CBN - A rádio que toca notícia

REAÇÃO

'Reforma' trabalhista será alvo de disputa nas ruas e nos tribunais

Para representantes de trabalhadores e especialistas em direito, em debate no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, país já provou que é possível criar empregos sem reduzir direitos

13/11/17, 21:53

A

nova legislação trabalhistas sancionada pelo governo Temer, que entrou em vigor no último sábado (11), não está consolidada, e será alvo de disputa jurídica, nos tribunais do trabalho e instâncias superiores, e política, nas ruas, nas fábricas e nas eleições do ano que vem. Essas foram as impressões compartilhadas por especialistas do direito, sindicalistas e políticos, em debate promovido pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, realizado nesta segunda-feira (13), em São Bernardo do Campo. 

As mudanças na legislação, segundo os debatedores, foram feitas sem que os trabalhadores fossem consultados, e atendem, portanto, somente aos interesses da classe patronal, que pretende enfraquecer os sindicatos durante as negociações e criar obstáculos para o acesso à Justiça do Trabalho. O debate sobre o dia seguinte à reforma trabalhista também foi acompanhado de perto pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que defende a realização de um referendo revogatório sobre essa e outras medidas do governo Temer. 

Ao contrário do discurso oficial do governo, que alega que as novas regras estimularão a criação de novas vagas de emprego, os participantes foram unânimes em dizer que o que, de fato, vai aumentar com a reforma trabalhista é a precarização das relações do trabalho e a queda dos rendimentos gerais dos salários. 

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, o efeito geral é que, se essa nova legislação não for revogada, todos os trabalhadores com o atual modelo de contratação serão demitidos, e recontratados de maneira precarizada, na forma de terceirizado, autônomo ou intermitente. 

Ele também criticou o dispositivo que consta da nova lei que considera que as negociações coletivas terão prevalência sobre a legislação, até mesmo quando retirarem direitos. Segundo Freitas, negociação sem a presença do sindicato, como legítimo representante dos trabalhadores, não pode ser considerada com uma negociação coletiva. "Não há negociação coletiva sem um sindicato forte", ressaltou. 

Vagner defendeu a união de sindicatos em macro-setores, que reúna todo um determinado seguimento de trabalhadores, para, assim, terem maior poder de negociação e menores custos de manutenção de estruturas de assistência jurídica, por exemplo. 

Fonte: JL/RBA
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
15/02/18, 17:43 | ARTIGO - Brasil vivencia “overdose” da “cultura do remédio”
15/02/18, 17:32 | PROMISCUIDADE - Bancos que pagam jantar em apoio a Moro nos EUA tiveram dívidas perdoadas por Temer
15/02/18, 17:23 | POLÊMICA - Google é proibido de associar Templo de Salomão a ‘sinagoga de Satanás’
15/02/18, 16:14 | CORRUPÇÃO - Lava Jato: de 147 inquéritos nas mãos de Fachin, só 5 viraram processos
15/02/18, 16:10 | ESPORTE - Fifa atualiza ranking de seleções; saiba como está o top-10
15/02/18, 08:46 | CULTURA - Documentário sobre o golpe será exibido na semana que vem no festival de Berlim
15/02/18, 08:39 | REAÇÃO - Grupo da PF ameaça retaliar Segóvia em caso de interferência pró-Temer
15/02/18, 08:31 | CORRUPÇÃO - Mais um executivo confirma fraude de Aécio em obra da Cidade Administrativa
14/02/18, 22:02 | CARNAVAL - Escolas de samba do Rio que criticaram o governo tiveram as maiores notas
14/02/18, 18:48 | ECONOMIA - Adotado em três regiões do país, horário de verão termina no próximo domingo
14/02/18, 18:15 | RECONHECIMENTO - CARTUNISTA: Tuiuti é a campeã do coração de todos os brasileiros
14/02/18, 17:55 | POLÍTICA - Temer libera R$ 2 bilhões e Marun fala em ‘cala boca’
14/02/18, 17:52 | POLÊMICA - Ministro Barroso cassa autorização de posse de Cristiane Brasil e avoca ação
14/02/18, 17:21 | OPINIÃO - Carnaval foi o abre alas do populismo e da hipocrisia que vem por aí
14/02/18, 17:18 | ALERTA - Campanha da Fraternidade 2018 alerta para extermínio da população jovem negra
14/02/18, 16:58 | CARNAVAL - Beija-Flor é consagrada a campeã do carnaval do Rio de Janeiro
14/02/18, 13:56 | POLÍTICA - Claudia Raia: “Tomara que Luciano Huck não se eleja”
14/02/18, 13:35 | REPERCUSSÃO - Agência Alemã de Notícias: Brasil faz um de seus carnavais mais politizados
14/02/18, 13:31 | IGREJA - CNBB lança campanha contra a violência e diz que defenderá candidato pacifista
14/02/18, 13:26 | JUDICIÁRIO - TSE libera mais R$ 888 milhões de verba pública para campanha eleitoral
14/02/18, 12:55 | EDUCAÇÃO - Prouni 2018 divulga resultado da primeira chamada
14/02/18, 12:00 | CRIME - PF deve pedir prorrogação de investigação contra Temer
14/02/18, 08:52 | CARNAVAL - Bonecos gigantes arrastam multidão em Olinda
14/02/18, 08:22 | CARNAVAL - Acadêmicos do Tatuapé é bicampeã do carnaval de São Paulo
13/02/18, 23:16 | REPERCUSSÃO - Assim o Carnaval 2018 recuperou o espírito crítico com a classe política no Brasil
13/02/18, 22:55 | POLÍTICA - Medida do TSE favorecerá corrupção e caixa 2 nas eleições de 2018
13/02/18, 15:40 | CORRUPÇÃO - Bunker de Geddel pode estar ligado a corrupção na Caixa
13/02/18, 15:34 | CRÍTICA - Flávio Dino: Carnaval do MA vive grande momento, mas nada sai na Globo
13/02/18, 15:16 | POLÊMICA - Colunista da Folha defende que juízes devolvam auxílio-moradia e peçam desculpas
13/02/18, 13:46 | INCRÍVEL! - Cadela emociona familiares ao velar corpo de dona que faleceu em Teresina
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site