CBN - A rádio que toca notícia

POLÍTICA

Lei Eleitoral restringe atos do poder público a partir de hoje

Entre as condutas vedadas está a transferência voluntária de recursos

07/07/18, 11:23

A

transferência voluntária de recursos da União para os estados e municípios, bem como dos governos estaduais aos municipais, está proibida a partir de hoje (7), devido às eleições de outubro. Essa é uma das condutas vedadas pela Lei Eleitoral três meses antes do pleito, visando evitar que atos do poder público afetem a igualdade de oportunidades entre os diversos candidatos. O descumprimento das proibições pode levar desde a anulação do ato, passando por multa para o agente público responsável pela iniciativa até a cassação do registro ou do diploma do candidato beneficiado.

Segundo o assessor da Presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Sérgio Ricardo dos Santos, a legislação proíbe atos que possam influenciar o pleito, desequilibrando a disputa eleitoral. "Essa previsão visa trazer equilíbrio à eleição, ainda mais no cenário em vivemos em que é possível a reeleição. Quem tem a caneta na mão, no caso o governante, poderia eventualmente explorar aquele ato de uma forma não ortodoxa, incluindo aspectos que possam favorecer possíveis candidatos", argumentou. "A promoção do equilíbrio da disputa é fundamental para a garantia da democracia", completou.

Conforme dados do Portal da Transparência, neste ano, a União transferiu R$ 157,7 bilhões, o que representa 11,5% dos gastos públicos. Desse total, R$ 107,3 bilhões são repasses obrigatórios (constitucionais e royalties). Os demais R$ 50,5 bilhões são transferências voluntárias.

A Lei Eleitoral abre exceção para o repasse voluntário de recursos decorrentes de convênios assinados anteriormente, para a realização de obras ou serviços em andamento e com cronograma pré-fixado, além da liberação de verbas para atender situações de emergência e calamidade pública. 

Condutas proibidas

Uma das ações vedadas mais recorrentes na Justiça Eleitoral é a propaganda institucional. Neste período é proibida a veiculação da propaganda institucional de órgãos públicos. Ou seja, a publicidade dos atos do governo terá caráter exclusivamente educativo, informativo ou de orientação social, sem nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção de autoridades. Pode ser veiculada também publicidade de produtos e serviços que disputem mercado. Por exemplo, do Banco do Brasil.

As campanhas de utilidade pública, como os anúncios de vacinação, são permitidas desde que submetidas à deliberação da Justiça Eleitoral. "É avaliado se existe gravidade de fato e urgência que indique a necessidade de o poder público fazer uso da mídia", explicou Santos. Neste período também não pode haver pronunciamentos em rede de rádio e televisão, exceto em casos de urgência autorizados pela Justiça Eleitoral.

A Lei Eleitoral proíbe ainda nomear, contratar, admitir, demitir sem justa causa, tirar vantagens funcionais, impedir o exercício profissional, transferir, remover ou exonerar servidor público até a posse dos eleitos. Nesse caso também há exceções: são permitidas nomeações e exonerações de cargos de confiança, nomeações para cargos do Poder Judiciário, do Ministério Público, dos tribunais ou conselhos de contas e dos órgãos da Presidência da República, bem como de aprovados em concurso públicos homologados até este sábado.

A partir de hoje, o poder público não pode contratar shows pagos com dinheiro público para inaugurações de obras, bem como os candidatos não devem participar desses eventos. Em ano eleitoral é proibida a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios pela administração pública, exceto nos casos de calamidade pública, de estado de emergência ou de programas sociais autorizados em lei e já em execução orçamentária no exercício anterior. Os programas sociais não poderão ser executados por entidade nominalmente vinculada a candidato ou por ele mantida. 

Fonte: JL/Agência Brasil
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
13/11/18, 22:29 | ECONOMIA - Crítica não deveria recair sobre salários, mas sobre gastos com Poderes, diz senador
13/11/18, 22:25 | PARLAMENTO - Congresso Nacional aprova recursos para área de segurança pública
13/11/18, 21:59 | POLÍTICA - Bolsonaro quer reduzir em 30% número de comissionados nos ministérios
13/11/18, 21:54 | INVESTIGAÇÃO - Gilmar pede vista de denúncia contra Ciro Nogueira e Eduardo da Fonte
13/11/18, 21:48 | ECONOMIA - Taxa de informalidade de novos ocupados chega a 74% em pesquisa Dieese
13/11/18, 21:38 | TRANSIÇÃO - Cotado para a Saúde é investigado sob suspeita de caixa 2 e fraude
13/11/18, 21:34 | TSE - Barroso dá três dias para Bolsonaro explicar inconsistência em contas
13/11/18, 21:21 | CORRUPÇÃO & PROPINA - TRF-1 concede habeas corpus a Cunha, mas ele continua preso
13/11/18, 15:18 | CRIME - Operação Anjos da Lei combate tráfico de droga nas escolas
13/11/18, 15:14 | ECONOMIA - Tesouro diz que 14 estados superam limite de gastos com pessoal
13/11/18, 15:10 | TRANSIÇÃO - Conheça os nomes já confirmados para equipe ministerial de Bolsonaro
13/11/18, 14:26 | POLÊMICA - Flávio Dino decreta liberdade de opinião e pensamento nas escolas do Maranhão
13/11/18, 13:49 | MOVIMENTO - Centrais programam atos contra reforma da Previdência e fim do Ministério do Trabalho
13/11/18, 13:33 | VATICANO - Papa Francisco presenteia Rio de Janeiro com uma escultura de ‘Jesus sem-teto’
13/11/18, 12:35 | DESCASO - Ministra de Temer passeia por Itália, França e Alemanha em jatinho da FAB
13/11/18, 12:29 | POLÊMICA - Onyx diz que ONGs não podem ditar o que Brasil deve fazer na área ambiental
13/11/18, 12:26 | POLÍTICA - Bolsonaro mantém sua estratégia e priorizará comunicação nas redes sociais
13/11/18, 12:22 | CONTAS PÚBLICAS - Judiciário deve estourar novamente o teto de gastos públicos
13/11/18, 12:18 | IMPRENSA - Se Bolsonaro reduzir as verbas, a grande mídia vai cair num buraco negro
13/11/18, 11:53 | JUDICIÁRIO - TRF-2 torna deputados estaduais do Rio presos preventivos
13/11/18, 10:55 | ARTIGO - Poderes do juiz e os princípios da neutralidade e da imparcialidade
13/11/18, 09:24 | EDUCAÇÃO - Tecnologia poderá ajudar na implantação do novo Ensino Médio
13/11/18, 09:17 | JUSTIÇA - Barroso diz que debate sobre aborto deve ser feito no Supremo
13/11/18, 09:13 | JUSTIÇA - Alexandre de Moraes diz que papel do STF é evitar ditadura da maioria
13/11/18, 00:33 | CAMPANHA ELEITORAL - TSE aponta 17 indícios de irregularidades nas contas de Bolsonaro
12/11/18, 23:01 | ARTIGO JURÍDICO - CASO DR. SABÓIA EM LUZILÂNDIA: "Prescrita a pena principal, prescrita estará também a pena acessória"
12/11/18, 20:11 | TRANSIÇÃO - 'Se não abrir a caixa-preta do BNDES, está fora', diz Bolsonaro sobre Levy
12/11/18, 20:03 | ESPORTE - Sem Neymar, seleção vai a campo com oito convocados e aguarda chegadas
12/11/18, 19:53 | NATAL - Papai Noel dos Correios: cartas podem ser adotadas pela web
12/11/18, 19:38 | JUDICIÁRIO - Brasil tem cerca de 22,6 mil jovens privados de liberdade, diz CNJ
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site