CBN - A rádio que toca notícia

CRÍTICA

'Faltou ponderação econômica, social e política na Lava Jato', diz procurador

Celso Tres, responsável pelo caso do Banestado aponta erros da operação comandada por Moro, além de criticar o recurso de delação premiada e a prisão em segunda instância

13/05/18, 15:24

A

Operação Lava Jato errou na falta de ponderação econômico-social, política e no atropelo ao devido processo legal. Essa é a crítica feita pelo procurador Celso Tres, que trabalhou no caso Banestado. Em entrevista ao IHU Online, ele também avalia de forma negativa o recurso de delação premiada e define a atual atuação do Supremo Tribunal Federal (STF) como uma "judiciocracia".

Mesmo nomeando a Lava Jato como "a maior e irrepetível investigação da história", Celso mostra como a atuação da operação errou nos três pontos. Sobre o âmbito econômico-social, ele explica que as punições deveriam se restringir apenas às pessoas físicas, mas que se estendeu à sociedade. "Quem comete crime e deve ser punido é a pessoa física. A pessoa jurídica privada deve seguir, até para poder ressarcir o prejuízo causado. Nos diversos acordos do Ministério Público, nenhum teve cláusula social, manutenção de empregos etc."

No aspecto político, ele aponta que a Lava Jato não se restringiu a imputar delitos às pessoas, mas derrubou governo e instituições da política. "O impeachment de Dilma capitaneado por Cunha estava controlado, quando a criminosa divulgação da interlocução entre Dilma e Lula irrompeu o vulcão que levou de roldão o governo (...) É inegável que a Lava Jato decolou no vácuo da sanha em destronar o PT. O atropelo do TRF-4ª, precipitando seu julgamento e obstando sua candidatura, é categórico", acrescenta o procurador.

Já sobre as ilegalidades processuais, Celso Tres toma a decisão do juiz Marcelo Bretas, com a prisão preventiva de 43 pessoas. "A motivação das prisões é genérica, não havendo qualquer individualização em face de cada detido do quê justificaria sua detenção (...) Juiz da Lava Jato/RJ sequer deu tutela à produção probatória, ou seja, prende-se para depois investigar o que opreso eventualmente fez", questiona.

O procurador também comenta o recurso de delação premiada, empregado pela Lava Jato sob alegação de desmontar o esquema de corrupção. "Combate-se a máfia pactuando leniência com Al Capone? Delação deve ser pontual e dos intermediários para chegar aos criminosos principais. Sendo efeito dominó, produz impunidade dos protagonistas da criminalidade, a exemplo de Marcelo Odebrecht", adverte.

"Judiciocracia" do STF

Celso Tres avaliou a decisão do STF de restringir o foro privilegiado de deputados e senadores – no último dia 3, por maioria, o Supremo decidiu que o foro vale para crimes cometidos durante o exercício do cargo, e que tenham relação com a função. 

"Mais um capítulo de nossa judiciocracia. Constituição já trintenária, apenas agora o STF descobre que o foro especial deve restringir-se aos atos funcionais no mandato. Entrementes, a exemplo da ditadura militar que a cada revés criava nova regra eleitoral, o STF consagrou escrachado casuísmo, aplicando a regra apenas aos membros do Congresso, deixando os próprios ministros, juízes, ministério público e cerca de 50 mil outros a salvo", criticou o procurador.

Outra decisão do STF mal avaliada por ele é a votação do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi negado pela Corte. Para Tres, o mais coerente seria ceder o HC ao petista.

Celso encerra a entrevista fazendo críticas ao projeto "Dez medidas contra a corrupção", do Ministério Público Federal (MPF). "Teve um vício de origem. A iniciativa legislativa popular, consoante a própria nomenclatura, é da sociedade civil, jamais de um órgão de estado, no caso o Ministério Público, que proponha norma e saia arrecadando assinaturas de quem sequer sabe o seu conteúdo. O anteprojeto foi autoral, de integrantes da Lava Jato, e sequer foi discutido na procuradoria da República", disse.

Fonte: JL/RBA
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
04/12/18, 17:00 | EDUCAÇÃO - CNE aprova nova base nacional curricular para o ensino médio
04/12/18, 16:47 | LEVANTAMENTO - De 154 réus, Lula teve o julgamento mais severo no TRF-4, demonstra revista da Rede Globo
04/12/18, 16:42 | CONFUSÃO - Advogado diz a Lewandowski ter vergonha de STF e é retido pela PF
04/12/18, 16:35 | CRIME - STF abre processo preliminar contra Onyx Lorenzoni por caixa dois
04/12/18, 16:29 | TRANSIÇÃO - Moro indica candidato derrotado do PSDB para segurança pública
04/12/18, 13:38 | DADOS - Em dois anos, chacinas no Brasil deixam 849 pessoas mortas
04/12/18, 13:34 | POLÍTICA - Filho de Bolsonaro rejeita Rodrigo Maia e Renan Calheiros
04/12/18, 13:30 | POLÊMICA - CNJ regulamentará auxílio-moradia para juízes em casos específicos
04/12/18, 13:15 | INVESTIGAÇÃO - Operação da Polícia Federal combate fraudes bancárias eletrônicas
04/12/18, 13:12 | POLÊMICA - Lewandowski quer cumprimento de decisão para Lula dar entrevistas
04/12/18, 13:08 | SUPREMO - Fachin autoriza abertura de processo sobre caixa dois para Lorenzoni
03/12/18, 23:56 | INVESTIGAÇÃO - Temer, Padilha e Moreira prarticaram crime de corrupção, diz Raquel Dodge
03/12/18, 22:03 | LAVA JATO - Sérgio Cabral é condenado pela 9ª vez e penas já soma quase 200 anos de prisão
03/12/18, 15:17 | POLÍTICA - Ministro de Temer defende cautela na segurança da posse de Bolsonaro
03/12/18, 15:12 | ECONOMIA - Crediário e cartão são os maiores responsáveis pela inadimplência
03/12/18, 15:09 | ESTUDO - Ipea: 23% dos jovens brasileiros não trabalham e nem estudam
03/12/18, 15:02 | LUTO - Cão de George H. W. Bush fica ao lado do caixão do ex-presidente dos EUA
03/12/18, 14:55 | EVENTO - Cansei de levar bola nas costas, diz Sérgio Moro em Madri
03/12/18, 14:31 | SAÚDE - Programa Saúde da Família sofre após fim do Mais Médicos
03/12/18, 14:24 | POLÍTICA - Projeto que Moro tenta barrar abre brecha para perdão a corruptos
03/12/18, 14:21 | POLÍTICA - MDB anuncia “independência ativa” no governo Bolsonaro
03/12/18, 13:27 | REFORMA - Juiz: Enfraquecimento dos sindicatos retrai negociação coletiva
03/12/18, 13:25 | TRANSIÇÃO - Onix: Cargos de 2º e 3º escalões serão de técnicos e políticos
03/12/18, 12:59 | TRANSIÇÃO - Onix: Ministério do Trabalho será dividido entre 3 outras pastas
03/12/18, 08:57 | MOVIMENTO - Governadores do Norte e Nordeste vão a Brasília para garantir verbas
02/12/18, 21:08 | POLÍTICA - Bancada evangélica enfrenta racha após decepções com Bolsonaro
02/12/18, 20:59 | POLÊMICA - Drauzio Varella:'ficam falando da formação dos cubanos, mas não falam da dos brasileiros'
02/12/18, 20:50 | PROCESSO DISCIPLINAR - CNJ deve julgar no dia 11 de dezembro procedimentos contra Moro
02/12/18, 20:32 | ESPORTE - Fim do Brasileirão: veja a classificação final dos times na competição
02/12/18, 20:24 | ESPORTE - Bolsonaro acompanha vitória do Palmeiras e entrega taça de campeão
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site