CBN - A rádio que toca notícia

POLÍTICA

Campanha presidencial de 2018 foi atípica

A estratégia de Bolsonaro de se apresentar como estrela maior contra “tudo que está aí” foi facilitada pelo fato de o candidato não ter sido arrastado pela tsunami da Lava Jato - que tragou quadros do PT, PMDB, PSDB e também colegas do centrão do deputado do PSL

07/10/18, 10:32

C

andidato esfaqueado, candidato preso substituído por outro na última hora – e  ambos líderes da disputa.  A campanha presidencial de 2018 chega ao fim inscrevendo esses e outros fatos inéditos na crônica da história recente.

Termina também abalando o prestígio do tradicional marketing político, batido pelas mensagens virais dos aplicativos - boa parte delas constituída pelo mais puro fake news.

Hoje nas urnas deverá se evidenciar ainda, conforme mostraram todas as pesquisas, que a polarização do eleitorado brasileiro, fortalecida no pleito de 2014 e no impeachment de 2016, tornou-se mais profunda e extensa.

Pela primeira vez, o principal embate alonga-se do campo da centro-esquerda – no qual PSDB e PT medem forças desde a década de 1990 – e chega à extrema-direita.

É nesse polo que se posiciona o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, primeiro colocado nas pesquisas. Em sua trajetória de 25 anos como deputado, Bolsonaro esforçou-se, ao privilegiar temas caros à agenda ultraconservadora, para ser o oponente preferencial da “ideologia esquerdista”.

Nessa condição, rivaliza-se hoje com Fernando Haddad, o amigo escolhido por Lula para substituí-lo e encabeçar a chapa do PT. Aqui verifica-se mais uma situação inusitada: os dois candidatos preferidos são também os que batem recorde de rejeição.  

A estratégia de Bolsonaro de se apresentar como estrela maior contra “tudo que está aí” foi facilitada pelo fato de o candidato não ter sido arrastado pela tsunami da Lava Jato - que tragou quadros do PT, PMDB, PSDB e também colegas do centrão do deputado do PSL.

Propaganda eleitoral

A eleição presidencial deste ano também soterra a crença de que um candidato já teria maiores chances de se eleger se tivesse tempo razoável de propaganda na TV e no rádio para apresentar um programa bem produzido e com mensagens eficazes.

Geraldo Alckmin (PSDB), que teve três vezes mais tempo de propaganda do que o PT, o segundo colocado, é o maior exemplo de que o horário eleitoral contou pouco. Alckmin saiu da campanha praticamente do mesmo tamanho que entrou.

Henrique Meirelles (PMDB), que gastou R$ 25 milhões do próprio bolso só com a produção de programas, também não decolou. Bolsonaro, entretanto, com míseros oito segundos, cresceu dia a dia nas pesquisas de intenção de voto.

Na campanha presidencial de 2018, as transmissões ao vivo na internet e as correntes de WhatsApp chegaram ao auge - algo que se desenhou em 2014. As redes sociais – e as notícias falsas que se propagam por elas - se consolidaram como meios de persuasão política.

Democracia

Saturados com o desemprego, violência e corrupção – temas sempre citados entre os cinco principais problemas do país -, os brasileiros chegam à sétima eleição direta para presidente apoiando fortemente a democracia.

Segundo pesquisa Datafolha, feita às vésperas do pleito, para 69% dos eleitores, a democracia é sempre a melhor forma de governo. Este foi, segundo o instituto, o índice mais alto registrado desde 1989, quando se realizou a primeira eleição direta logo após a promulgação da Constituição, que completou agora 30 anos. Em 1989, o índice era de 43%.

Um exemplo de que a democracia está mais viva do que nunca foi outro fato inédito ocorrido nesta campanha: pela primeira vez, um movimento de mulheres se organizou e levou milhares às ruas contra um presidenciável - no caso, Jair Bolsonaro.

Outra novidade que certamente marcará 2018 é a estoica campanha do nanico Cabo Daciolo (Patriota). “Não fiquei nas redes, não visitei comunidade alguma; só visitei os montes”, resumiu o candidato cujo lema mais repetido foi “Glória a Deus!”.

Fonte: JL/Agência Brasil
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
16/02/19, 16:31 | MOVIMENTO - Mulheres de esquerda querem reeditar os atos Ele Não no Dia da Mulher
16/02/19, 16:23 | ACIDENTE - Laudo do IML revela a causa da morte do jornalista Ricardo Boechat
16/02/19, 16:13 | ARTIGO JURÍDICO - Omissão e Violação à Constituição
16/02/19, 15:32 | POLÍTICA - Merval: demissão de Bebianno mostra que filhos mandam mais do que ministros
16/02/19, 15:21 | POLÍTICA - Janaina diz que ‘ninguém sabe por qual razão’ Bebianno deve ser demitido
16/02/19, 15:16 | CRISE - Bebianno posta que ‘o desleal’ sempre espera ‘o mundo desabar em sua cabeça’
16/02/19, 15:03 | IMBRÓGLIO - Demitido por Bolsonaro, Bebianno publica post valorizando a lealdade
16/02/19, 14:44 | VATICANO - Papa expulsa cardeal norte-americano acusado de abusos sexuais
15/02/19, 17:51 | CRIME - Chefe do partido de Bolsonaro contratou empresa do filho na campanha
15/02/19, 17:35 | POLÍTICA - Noblat detona Bolsonaro: usa camisa falsa e posa como indigente
15/02/19, 17:17 | POLÊMICA - Vice manda recado para filho do presidente da República: 'Roupa suja se lava em casa'
15/02/19, 17:03 | POLÍTICA - Dica a Sergio Moro no caso dos laranjas do PSL: basta seguir o dinheiro
15/02/19, 16:50 | CRIME - Investigação sobre Queiroz vai para Grupo de Combate à Corrupção do MP
15/02/19, 16:39 | PROPOSTA - Reforma da previdência incluirá alíquota maior para servidor e aumento do prazo de contribuição de militar
15/02/19, 16:35 | POLÍTICA - FHC: Todo início de governo é desordenado, mas o atual está abusando
15/02/19, 16:29 | EVENTO - Ato na Candelária lembra vítimas de tragédias recentes no país
15/02/19, 13:18 | HISTÓRIA - CASA PAROQUIAL DE LUZILÂNDIA: A história e o primeiro batizado de uma filha da terra
15/02/19, 09:51 | CONCURSO - Brasil mostra alta gastronomia e fecha negócios na França
15/02/19, 09:46 | INSTITUCIONAL - Vice-presidente da República recebe governador do Maranhão
15/02/19, 09:43 | LUTO - Homenagem a jovens mortos no Ninho do Urubu emociona Maracanã
14/02/19, 18:48 | PROPOSTA - Previdência: proposta é de idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres
14/02/19, 18:12 | CRISE - Militares tentam conter clã Bolsonaro e evitar a demissão de Bebianno
14/02/19, 18:00 | DISCURSO - PSL abre guerra contra o clã e Alexandre Frota pede Queiroz preso
14/02/19, 17:50 | CRISE - 'Não é bom discutir isso em público', diz Mourão sobre Bolsonaros
14/02/19, 16:51 | CRISE - Laranjas do PSL 'selecionadas' por Bebianno fragilizam governo Bolsonaro
14/02/19, 16:46 | PREVIDÊNCIA - Bolsonaro usa discurso falso para atacar aposentadoria de agricultores
14/02/19, 16:40 | DISCUSSÃO - Estudo: Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
14/02/19, 16:07 | CRISE - 'Não se dá um tiro na nuca do seu próprio soldado', diz Bebianno a interlocutores
14/02/19, 16:01 | CRISE - Padrão fritura dos Bolsonaros no caso Bebianno deixa aliados perplexos
14/02/19, 15:57 | CRISE - 'Está todo mundo dentro de uma saia muito justa', diz Joice Hasselmann
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site