CBN - A rádio que toca notícia

INVESTIGAÇÃO

Governador eleito do DF foi beneficiado por disparos no WhatsApp

A lei eleitoral não proíbe os disparos em massa pelo WhatsApp, desde que a base de números de telefone seja do candidato, e que o portador do número tenha autorizado o envio das mensagens. A contratação do serviço precisa ser declarada à Justiça Eleitoral. Não há registro desse tipo de serviço na prestação de contas de Ibaneis

07/11/18, 18:28

D

urante o segundo turno da corrida eleitoral, pelo menos quatro disparos em massa de mensagens no WhatsApp, com ataques ao atual governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), derrotado no último dia 28, foram feitos sob o nome do governador eleito, Ibaneis Rocha (MDB). O Congresso em Foco teve acesso a dados de disparos de mensagens pelo WhatsApp feitos pela plataforma BulkService, da agência Yacows.

A assessoria da campanha de Ibaneis nega ter contratado o disparo de mensagens e afirma que qualquer um pode ter “agido de má-fé” e usado indevidamente o nome de Ibaneis. A mesma justificativa foi dada pela empresa registrada como contratante do serviço. A mensagem foi disparada pelo menos 526 vezes - o mesmo número de celular pode receber a mesma mensagem mais de uma vez.

A lei eleitoral não proíbe os disparos em massa pelo WhatsApp, desde que a base de números de telefone seja do candidato, e que o portador do número tenha autorizado o envio das mensagens. A contratação do serviço precisa ser declarada à Justiça Eleitoral. Não há registro desse tipo de serviço na prestação de contas de Ibaneis.

 
Segundo dados do documento ao qual a reportagem teve acesso, pelo menos quatro disparos foram feitos no dia 17 de outubro por meio da ferramenta BulkService, a mesma envolvida nos disparos em massa pelo WhatsApp revelados pela Folha de S. Paulo nas campanhas do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e de Fernando Haddad (PT).

A reportagem procurou a assessoria da campanha de Ibaneis e a empresa Efor Group, registrada na base de dados como contratante dos disparos. Ambas negaram ter envolvimento com as mensagens e disseram que “qualquer um pode agir de má-fé”, usando o nome da empresa ou de Ibaneis.

Disparos

Os quatro disparos, nomeados “Ibaneis-1”, “Ibaneis-2”, “Ibaneis-5” e “Ibaneis-6”, tinham a mesma mensagem, enviada por um perfil no WhatsApp identificado como “Enrolemberg”. A mensagem tinha o título “Investigações policiais ameaçam ‘mãos limpas’ de Rollemberg”, com emojis de sirenes. A foto do perfil traz um boneco inflável com o rosto de Rollemberg vestido de Pinóquio, com um nariz comprido em alusão ao personagem.

A mensagem também continha um vídeo produzido pelo Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF), publicado no canal do YouTube da entidade em 3 de outubro - antes do primeiro turno. O vídeo mostra diversas manchetes de jornais e sites sobre operações deflagradas pela Polícia Civil durante os quatro anos do governo de Rollemberg.

A assessoria do governador eleito afirma que a campanha de Ibaneis “não precisava” contratar esse tipo de serviço de disparos justamente pela vantagem que tinha nas pesquisas de intenção de voto. Ele recebeu 70% dos votos válidos no segundo turno.

A assessoria de imprensa do Sinpol também negou ter contratado qualquer tipo de serviço para divulgar o vídeo no aplicativo de troca de mensagens e disse não ter autorizado o uso da gravação em campanhas políticas.

A Yacows, responsável pelo BulkService, não respondeu o contato da reportagem até a manhã desta quarta-feira (7). O espaço está aberto caso as partes desejem se manifestar.

A Eficácia Organização, registrada como Efor Group, é mostrada na base de dados como contratante dos disparos, mas negou envolvimento. O Congresso em Foco entrou em contato, por telefone, com a empresa em duas ocasiões. No primeiro, sem que houvesse a identificação da reportagem, a funcionária que atendeu confirmou que a empresa ofereceu o serviço de disparo de mensagens para campanhas eleitorais e afirmou que o escritório tinha até uma base de dados para tal - o que é proibido pela lei eleitoral, uma vez que disparos só podem ser feitos para as próprias bases dos candidatos -, mas que a pessoa responsável não estava na empresa naquele momento.

No dia seguinte, mais uma ligação foi feita para a empresa. Após a identificação da reportagem, o funcionário apontado como responsável pela área confirmou que a companhia oferecia o serviço de disparo de mensagens, mas negou o fornecimento da base de números. Segundo ele, não houve contratações. Questionado sobre como o nome da empresa teria sido registrado nos dados do BulkService, o funcionário afirmou que pode ter sido alvo de má-fé.
 
Fonte: JL/Congresso em Foco
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
19/11/18, 21:27 | TRANSIÇÃO - Ministro, Moro deve levar ‘República de Curitiba’ para o governo Bolsonaro
19/11/18, 18:25 | TRANSIÇÃO - Petrobras pode ser privatizada em parte, diz Bolsonaro
19/11/18, 18:22 | SAÚDE PÚBLICA - Seleção para o Mais Médicos terá limitador de vagas por município
19/11/18, 18:19 | BENEFÍCIO - Entidades de classe defendem reajuste salarial do Judiciário
19/11/18, 14:34 | NOVO GOVERNO - Moro anuncia integrantes da Lava Jato na transição de governo
19/11/18, 14:30 | POLÍTICA - Bolsonaro recua e pede união de poderes: 'Não posso governar sozinho'
19/11/18, 12:53 | INTERNACIONAL - Chanceler diz que Bolsonaro não tem autoridade para questionar Cuba
19/11/18, 12:37 | INTERNACIONAL - Médicos cubanos fazem hospital no Uruguai ser referência nacional
19/11/18, 12:29 | POLÍTICA - Presidente do Supremo propõe “grande pacto” para tirar Brasil da crise
19/11/18, 12:13 | DESIGUALDADE - Bilionários pelo mundo ficam 20% mais ricos de 2017 para 2018
19/11/18, 12:09 | TRANSIÇÃO - Novo presidente da Petrobras já defendeu privatização 'urgente'
19/11/18, 12:04 | RELATÓRIO - 45 barragens sob ameaça de desabamento no Norte e Nordeste
19/11/18, 11:36 | TRANSIÇÃO - Bolsonaro retoma reuniões com autoridades em Brasília na 3ª feira
19/11/18, 11:33 | TRANSIÇÃO - Bolsonaro retoma reuniões com autoridades em Brasília na 3ª feira
19/11/18, 11:27 | ACIDENTE - Bebê de um mês morre após fralda enroscar em roda de moto no PI
19/11/18, 11:06 | CRIME - Acusado de matar esposa com 26 facadas vai a Júri no Piauí
19/11/18, 09:33 | INTERNACIONAL - Londres realiza passeata contra o fascismo e pela liberdade deLula
19/11/18, 09:28 | JUDICIÁRIO - TRF-4 publica no Diário Oficial da União exoneração de Sérgio Moro
19/11/18, 09:21 | SAÚDE - Cidade que deu 74% dos votos a Bolsonaro perde 75% dos médicos
19/11/18, 08:31 | POLÍTICA - Bolsonaro se reveza entre Rio, Brasília e São Paulo esta semana
19/11/18, 08:25 | POLÍTICA - Joice Hasselmann promete transformar seu mandato em um reality show
19/11/18, 08:22 | POLÊMICA - Prefeitos devem conversar com Temer sobre mudanças no Mais Médicos
18/11/18, 21:20 | BENEFÍCIOS - Pis/Pasep: Caixa e Banco do Brasil começam a pagar abono salarial a nascidos em novembro
18/11/18, 20:55 | PREVIDÊNCIA - Assessor de Bolsonaro sugeriu auxílio a idosos e pessoas com deficiência só a partir de 85 anos
18/11/18, 20:49 | CRISE - Bolsonaro: Prefeitos demitiram outros médicos para contratar cubanos
18/11/18, 20:34 | BRASILEIRÃO - Emprestado pelo Palmeiras, Erik garante gol da vitória do Botafogo e afunda Inter para terceiro
18/11/18, 20:28 | PROGRAMA - Como deputado, Bolsonaro propôs retirar direitos de familiares de médicos cubanos
18/11/18, 19:51 | OPINIÃO - Brasil colocou na presidência o mais despreparado dos políticos, diz sociólogo
18/11/18, 15:03 | IMBRÓGLIO - AMB propõe selecionar jovens endividados com FIES para ocupar Mais Médicos
18/11/18, 14:46 | ARTIGO JURÍDICO - Exoneração de Moro pela ótica da complexidade jurídica
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site