na questionável delação da JBS". Em nota, o Planalto afirmou que "o presidente não teve qualquer participação neste processo e desconhece essa ação".

Paulo Lucon disse que "nunca houve qualquer tipo de pressão para ser feito acordo" e afirmou que a declaração do delator é "mentira". Lucon disse ainda que Yunes agiu como advogado, e que, na qualidade de mediador, atuou na tentativa de solucionar o conflito dentro da legalidade.

Amigo de Temer há mais de 30 anos, tendo atuado como consultor do presidente em ação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Lucon disse que a mediação não chegou a ocorrer porque a JBS se recusou a pagar seus débitos que foram seguidas vezes reconhecidos pela Justiça.

Segundo o advogado, Temer nada tem a ver com o caso.

"Joesley e seu grupo desejam, das formas mais baixas e com ilações infundadas, distorcer a realidade e incriminar Michel Temer", afirmou.

Para o advogado, a maior prova de que não houve pressão é que até hoje a JBS não pagou o que deve, mesmo após seguidas e reiteradas decisões judiciais reconhecendo as obrigações da JBS com a Basf. "O processo é público e a falta de pagamento está lá demonstrada. O resto é invencionice de mal pagador."

Fonte: JL/Folha de S. Paulo
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
11/02/19, 19:34 | POLÊMICA - Governadores querem que reforma contemple soluções à crise dos estados
11/02/19, 15:37 | LUTO - Jogadores do Flamengo vão a hospital e visitam feridos da tragédia
11/02/19, 15:30 | REFORMAS - Pacote de Moro estimula um Estado ainda mais violento, diz defensor
11/02/19, 15:26 | REFORMA - Em 2018, com Temer, trabalhadoras domésticas enfrentaram pior ano
11/02/19, 14:41 | FEBRABAN - Carnaval: Foliões devem estar atentos ao golpe da troca do cartão
11/02/19, 14:35 | MEDIDA PROVISÓRIA - Saiba como obter a pensão por morte após as mudanças no INSS
11/02/19, 14:30 | ACIDENTE - Morre o jornalista Ricardo Boechat em queda de helicóptero em SP
11/02/19, 12:54 | EDUCAÇÃO - MEC finaliza proposta de ampliação de escolas cívico-militares no país
11/02/19, 12:49 | MUDANÇA - No Distrito Federal, ano letivo começa com escolas cívico-militares
11/02/19, 12:41 | PESQUISA - 80% dos juízes apoiam prisão em 2ª instância, diz AMB
11/02/19, 10:52 | CONTAS PÚBLICAS - CAOS: Gestões causaram 'rombo' de mais de R$ 30 milhões em Luzilândia
11/02/19, 10:04 | POLÊMICA - Cobrança de Bolsonaro sobre investigação de facada pega delegados PF de surpresa
11/02/19, 09:59 | BISBILHOTAGEM - Planalto vê Igreja Católica como potencial opositora
11/02/19, 09:42 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Ex-governador Beto Richa vira réu por corrupção passiva e organização criminosa
10/02/19, 21:31 | POLÊMICA - Aliados estão preocupados com atuação dos filhos de Bolsonaro no Congresso
10/02/19, 21:02 | TRAGÉDIA - Comissão Geral vai discutir consequências do desastre em Brumadinho
10/02/19, 20:59 | TRAGÉDIA - Flamengo manterá salários das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu
10/02/19, 20:56 | DEMANDA - Consumo de energia elétrica deve crescer 7% em fevereiro
10/02/19, 20:24 | ESPORTE - Paquetá marca o primeiro gol pelo Milan e homenageia vítimas de incêndio
10/02/19, 20:14 | POLÍTICA - Deputado pede desculpa por fala sobre ‘morte’ de Bolsonaro
10/02/19, 19:56 | TRAGÉDIA - IML do Rio identifica todas as vítimas do incêndio no CT do Flamengo
10/02/19, 11:35 | ESPORTE - Vinícius Júnior é detonado por jornal: ‘um palhaço’ e ‘sem nível para o Real
10/02/19, 11:28 | POLÊMICA - Carlos Bolsonaro insinua que Globo torceu pela morte do pai
10/02/19, 11:16 | POLÍTICA - Esposa de Sergio Moro para os congressistas: 'se virem, trabalhem mais'
10/02/19, 10:42 | POLÍTICA - PSL de Bolsonaro criou candidata laranja para usar verba pública de R$ 400 mil
10/02/19, 10:26 | INVESTIGAÇÃO - Quem é o amigo de Bolsonaro que cuida da área jurídica no caso Flávio/Queiroz
10/02/19, 10:20 | INSTITUCIONAL - PGE-AMAZONAS avança no treinamento para modernizar o órgão e dá celeridade processual
10/02/19, 10:02 | TRAGÉDIA - Incêndio no CT do Fla: o que se sabe e o que precisa ser esclarecido
08/02/19, 17:47 | TRAGÉDIA - Conheça as histórias das vítimas do incêndio no Flamengo
08/02/19, 17:44 | TRAGÉDIA - Incêndio no CT do Flamengo é destaque na imprensa mundial
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site