CBN - A rádio que toca notícia

REAÇÃO

'Reforma' trabalhista será alvo de disputa nas ruas e nos tribunais

Para representantes de trabalhadores e especialistas em direito, em debate no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, país já provou que é possível criar empregos sem reduzir direitos

13/11/17, 21:53

A

nova legislação trabalhistas sancionada pelo governo Temer, que entrou em vigor no último sábado (11), não está consolidada, e será alvo de disputa jurídica, nos tribunais do trabalho e instâncias superiores, e política, nas ruas, nas fábricas e nas eleições do ano que vem. Essas foram as impressões compartilhadas por especialistas do direito, sindicalistas e políticos, em debate promovido pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, realizado nesta segunda-feira (13), em São Bernardo do Campo. 

As mudanças na legislação, segundo os debatedores, foram feitas sem que os trabalhadores fossem consultados, e atendem, portanto, somente aos interesses da classe patronal, que pretende enfraquecer os sindicatos durante as negociações e criar obstáculos para o acesso à Justiça do Trabalho. O debate sobre o dia seguinte à reforma trabalhista também foi acompanhado de perto pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que defende a realização de um referendo revogatório sobre essa e outras medidas do governo Temer. 

Ao contrário do discurso oficial do governo, que alega que as novas regras estimularão a criação de novas vagas de emprego, os participantes foram unânimes em dizer que o que, de fato, vai aumentar com a reforma trabalhista é a precarização das relações do trabalho e a queda dos rendimentos gerais dos salários. 

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, o efeito geral é que, se essa nova legislação não for revogada, todos os trabalhadores com o atual modelo de contratação serão demitidos, e recontratados de maneira precarizada, na forma de terceirizado, autônomo ou intermitente. 

Ele também criticou o dispositivo que consta da nova lei que considera que as negociações coletivas terão prevalência sobre a legislação, até mesmo quando retirarem direitos. Segundo Freitas, negociação sem a presença do sindicato, como legítimo representante dos trabalhadores, não pode ser considerada com uma negociação coletiva. "Não há negociação coletiva sem um sindicato forte", ressaltou. 

Vagner defendeu a união de sindicatos em macro-setores, que reúna todo um determinado seguimento de trabalhadores, para, assim, terem maior poder de negociação e menores custos de manutenção de estruturas de assistência jurídica, por exemplo. 

Fonte: JL/RBA
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
16/06/18, 22:04 | ELEIÇÕES - Candidato de Temer promete liberar a maconha caso seja eleito presidente
16/06/18, 21:09 | POLÍTICA - O ABSURDO! Ao apoiar candidatura de Alckmin, Aécio Neves fala em “ética”
16/06/18, 21:05 | INVESTIGAÇÃO - PGR e PF querem ouvir Marcelo Odebrecht e doleiros em inquérito que investiga Temer
16/06/18, 21:00 | VIOLÊNCIA - Perseguição policial termina com um assaltante morto, três presos e um ciclista atropelado em Teresina
16/06/18, 20:49 | ESPORTE - Croácia vence A Nigéria e lidera Grupo D da Copa
16/06/18, 20:30 | COPA DO MUNDO - Peru perde perde penâlti e é derrotado pela Dinamarca: 1 x 0
16/06/18, 15:10 | REALIDADE MUNDIAL - Brasil é país mais preocupado com notícias falsas, diz estudo global
16/06/18, 15:05 | EDUCAÇÃO - Cai percentual de estudantes que querem ser professores, diz OCDE
16/06/18, 15:00 | SAÚDE - Emoções em jogos de Copa aumentam em até 8% número de infartos
16/06/18, 14:34 | SEGURANÇA - Polícia inicia operação 'Copa Saci' com centro integrado na Zona Sul
16/06/18, 14:08 | ESPORTE - Família investe R$ 1,4 mil em decoração de carro para a Copa do Mundo
16/06/18, 13:49 | INVESTIGAÇÃO - PGR pede inclusão de delação de Funaro em inquérito sobre Temer
16/06/18, 13:46 | COPA DO MUNDO - Lula assistiu jogo entre Espanha e Portugal na cela, com advogado
16/06/18, 13:01 | COPA DO MUNDO - Messi perde pênalti e Argentina empata com Islândia
16/06/18, 12:56 | COPA DO MUNDO - VAR entra em campo pela primeira vez e garante vitória da França
15/06/18, 21:46 | ESTUDO - Mais pobres podem levar até 9 gerações para atingir renda média no Brasil
15/06/18, 20:52 | JULGAMENTO - STF pode julgar pedido de liberdade de Lula no próximo dia 26
15/06/18, 20:50 | CRIMINALIDADE - Bandidos de terno se passam por empresários para assaltar posto de combustível em Teresina
15/06/18, 20:35 | DECISÃO - CNJ proíbe juízes de manifestarem apoio ou críticas políticas na internet
15/06/18, 20:32 | ECONOMIA - Copa do Mundo deve movimentar R$ 252 milhões em bares e restaurantes
15/06/18, 20:27 | ESPORTE - O HERÓI PORTUGUÊS: Portugal e Espanha empatam na Copa: 3 x 3
15/06/18, 15:30 | POLÍTICA - Partidos gastam R$ 132,8 milhões com salários de funcionários
15/06/18, 15:11 | COPA DO MUNDO - Irã vence Marrocos com gol contra nos acréscimos do 2º tempo
15/06/18, 15:05 | ESPORTE - Santos confirma venda do atacante Rodrygo para o Real Madrid
15/06/18, 14:55 | DADOS - Atlas da Violência: 123 cidades concentram 50% dos homicídios
15/06/18, 14:51 | SAÚDE PÚBLICA - Mais de 400 pessoas morreram por causa da gripe no Brasil
15/06/18, 13:16 | ESPORTE - Brasil define uniforme que usará nos três jogos da primeira fase
15/06/18, 12:23 | PESQUISA - Nova pesquisa: Lula continua disparado, Bolsonaro cai, Ciro e direita estacionados
15/06/18, 12:06 | POLÍTICA - O MDB precisa ser destruído, diz Ciro sobre partido de Temer
15/06/18, 12:00 | POLÍTICA - Gilmar vê enigma falso em Lula: ele é um preso político
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site