CBN - A rádio que toca notícia

REAÇÃO

'Reforma' trabalhista será alvo de disputa nas ruas e nos tribunais

Para representantes de trabalhadores e especialistas em direito, em debate no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, país já provou que é possível criar empregos sem reduzir direitos

13/11/17, 21:53

A

nova legislação trabalhistas sancionada pelo governo Temer, que entrou em vigor no último sábado (11), não está consolidada, e será alvo de disputa jurídica, nos tribunais do trabalho e instâncias superiores, e política, nas ruas, nas fábricas e nas eleições do ano que vem. Essas foram as impressões compartilhadas por especialistas do direito, sindicalistas e políticos, em debate promovido pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, realizado nesta segunda-feira (13), em São Bernardo do Campo. 

As mudanças na legislação, segundo os debatedores, foram feitas sem que os trabalhadores fossem consultados, e atendem, portanto, somente aos interesses da classe patronal, que pretende enfraquecer os sindicatos durante as negociações e criar obstáculos para o acesso à Justiça do Trabalho. O debate sobre o dia seguinte à reforma trabalhista também foi acompanhado de perto pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que defende a realização de um referendo revogatório sobre essa e outras medidas do governo Temer. 

Ao contrário do discurso oficial do governo, que alega que as novas regras estimularão a criação de novas vagas de emprego, os participantes foram unânimes em dizer que o que, de fato, vai aumentar com a reforma trabalhista é a precarização das relações do trabalho e a queda dos rendimentos gerais dos salários. 

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, o efeito geral é que, se essa nova legislação não for revogada, todos os trabalhadores com o atual modelo de contratação serão demitidos, e recontratados de maneira precarizada, na forma de terceirizado, autônomo ou intermitente. 

Ele também criticou o dispositivo que consta da nova lei que considera que as negociações coletivas terão prevalência sobre a legislação, até mesmo quando retirarem direitos. Segundo Freitas, negociação sem a presença do sindicato, como legítimo representante dos trabalhadores, não pode ser considerada com uma negociação coletiva. "Não há negociação coletiva sem um sindicato forte", ressaltou. 

Vagner defendeu a união de sindicatos em macro-setores, que reúna todo um determinado seguimento de trabalhadores, para, assim, terem maior poder de negociação e menores custos de manutenção de estruturas de assistência jurídica, por exemplo. 

Fonte: JL/RBA
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
14/09/18, 16:49 | ENCONTRO - Brasil acolhe mais de 30 mil imigrantes crianças e adolescentes
14/09/18, 16:28 | ONU MULHERES - Pesquisa mostra que 81% dos brasileiros querem mais igualdade na política
14/09/18, 16:21 | DENÚNCIA - Guru de Bolsonaro é acusado como beneficiário de fraude na Bolsa
14/09/18, 15:00 | PESQUISA - Com apoio de Lula, Haddad passa Ciro e vai para 2º turno, diz XP
14/09/18, 14:07 | CRIME - Seis meses depois, governo não diz quem mandou matar Marielle
14/09/18, 13:44 | CRIME ELEITORAL - Procurador denuncia ação eleitoreira do conselheiro do TCE, Luciano Nunes
14/09/18, 13:38 | IDH - Renda das mulheres é 42,7% menor que a dos homens, diz Pnud
14/09/18, 13:09 | EDUCAÇÃO - Olimpíada de Matemática terá a participação de 900 mil estudantes
14/09/18, 13:04 | PROPINA - Fachin abre inquérito contra Ciro Nogueira, Edinho Silva e executivos da J&F
14/09/18, 12:59 | POLÍTICA - Padre Marcelo Rossi suplica ajuda para desmentir apoio a Bolsonaro
14/09/18, 12:51 | CORRUPÇÃO - Delator diz que Richa recebeu R$ 500 milhões em propinas
14/09/18, 11:42 | ELEIÇÕES - 'Fizeram de tudo para barrar Lula e vão morrer na praia', diz Haddad
14/09/18, 11:36 | POLÍTICA - Longe dos palanques, Aécio é o candidato a deputado que recebe mais verbas no PSDB em Minas
13/09/18, 22:45 | ELEIÇÕES - Em ato na Grande SP, Haddad vira "Luiz Fernando Haddad Lula da Silva"
13/09/18, 22:23 | REPERCUSSÃO - Líderes internacionais visitam Lula: prisão é 'monstruosidade'
13/09/18, 22:15 | POLÍTICA - Ciro Gomes antecipa apoio a Haddad no 2º turno da eleição
13/09/18, 21:54 | ELEIÇÕES - Lula na campanha eleitoral: 'Peço a todos que votem no Haddad'
13/09/18, 21:34 | ATENTADO - Flávio Bolsonaro diz que o quadro de saúde do pai é “muito grave
13/09/18, 21:30 | LAVA JATO - Mansão de Cabral em Mangaratiba é leiloada por R$ 6,4 milhões
13/09/18, 21:26 | STF - Judiciário não pode fechar os olhos à violência, diz Toffoli
13/09/18, 18:04 | ELEIÇÕES - TSE veda conteúdo impulsionado por apoiador de Bolsonaro na internet
13/09/18, 18:00 | ELEIÇÕES - Em sabatina, Marina Silva minimiza queda nas intenções de voto
13/09/18, 17:09 | POLÍTICA - "É instinto de sobrevivência", diz Alckmin sobre traições de aliados
13/09/18, 14:07 | ELEIÇÕES 2018 - 'Sem Bolsonaro, não temos essa capacidade de levar milhões às ruas', diz aliado
13/09/18, 12:46 | DESENTENDIMENTO - Irritado com Doria, Temer prepara uma ‘surpresa’ para o tucano
13/09/18, 12:42 | JUDICIÁRIO - Dias Toffoli toma posse na presidência do Supremo Tribunal
13/09/18, 12:32 | ELEIÇÕES - Bolsonaro repassa doações eleitorais para campanha do filho
13/09/18, 12:13 | PESQUISAS - Agressividade de Ciro, Marina e Alckmin reflete situação ruim
13/09/18, 12:09 | ENTREVISTA - Líder tucano assume culpa: foi erro embarcar no governo Temer
13/09/18, 12:02 | POLÍTICA - Aliados não sabem se Bolsonaro fará campanha no 2º turno
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site