CBN - A rádio que toca notícia

POLÊMICA

PM-PI suspende portaria que permitia exclusividade em investigação

O anúncio foi feito há pouco durante a aula inaugural de formação dos novos policiais aprovados no último concurso da Polícia Militar

08/01/18, 12:24

O

comandante geral da Polícia Militar do Piauí, coronel Carlos Augusto Gomes, suspendeu na manhã desta segunda-feira (08/01), a portaria que atribui à Polícia Militar a competência exclusiva para apurar crimes dolosos contra a vida praticados por militares.

A decisão determina ainda que eventuais investigações da Polícia Civil só tenham acesso às provas e ao local do crime se autorizadas por autoridade militar.

O anúncio foi feito durante a aula inaugural de formação dos novos policiais aprovados no último concurso da Polícia Militar.

A portaria deverá ficar suspensa até que a Procuradoria Geral do Estado se posicione sobre o pedido de revogação feito na última quarta-feira (03/01) pela OAB-PI.

O caso ficou polêmico depois da morte da menina Emily Caetano, baleada na madrugada do dia 26 de dezembro durante uma abordagem policial feita pelo soldado Aldo Luís Barbosa Dornel e pelo cabo Francisco Venicio Alves na Avenida João XXII, na zona leste de Teresina, .

O comandante da Polícia Militar afirma que resolveu suspender a portaria devido a polêmica e o efeito negativo que isso tem trazido para a PM.

“Assinei a suspensão da portaria e encaminhei para a análise da Procuradoria por que sei que não irão encontrar nada de ilegal. Muitas pessoas se aproveitaram do caso da coincidência com o caso da menina Emily para gerar polêmica e criar negatividade para a Polícia Militar, então para acabar com tudo isso resolvi encaminhar a portaria para a Procuradoria”, explica o coronel Carlos Augusto.

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, (OAB-PI) chegou a encaminhar na sexta-feira (05/01) uma recomendação ao Governo do Estado para anular a portaria da Polícia Militar.

Segundo uma nota divulgada pela OAB-PI, "causou estranheza a referida portaria ter sido assinada pelo Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado logo após uma abordagem policial vitimar fatalmente uma criança de nove anos".

Ainda segundo a OAB, a Constituição Federal determina que compete à Justiça Militar estadual processar e julgar os militares dos Estados, nos crimes militares definidos em lei e as ações judiciais contra atos disciplinares militares, ressalvada a competência do júri quando a vítima for civil.

Confira a nota da OAB-PI na íntegra:

NOTA

"A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, encaminhou, na manhã de hoje (05) recomendação ao Governador do Estado, Wellington Dias, para que anule a Portaria nº 475, de 26 de dezembro de 2017, da Polícia Militar do Piauí (PMPI) que atribui, indevidamente, à PM a competência exclusiva para apurar crimes dolosos contra a vida praticados por militares e determina que eventuais investigações da Polícia Civil só tenham acesso às provas e ao local do crime se autorizadas por autoridade militar.

Segundo a OAB-PI, causou estranheza a referida portaria ter sido assinada pelo Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado logo após uma abordagem policial vitimar fatalmente uma criança de 9 anos. “Alertamos que essa atitude de negar o acesso da Polícia Civil aos investigados se configura, em tese, crime contra a Administração da Justiça. Essa negativa nos assusta, porque não traz transparência para a investigação”, afirmou Chico Lucas, presidente da OAB-PI.

O art. 125, § 4º, da Constituição Federal determina que compete à Justiça Militar estadual processar e julgar os militares dos Estados, nos crimes militares definidos em lei e as ações judiciais contra atos disciplinares militares, ressalvada a competência do júri quando a vítima for civil. Além disso, a Lei nº 13.491/17, utilizada pelo Comandante-Geral da PMPI, manteve, em seu art. 9º, § 1º, a competência do Tribunal Popular do Júri para julgar os crimes dolosos contra a vida cometidos por militares contra civil, excluindo dessa competência apenas os militares das Forças Armadas em situações específicas.

A presidência da OAB-PI e a Comissão de Direitos Humanos questionam, portanto, o porquê de a Polícia Civil não poder conduzir as investigações, especialmente diante da não preservação do local do crime e da emissão, em menos de 24 horas, da portaria mencionada pela Polícia Militar. “O que queremos é o respeito à ordem jurídica. Para que haja essa investigação imparcial, quem deve conduzi-la é a Polícia Civil e não a Polícia Militar”, garantiu.

Por esse motivo, a recomendação da OAB-PI também solicitou ao governador, ainda, que a PMPI “se abstenha de criar quaisquer obstáculos à apuração de crimes pela Polícia Civil, no exercício de sua competência constitucional de investigação”.

OAB-PI

Fonte: JL/Portal AZ
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
20/10/18, 18:17 | MOVIMENTO - Mulheres fazem ato pelo país contra Bolsonaro e pela democracia
20/10/18, 17:33 | ENTREVISTA - ‘Sociedade não aceita mais financiar corrupção’, avalia presidente do Ipea
20/10/18, 17:30 | CRIME - WhatsApp confirma que bloqueou conta de Flávio Bolsonaro
20/10/18, 17:20 | VIOLÊNCIA - Morre em Sergipe terceira pessoa esfaqueada: matador grita Bolsonaro!
20/10/18, 17:03 | POLÍTICA - Haddad: 'A elite ficou dois anos procurando candidato e escolheu o que há de pior'
20/10/18, 16:48 | PROPOSTA - Representante do Senado visita rede de atenção à mulher de Teresina e propõe observatório
20/10/18, 14:03 | ARTIGO JURÍDICO - TCO lavrado por policial militar é constitucional
20/10/18, 13:25 | CRIME - Mais de 100 mil contas são banidas do Whatsapp do Brasil por causa de eleições
20/10/18, 12:14 | POLÍTICA - Aliados de Bolsonaro já começaram a brigar pela presidência da Câmara
20/10/18, 11:51 | POLÍTICA - Com PSDB fragilizado, Novo pode eleger seu 1º governador em Minas
20/10/18, 11:47 | CLIMA TENSO - Universidades são ameaçadas de "massacre" por eleitores de Bolsonaro
20/10/18, 11:24 | POLÍTICA - Movimentos realizam manifestação nacional pela democracia neste sábado (20)
20/10/18, 11:15 | POLÍTICA - Mineradora é punida pelo TRT por coagir funcionários a votar em Bolsonaro
19/10/18, 21:28 | CRIME - TSE abre investigação sobre Bolsonaro e mensagens contra Haddad na internet
19/10/18, 21:16 | REPERCUSSÃO - Imprensa internacional destaca 'rede de notícias criminosas' de Bolsonaro
19/10/18, 21:13 | DECLARAÇÃO - 'Me preocupa o que está no horizonte', diz ministro do STF
19/10/18, 21:02 | CRIME - WhatsApp exclui contas com mentiras para prejudicar Haddad
19/10/18, 19:09 | PESQUISA - Vox Populi coloca Bolsonaro e Haddad quase empatados: 53% x 47%
19/10/18, 19:03 | ELEIÇÕES - Prefeitos saem do PSDB após declararem apoio a França
19/10/18, 18:51 | POLÍTICA - Maioria dos eleitores considera debates importantes, aponta Datafolha
19/10/18, 18:38 | POLÊMICA - TSE e PGR foram omissos diante de atos violentos e fake news, diz CNDH
19/10/18, 18:34 | REAÇÃO - Manifestantes criticam propostas de Bolsonaro para meio ambiente
19/10/18, 18:32 | SAÚDE - Estudo relaciona 12% das mortes por câncer de mama ao sedentarismo
18/10/18, 21:56 | ANÁLISE POLÍTICA - É hora de se debruçar sobre a propaganda em rede de Bolsonaro
18/10/18, 21:50 | ELEIÇÕES NO BRASIL - Empresas compram pacotes ilegais de envio de mensagens contra o PT no WhatsApp, diz jornal
18/10/18, 21:15 | CRIME - PDT vai pedir anulação das eleições por fraude de Bolsonaro contra Haddad
18/10/18, 21:08 | CRIME ELEITORAL - Diretor do Datafolha: salto de Bolsonaro nas pesquisas indica fraude
18/10/18, 20:49 | LEVANTAMENTO - Brasil tem 477 grávidas e lactantes no sistema carcerário
18/10/18, 20:47 | POLÍTICA - Bolsonaro não vai participar de debates com Haddad
18/10/18, 20:43 | CRIME - MPE vai apurar suspeita de doações ilegais à campanha de Bolsonaro
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site