CBN - A rádio que toca notícia

ESTATÍSTICA

Denúncias de violência contra a mulher chegam a 73 mil, em 2018

As principais agressões denunciadas são cárcere privado, violência física, psicológica, obstétrica, sexual, moral, patrimonial, tráfico de pessoas, homicídio e assédio no esporte. As denúncias também podem ser registradas pessoalmente nas delegacias especializadas em crime contra a mulher

07/08/18, 17:34

A

Lei Maria da Penha completa 12 anos nesta terça-feira (7) em meio a várias notícias de crimes cometidos contra mulheres, principalmente homicídios. Sancionada em 7 de agosto de 2006, a Lei 11.340 representa um marco para a proteção dos direitos femininos ao endurecer a punição por qualquer tipo de agressão cometida contra a mulher no ambiente doméstico e familiar.

Em pouco mais de uma década de vigência, a Lei motivou o aumento das denúncias de casos de violação de direitos. Segundo o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), que administra a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, o Ligue 180, foram registradas no primeiro semestre deste ano quase 73 mil denúncias. O resultado é bem maior do que o registrado (12 mil) em 2006, primeiro ano de funcionamento da Central.

As principais agressões denunciadas são cárcere privado, violência física, psicológica, obstétrica, sexual, moral, patrimonial, tráfico de pessoas, homicídio e assédio no esporte. As denúncias também podem ser registradas pessoalmente nas delegacias especializadas em crime contra a mulher.

A partir da sanção da Lei Maria da Penha, o Código Penal passou a prever estes tipos de agressão como crimes, que geralmente antecedem agressões fatais. O código também estabelece que os agressores sejam presos em flagrante ou tenham prisão preventiva decretada se ameaçarem a integridade física da mulher.

Pela primeira vez, a Lei também permitiu que a justiça adote medidas de proteção para mulheres que são ameaçadas e correm risco de morte. Entre as medidas protetivas está o afastamento do agressor da casa da vítima ou a proibição de se aproximar da mulher agredida e de seus filhos.

Além de crime, a Organização Mundial de Saúde (OMS) ainda considera a violência contra a mulher um grave problema de saúde pública, que atinge mulheres de todas as classes sociais.

A lei leva o nome de Maria da Penha Maia, que ficou paraplégica depois de levar um tiro de seu marido. Até o atentado, Maria da Penha foi agredida pelo cônjuge por seis anos. Ela ainda sobreviveu a tentativas de homicídio pelo agressor por afogamento e eletrocussão.

Feminicídio

Fruto da Lei Maria da Penha, o crime do feminicídio foi definido legalmente em 2015 como assassinato de mulheres por motivos de desigualdade de gênero e tipificado como crime hediondo. Segundo o Mapa da Violência, quase 5 mil mulheres foram assassinadas no país, em 2016. O resultado representa uma taxa de 4,5 homicídios para cada 100 mil brasileiras. Em dez anos, houve um aumento de 6,4% nos casos de assassinatos de mulheres.

Nos últimos dias, alguns casos de agressão e morte contra mulheres repercutiram em todo o país e reacendeu o debate em torno da violência de gênero. No interior do Paraná, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) apresentou denúncia por feminicídio contra o biólogo Luís Felipe Manvailer pelo assassinato de sua esposa, a advogada Tatiane Spitzner. Ela foi encontrada morta, no dia 22 de julho, depois de, supostamente, ter sido empurrada do 4º andar do prédio onde o casal morava, em Guarapuava (PR).

Em Brasília, a Polícia Civil prendeu ontem (6) em flagrante um homem de 44 anos acusado de matar a esposa. A mulher de 37 anos morreu depois de cair do terceiro andar do prédio onde o casal morava.  O agressor vai responder pelo crime de homicídio triplamente qualificado (quanto é cometido por motivo torpe, sem possibilidade de defesa da vítima e feminicídio). Segundo a investigação, neste caso há histórico de violência doméstica, com brigas frequentes, agressões, injúrias e ameaças recíprocas.

No Rio de Janeiro, onde uma mulher grávida foi assassinada ontem (6) e o principal suspeito é o marido, policiais civis também cumprem mandados de prisão de acusados de violência física e sexual contra mulheres.

Em Minas Gerais, a Polícia Civil deflagrou nesta terça-feira (7) uma operação especial para prender agressores de mulheres. Durante a manhã, foram cumpridos 61 mandados de prisão; quatro agressores foram presos em flagrante e foram feitas 306 visitas tranquilizadoras, para monitorar casos de medidas protetivas.

Fonte: JL/Agência Brasil
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
11/12/18, 17:42 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Ministro do STF vê “indícios de relação ilícita” entre Aécio e delatores da JBS
11/12/18, 15:56 | CRIME - Tiroteio em catedral deixa cinco mortos no centro de Campinas
11/12/18, 15:52 | CRIME - Em 24 horas, 78 supostas vítimas de João de Deus procuram MP de Goiás
11/12/18, 15:48 | PARLAMENTO - Comissão encerra sem votar Escola sem Partido e arquiva projeto
11/12/18, 11:46 | PROPINA - PF queria prisão domiciliar a Aécio, Paulinho e Cristiane; PGR negou
11/12/18, 11:39 | TRANSIÇÃO - Militares apresentam a Bolsonaro situação da segurança nos estados
11/12/18, 11:36 | ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA - Operação da PF combate fraudes em licitações no Nordeste
11/12/18, 10:50 | INVESTIGAÇÃO - Assessor de Bolsonaro movimentou R$ 1,2 mi e mora em casa pobre
11/12/18, 10:44 | POLÍTICA - Dono de carreira promissora, Aécio Neves destruiu a própria imagem
11/12/18, 10:33 | PROPINA - Paulinho vendeu apoio do Solidariedade ao PSDB por R$ 15 milhões
11/12/18, 09:58 | CRIME - Filha de João de Deus processa médium por estupro, diz O Antagonista
11/12/18, 09:54 | ESCÂNDALO - Filho do presidente eleito, Flávio Bolsonaro, pode virar alvo de CPI
11/12/18, 09:17 | POLÊMICA - Senador Major Olímpio retoma luta para acabar com torcidas organizadas
11/12/18, 08:57 | CORRUPÇÃO & PROPINA - PF faz busca e apreensão contra primo e irmã de Aécio em Minas
11/12/18, 08:42 | CRIME - PF faz buscas em imóveis de Aécio para investigar propina de R$ 110 milhões
10/12/18, 23:08 | ESCÂNDALO - Moro defende apuração sobre caso envolvendo ex-assessor do filho de Bolsonaro
10/12/18, 20:30 | PRÊMIO - Vencedores do Nobel da Paz pedem justiça contra abusos sexuais
10/12/18, 20:25 | PROTESTO - ONG Rio de Paz coloca faixa na Lagoa com o número de PMs mortos
10/12/18, 20:17 | ESPORTE - Atacante Marta é homenageada na Calçada da Fama do Maracanã
10/12/18, 19:39 | POLÍTICA - Rosa Weber defende direitos humanos na diplomação de Bolsonaro
10/12/18, 19:36 | POLÍTICA - Fala de Rosa Weber é "fora de tom e de propósito", diz deputada eleita
10/12/18, 19:30 | POLÍTICA - Em diplomação, Bolsonaro pede confiança daqueles que não votaram nele
10/12/18, 13:53 | MOVIMENTAÇÃO ATÍPICA - ESCÂNDALO DOS BOLSONARO's: Moro diz que não cabe a ele dar explicações sobre relatório do Coaf
10/12/18, 13:01 | GESTÃO PÚBLICA - Secretário de Educação de SP vem a Teresina visitar rede municipal de ensino
10/12/18, 12:56 | ACIDENTE - Mulher levada por enxurrada durante chuva em Teresina é encontrada morta
10/12/18, 12:02 | EVENTO - Seminário defende democracia e celebra 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos
10/12/18, 11:58 | INVESTIGAÇÃO - Prefeito de Niterói é preso em operação da Lava Jato no Rio
10/12/18, 11:53 | TRANSIÇÃO - Saiba quem são os 22 ministros da Esplanada de Bolsonaro
10/12/18, 11:43 | JUDICIÁRIO - Bolsonaro indicará pelo menos 12 nomes no Judiciário; leia a lista
10/12/18, 11:34 | ARTIGO - Constituições Universais que mudaram a humanidade
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site