CBN - A rádio que toca notícia

POLÊMICA

Bolsonaro poderá mudar regras para armas sem passar pelo Legislativo

Apesar de diversos projetos sobre o tema no Congresso, o novo presidente poderá pressionar o Exército para flexibilizar normativas técnicas que, na prática, afrouxem as regras do Estatuto do Desarmamento

06/11/18, 15:57

A

utor do Projeto de Lei (PL) 3722/2012, que revoga o Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/2003), o deputado federal Rogério Peninha Mendonça (MDB/SC) anunciou, na segunda-feira (5), acordo com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para poupar esforços para sua votação ainda este ano. A ideia é esperar a posse dos novos deputados, a maioria de perfil ainda mais conservador, o que facilitará a aprovação.

“Se forçássemos a barra para votar esse ano, haveria risco de a proposta ser rejeitada – e um trabalho de 6 anos iria pelo ralo. A composição do novo Congresso é mais conservadora. Com os novos deputados, as chances de aprovarmos o PL 3722 são bem maiores”, escreveu Peninha em suas redes sociais.

No entanto, Bolsonaro terá chances de flexibilizar normativas técnicas que possibilitem, na prática, o afrouxamento do Estatuto do Desarmamento. E para isso nem precisará da aprovação de deputados e senadores, como no caso da aprovação do PL 3722, a mais adiantada das propostas nesse sentido que tramitam no Congresso.

“Como presidente, Jair Bolsonaro terá poder de negociação muito forte com o Congresso. Mas há regulação do sistema de armas dentro do próprio Executivo, por meio de portarias normativas do Exército, por exemplo. Então, como trata-se do corpo mais tecnicamente especializado neste tema, a definição do que são armas permitidas para mais categorias ou armas mais restritas, como aquelas só para as Forças Armadas ou Forças Especiais, é uma normativa definida pelo Exército”, disse a coordenadora de projetos do Instituto Sou da Paz, Natália Pollachi.

“Poderá sim existir pressão do Executivo para flexibilização destas normativas técnicas, que são baixadas por meio de portaria ou instrução técnica normativa, o que não passa pela avaliação do Congresso. É uma decisão própria do Exército”. 

O fato de o vice de Bolsonaro ser um militar, o general Hamilton Mourão, pode ampliar essa influência.  “Se eles fizerem essa pressão política, é possível que isso (flexibilização das normas) aconteça. Nós vemos isso com bastante preocupação, porque essa deveria ser uma decisão apenas técnica. Mas é preocupante a possibilidade de uma contaminação política”.

Conforme Natália, pesquisas apontam que a maioria das pessoas não é a favor de ter armas em casa – o que hoje é permitido. "Ou seja, as pessoas têm um posicionamento ainda mais conservador em relação ao Estatuto", disse a coordenadora.

O Estatuto permite até seis armas de fogo em casa, desde, é claro, que tenham sido cumpridas todas as exigências legais previstas. É preciso ter 25 anos ou mais, residência e renda comprovadas, não pode haver antecedente criminal e nem estar respondendo a processo criminal. Além disso, tem de passar por um teste psicológico, que avalia questões de controle da raiva, de reação a pressões e, principalmente, possíveis quadros psiquiátricos, como tendência à depressão e suicídio, por exemplo. E ter aprovação em teste de aptidão para tiro. 

Segundo ela destacou, há uma percepção equivocada também quanto à realidade envolvendo a defesa do armamento da população. "Acompanhando os debates nas mídias, nas redes sociais e mesmo dentro do Congresso, percebemos que uma pequena parcela da sociedade é favorável à liberação do acesso às armas. O problema é que trata-se de uma minoria muito barulhenta e muito organizada, que se manifesta muito, está presente em qualquer matéria e evento sobre o assunto, dando a falsa impressão de que é a maioria."
 
Fonte: JL/RBA
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
17/01/19, 22:02 | INVESTIGAÇÃO CRIMINAL - Fux diz que “protege” processo ao suspender o caso Queiroz
17/01/19, 21:59 | REPERCUSSÃO - Líderes do MBL criticam Flávio Bolsonaro por caso Queiroz
17/01/19, 21:54 | INTERNACIONAL - Atentado com carro-bomba mata ao menos dez em Bogotá
17/01/19, 21:41 | POLÍTICA - Área militar do governo mostra desconforto com suspensão da investigação do caso Queiroz
17/01/19, 21:21 | POLÊMICA - Ministros do STF ficaram surpresos com pedido de Flávio Bolsonaro
17/01/19, 17:59 | CRIME - Bernardo Mello Franco: Flávio Bolsonaro diz que não é, mas age como investigado
17/01/19, 17:48 | CASO QUEIROZ - 'Eu não quero foro privilegiado', disse Jair Bolsonaro ao lado de Flávio em 2017
17/01/19, 17:40 | POLÊMICA - Desembargadora que atacou Marielle diz que Boulos vai ser 'recebido a bala'
17/01/19, 16:41 | ARTIGO JURÍDICO - Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica
17/01/19, 16:22 | POLÊMICA - Liberação da posse de armas é 'projeto de morte mal-intencionado'
17/01/19, 16:17 | POLÊMICA - Ativistas temem explosão da violência no campo com flexibilização da posse de armas
17/01/19, 16:12 | REPERCUSSÃO - Decreto sobre armas pode elevar feminicídios e suicídios, aponta Sou da Paz
17/01/19, 14:35 | DESCASO - Prefeito de Luzilândia comete crime de improbidade e Receita bloqueia recursos
17/01/19, 13:54 | DESCASO - Deputado defensor da liberação da caça de animais vai comandar órgão de proteção florestal
17/01/19, 13:46 | CRIME - Policiais prendem suspeito de ter participado de ataque a Martha Rocha
17/01/19, 13:41 | INVESTIGAÇÃO - BOMBA: Investigado preso por assassinato de Marielle incrimina vereador aliado de Bolsonaro
17/01/19, 13:26 | ECONOMIA - Estados fazem pressão por socorro federal para equilibrar contas
17/01/19, 13:18 | POLÊMICA - Gisele Bündchen diz à ministra da Agricultura que mau brasileiro é quem desmata
17/01/19, 13:11 | CONFLITO - Ministro do STF manda suspender investigação sobre Queiroz, diz MP
17/01/19, 12:52 | CRIME - Procuradora aposentada condenada por torturar criança é presa no Rio
16/01/19, 19:25 | VATICANO - Papa pede a bispos que evitem esconder casos de abusos contra crianças
16/01/19, 19:15 | ECONOMIA - Aposentadoria de quem ganha acima do mínimo sobe 3,43%
16/01/19, 19:10 | ECONOMIA - Contribuição previdenciária vai mudar no salário pago em fevereiro
16/01/19, 18:42 | REFORMA - Sem incluir militares, reforma da Previdência perde, diz Paulo Guedes
16/01/19, 18:37 | POLÊMICA - Decreto sobre posse de armas favorece quem tem antecedentes criminais
16/01/19, 18:01 | ESPORTE - Juventus vence o Milan e é campeão da Supercopa da Itália
16/01/19, 13:32 | NOVA REGRA - Presunção de "efetiva necessidade" de posse de arma viola Constituição
16/01/19, 13:27 | EFEITO REBOTE - Comunidade jurídica diverge quanto à eficácia de decreto de armas
16/01/19, 12:41 | VIOLÊNCIA - Após decreto, interesse por armas cresce em lojas, mas preço assusta
16/01/19, 12:35 | ENTREVISTA - Autor do texto, Moro minimiza alteração no decreto de armas
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site