CBN - A rádio que toca notícia

POLÍTICA

Huck diz não ser hora de oposição a Bolsonaro em evento com eleitos

Jantar ainda contou com uma pequena entrevista com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e o governador eleito de Minas, Romeu Zema (Novo)

05/12/18, 16:04

O

cardápio de um jantar promovido pelo RenovaBR para apresentar os resultados do primeiro ano de funcionamento do grupo teve salada verde com queijo brie e peito de pato curado, medalhão recheado com fonduta (tipo de fondue) de queijos, espumante francês -e também política.

Durante o encontro, na noite desta terça-feira (4), na Casa Fasano (salão de eventos no Itaim Bibi, zona oeste), o apresentador Luciano Huck -um dos principais apoiadores e divulgadores da entidade- disse aos 17 participantes eleitos em outubro e a aos mais de 400 convidados que a transição para o governo Jair Bolsonaro (PSL) exige paciência.

"O momento do país não é de formação de oposição, mas é, sim, de diálogo. Acho que a agenda do país hoje, independentemente de ideologia, tem muita coisa que é necessária para que o país não quebre", afirmou no microfone o comunicador, que quase foi pré-candidato à Presidência da República.

Na entrada, questionado por jornalistas sobre a composição do novo governo, Huck afirmou: "Eu acho que neste momento não é hora de fazer oposição. A gente tem que dar um crédito e ver o que vai acontecer. As agendas que forem positivas para o país, a gente tem que apoiar. E onde a gente não concordar, a gente tem que se manifestar".

Ele elogia, por exemplo, a pauta do presidente eleito na economia: "Tem uma clara agenda econômica eficiente, tem bons nomes técnicos ali". Diz que o país deve fazer reformas, mas não pode descuidar da área social nem prescindir da redução da desigualdade, argumento que repisa em suas aparições públicas.

Antes do segundo turno, o comunicador e empresário se opôs à articulação de uma nota anti-Bolsonaro no Agora!, movimento de renovação política do qual faz parte.

O apresentador conduziu no palco uma pequena entrevista com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e o governador eleito de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo).

Indagado sobre a política externa de Bolsonaro, que indicou para o Itamaraty o embaixador Ernesto Araújo, FHC palpitou que o Brasil não ganha ao entrar em brigas como a disputa entre Estados Unidos e China.

"O Brasil tem a vantagem de poder jogar com todos. Do ponto de vista do Brasil, é um erro tomar um partido neste momento. Temos que tomar o nosso partido, que é o partido do Brasil", disse o tucano, sob aplausos.

"Vamos ver o que [o novo chanceler] vai fazer. Não deve se afastar daquilo que é essencial. O interesse é o nosso. Não é nem da China nem dos Estados Unidos nem da Europa. E nós temos que ter uma coisa que eles têm: estratégia", afirmou.

Instado a aconselhar Zema, o ex-presidente foi genérico: "A essa altura da vida eu aprendi que conselho é inútil. Se você chegou lá e já foi eleito, seja como é. A única coisa importante na vida é autenticidade".

FHC analisou que a eleição do empresário em Minas é sintoma do que chama de fim do ciclo dos partidos criados em sua geração. "Os partidos atuais estão esfacelados. A sua eleição [referindo-se a Zema], como a eleição do presidente Bolsonaro, é a demonstração de que os partidos não existem mais tal como eles eram."

Aos novos parlamentares que o ouviam, o ex-presidente dirigiu um discurso pouco empolgante. "Os deputados e senadores vão perceber logo que têm força, mas essa força é evanescente, ela some, você não sabe onde está. Vão ter que se organizar. Não tem muito jeito. Se não organizar, aquilo não funciona."

Falou ainda que é papel do governo dar rumo ao país e que "o Legislativo participa, mas quem faz andar a máquina é o Executivo".

Pelas mesas se espalhavam deputados federais eleitos como o ex-ministro Marcelo Calero (PPS-RJ), a cientista política Tabata Amaral (PDT-SP), a advogada Joênia Wapichana (Rede-RR, primeira indígena eleita para a Câmara desde 1982) e o engenheiro João Campos (PSB-PE, filho do ex-governador Eduardo Campos).

Na plateia havia também novos políticos que não tiveram o apoio do Renova e estão na capital paulista para um curso promovido pela organização e pelo Insper para capacitar congressistas estreantes e ensinar o beabá da função. Todos os que exercerão o primeiro mandato foram convidados para as aulas.

Circularam ainda pelo evento a atriz Maitê Proença, que é apoiadora da iniciativa e esteve cotada para assumir o Ministério do Meio Ambiente de Bolsonaro ("Não houve convite. Foi uma ideia de um grupo que queria indicar meu nome", disse ela à reportagem), a apresentadora Angélica, mulher de Huck, e a modelo Daniella Sarahyba, casada com o empresário Wolff Klabin, um dos idealizadores do projeto.

Com 120 candidatos distribuídos em 22 legendas, o Renova contribuiu para a eleição de filiados a Novo, Rede, PDT, PSB, DEM, PPS e PSL. Eles tiveram acesso a uma extensa capacitação no primeiro semestre do ano e puderam receber bolsas de R$ 5.000 a R$ 12 mil como ajuda de custo durante o período. O programa é bancado com doações de empresários e executivos.

A lista inicial de eleitos contabilizava 16 pessoas, mas o candidato a deputado estadual no Rio Renan Ferreirinha (PSB) entrou na relação depois de uma decisão da Justiça Eleitoral que deferiu uma candidatura do partido e abriu mais uma vaga de titular para a sigla na Assembleia.

Dados apresentados pelo grupo apartidário durante o jantar indicam que o apoio da plataforma pesou na decisão de 94% dos novatos que encararam as urnas e que 61% dos participantes mudaram de opinião sobre algum tema por causa de palestras ou de debates ocorridos ao longo da formação. No total, os candidatos do grupo receberam 4,5 milhões de votos.
 
Fonte: JL/Folha de S. Paulo
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
15/02/19, 17:51 | CRIME - Chefe do partido de Bolsonaro contratou empresa do filho na campanha
15/02/19, 17:35 | POLÍTICA - Noblat detona Bolsonaro: usa camisa falsa e posa como indigente
15/02/19, 17:17 | POLÊMICA - Vice manda recado para filho do presidente da República: 'Roupa suja se lava em casa'
15/02/19, 17:03 | POLÍTICA - Dica a Sergio Moro no caso dos laranjas do PSL: basta seguir o dinheiro
15/02/19, 16:50 | CRIME - Investigação sobre Queiroz vai para Grupo de Combate à Corrupção do MP
15/02/19, 16:39 | PROPOSTA - Reforma da previdência incluirá alíquota maior para servidor e aumento do prazo de contribuição de militar
15/02/19, 16:35 | POLÍTICA - FHC: Todo início de governo é desordenado, mas o atual está abusando
15/02/19, 16:29 | EVENTO - Ato na Candelária lembra vítimas de tragédias recentes no país
15/02/19, 13:18 | HISTÓRIA - CASA PAROQUIAL DE LUZILÂNDIA: A história e o primeiro batizado de uma filha da terra
15/02/19, 09:51 | CONCURSO - Brasil mostra alta gastronomia e fecha negócios na França
15/02/19, 09:46 | INSTITUCIONAL - Vice-presidente da República recebe governador do Maranhão
15/02/19, 09:43 | LUTO - Homenagem a jovens mortos no Ninho do Urubu emociona Maracanã
14/02/19, 18:48 | PROPOSTA - Previdência: proposta é de idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres
14/02/19, 18:12 | CRISE - Militares tentam conter clã Bolsonaro e evitar a demissão de Bebianno
14/02/19, 18:00 | DISCURSO - PSL abre guerra contra o clã e Alexandre Frota pede Queiroz preso
14/02/19, 17:50 | CRISE - 'Não é bom discutir isso em público', diz Mourão sobre Bolsonaros
14/02/19, 16:51 | CRISE - Laranjas do PSL 'selecionadas' por Bebianno fragilizam governo Bolsonaro
14/02/19, 16:46 | PREVIDÊNCIA - Bolsonaro usa discurso falso para atacar aposentadoria de agricultores
14/02/19, 16:40 | DISCUSSÃO - Estudo: Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
14/02/19, 16:07 | CRISE - 'Não se dá um tiro na nuca do seu próprio soldado', diz Bebianno a interlocutores
14/02/19, 16:01 | CRISE - Padrão fritura dos Bolsonaros no caso Bebianno deixa aliados perplexos
14/02/19, 15:57 | CRISE - 'Está todo mundo dentro de uma saia muito justa', diz Joice Hasselmann
14/02/19, 13:29 | POLÍTICA - Primeira reunião da Câmara de Luzilândia de 2019 promete ser histórica
14/02/19, 13:25 | TRAGÉDIA - Parecer do MPF diz que Vale privilegiou lucros em detrimento da segurança
14/02/19, 13:10 | POLÍTICA - Humilhado publicamente, Bebianno pode se dedicar a derrubar Bolsonaro e filhos contando o que sabe
14/02/19, 13:05 | POLÍTICA - Na TV, Bolsonaro diz que ministro mentiu e adverte o vice Mourão
14/02/19, 13:02 | CRIME - Moro diz cumprir ordem de Bolsonaro para investigar laranjas no PSL
14/02/19, 12:54 | MEIO AMBIENTE - Desflorestamento da Amazônia, já em ascensão, pode subir sob Bolsonaro
14/02/19, 12:43 | INCOERÊNCIA - Governo Bolsonaro desvia R$ 600 bilhões da Previdência para pagar dívida
14/02/19, 09:12 | IMBRÓGLIO - Bolsonaro sobre laranjas do PSL: Determinei à Polícia Federal que investigue
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site