CBN - A rádio que toca notícia

ELEIÇÕES 2018

Marta Suplicy não aceita ser vice de Meirelles e anuncia desfiliação do MDB

Senadora diz estar deixando vida política

03/08/18, 18:32

A

senadora Marta Suplicy (SP) pediu a desfiliação do MDB. Ela migrou para o partido após a ruptura com o PT ainda no governo da ex-presidente Dilma Rouseff. Marta também abriu mão de tentar a reeleição no Senado e disse estar deixando a vida pública.

“Creio que poderei contribuir mais para mudanças atuando na sociedade civil do que continuando no parlamento”, disse em nota.

Marta foi cotada para ser vice na chapa de Henrique Meirelles, mas declinou ao posto. A senadora não fez menção ao fato em sua declaração à imprensa.

Sem citar o MDB, Marta afirmou que “não é novidade que os partidos políticos brasileiros, de forma geral, encontram-se fragilizados, acuados e sem norte político”.

Em nota, o presidente do MDB, senador Romero Jucá (RR), afirmou que conversou com Marta por telefone e a paulista alegou “motivos pessoais”.

“O partido lamenta, mas respeita a decisão da senadora”, afirmou o MDB em nota. Jucá disse “ter carinho e respeito por toda sua trajetória ao longo dos anos na vida pública e política do País”. 

Marta foi deputada federal e senadora por São Paulo e se elegeu prefeita da capital em 2001. Foi ministra do Turismo do governo de Luiz Inácio Lula da Silva e ministra da Cultura do governo Dilma Rousseff.

Eis a íntegra da nota da senadora:

CARTA AOS PAULISTAS

Muitas vezes, vi-me em tempos de travessia. Em alguns deles, acreditei ter luzes no outro lado do rio. Agora, com toda a energia necessária para continuar remando, tomei a decisão sobre o futuro da minha vida política, encarando a realidade de frente, para poder seguir com coerência, ousadia e coragem. Anuncio que não concorrerei à reeleição a senadora da República pelo Estado de São Paulo e comunico a minha desfiliação do Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Não é novidade que os partidos políticos brasileiros, de forma geral, encontram-se fragilizados, acuados e sem norte político. Não mais conseguem dar respostas à crise de credibilidade que se abateu sobre eles e nem tampouco estão empenhados na mudança de posturas que os levaram à mais grave crise de suas histórias. Orientam suas movimentações políticas pela lógica exclusiva de fazerem crescer suas bancadas parlamentares com o objetivo perverso e mesquinho de fortalecerem-se na divisão e loteamento de cargos e espaços de poder.

A relação de grande parte dos partidos e de parlamentares com o Executivo na base de nomeações e vantagens levou ao insuportável “toma lá dá cá”, afrontando todos os padrões de dignidade e honradez da sociedade. Esse sistema faliu e precisa ser, urgentemente, reformado.

O Congresso Nacional, hoje, na sua maioria, não tem se colocado a favor das causas progressistas, fundamentais para o avanço da sociedade. Ao contrário, tornou-se refém de uma agenda atrasada dos costumes da sociedade, negando-se a reconhecer e a regulamentar as relações entre as pessoas de forma a contemplar as diversidades das sociedades modernas e a respeitar os direitos individuais do ser humano.

Quero agradecer aos 8,3 milhões de paulistas que me deram a oportunidade de, nos últimos 8 anos, trabalhar como senadora defendendo as bandeiras que me levaram à vida pública: o combate às desigualdades e às injustiças sociais, a militância pelos direitos de cidadania das mulheres e da população LGBTI e pela igualdade de oportunidades para todos.

Neste momento, creio que poderei contribuir mais para mudanças atuando na sociedade civil do que continuando no parlamento. Permanecerei participando politicamente da vida pública brasileira. A partir de 2019, não mais como parlamentar, mas em todas as trincheiras que me levem ao lado da defesa dos interesses dos mais pobres, dos injustiçados e na luta pelo empoderamento das meninas e das mulheres.

Estou convencida de que o Brasil precisa de um projeto nacional de desenvolvimento estruturado que abranja setores fundamentais para o crescimento do país. Temos de aumentar, significativamente, a produção e a riqueza. Isso possibilitará todo brasileiro e toda brasileira terem educação de qualidade, saúde, segurança e um emprego para trabalhar e viver com dignidade.

São Paulo, 03 de agosto de 2018.
Senadora Marta Suplicy

Fonte: JL/PODER 360
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
21/02/19, 22:13 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Procuradora reitera ao Supremo que receba denúncia contra 'quadrilhão do MDB'
21/02/19, 21:40 | JUDICIÁRIO - Quatro ministros do STF votam para enquadrar homofobia como crime de racismo
21/02/19, 21:37 | INDENIZAÇÃO - Famílias recusam proposta do Flamengo e impasse continua
21/02/19, 21:28 | POLÍTICA - Senado pode antecipar indicação de relator da reforma da Previdência
21/02/19, 16:11 | ARTIGO - Previdência Social x Assistência Social
21/02/19, 15:52 | POLÊMICA - Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
21/02/19, 15:46 | PREVIDÊNCIA - 'Reforma' vai criar país de idosos pedindo esmola, diz economista
21/02/19, 14:04 | POLÍTICA - Oposição tranca pauta da Câmara em protesto à reforma da Previdência
21/02/19, 13:57 | POLÍTICA - Centrão ameaça e diz que reforma não avança sem diálogo com o Planalto
21/02/19, 13:45 | ECONOMIA - Ford anuncia fechamento de sua fábrica em São Bernardo do Campo
21/02/19, 13:43 | POLÍTICA - TSE rejeita consulta de Bolsonaro sobre doação de sobras de campanha
21/02/19, 07:47 | PREVIDÊNCIA - Reforma de Bolsonaro quer criar uma legião de idosos miseráveis no Brasil
20/02/19, 20:59 | CRISE - OUTRA BOMBA: Bolsonaro escala Onyx para negociar acordo com Bebianno
20/02/19, 20:25 | REFORMAS - Governadores e parlamentares resistem a mudanças na aposentadoria rural
20/02/19, 17:05 | INDIGNAÇÃO - Flávio Dino: reforma da Previdência de Bolsonaro é ‘contra os mais pobres’
20/02/19, 16:49 | POLÊMICA - Aposentado que trabalha perderá direito a FGTS e a multa de 40% se demitido
20/02/19, 16:21 | ECONOMIA - Governo quer tempo de contribuição de 35 anos para militares
20/02/19, 16:16 | POLÊMICA - Reforma tem que ser aprovada na Câmara e no Senado em dois turnos
20/02/19, 16:14 | JUDICIÁRIO - No STF, Moraes diz esperar judicialização de reforma da Previdência
20/02/19, 15:29 | PREVIDÊNCIA - Idosos em situação de miséria só receberão o salário mínimo aos 70 anos
20/02/19, 15:24 | POLÍTICA - IBANEIS: Governo não tem 50 votos para aprovar Previdência
20/02/19, 15:14 | PREVIDÊNCIA - Pensionistas poderão receber menos que um salário mínimo
20/02/19, 12:30 | PREVIDÊNCIA - Governo quer mudar de 65 para 70 anos a idade mínima para conceder salário a idosos
20/02/19, 11:57 | INVESTIGAÇÃO - Candidata laranja que recebeu R$ 400 mil do PSL depõe na PF
20/02/19, 11:44 | REFORMAS - Pensão por morte será 60% do benefício quando houver um dependente
20/02/19, 11:28 | REFORMA - Trabalhador levará 40 anos para chegar a 100% do benefício na nova Previdência
19/02/19, 21:58 | CORRUPÇÃO & PROPINA - Aloysio Nunes pede demissão de cargo em SP após ser alvo da Lava Jato
19/02/19, 21:56 | POLÍTICA - Bolsonaro indica senador do MDB para ser líder do governo
19/02/19, 21:53 | TRAGÉDIA - Flamengo se recusa a fazer acordo para indenizar famílias de vítimas
19/02/19, 21:26 | POLÍTICA - Moro retira caixa 2 de pacote anticrime após pressão de políticos
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site