CBN - A rádio que toca notícia

ARTIGO

Delação premiada e os valores éticos e morais em defesa da sociedade

É pela concretização da colaboração premiada que se pode evitar que outros delitos se repitam e que cesse os cursos daqueles que estão sendo investigados e denunciados

16/07/17, 16:27
Por Nixonn Freitas Pinheiro, advogado
 
N
o cotidiano, muito embora ética e moral estejam relacionadas entre si, a ética, entretanto, é que exerce uma permanente vigilância sobre a moral do homem. Isso porque os termos têm conceitos distintos. Não raro, faz-se uma tremenda confusão entre ética e moral. Na aplicação do Direito e da norma jurídica, por exemplo, a confusão persiste em não saber-se operar a distinção. Ética significa modo de ser, de agir. Enquanto que a moral tem sua origem nos costumes, na educação de berço.

Na concepção de Nair de Souza Motta, em sua obra “Ética e Vida Profissional”, a ética é “um conjunto de valores que orientam o comportamento do homem em relação aos outros homens na sociedade em que vive, garantindo, outrossim, o bem-estar social. É a forma como o homem deve se comportar no seu meio social”. Para Èmile Durkheim, em seu compêndio “Da divisão do trabalho social”, “Moral é a “ciência dos costumes”, sendo algo anterior à própria sociedade e tem caráter obrigatório no convívio humano”.

Sustentado nos pilares sociais em epígrafe, buscou-se nas desenvolvidas e aprimoradas legislações penais do mundo instituir-se a delação alicerçada em valores éticos e morais. Como meio, portanto, a ser utilizado na procura da verdade criminal. Na Ciência da Criminologia, ninguém obtém uma verdade real-penal que não seja pela ética e pela moral. Socialmente, de acordo com a filosofia de Renan Bardine, “ética e moral são os maiores valores do homem livre. Ambos significam ‘respeitar e venerar a vida’”.

Entre nós, delatar tem sido objeto de contestação pelos atingidos e alcançados pela lei. De que, por exemplo, os delatores não têm moral e não agem com ética para delatar partícipes de crimes. Que, hoje, o instituto se transformou em uma imoralidade representada pela traição.

Em verdade, os(as) alcançados(as) por operações criminais não se cansam em tentar desvirtuar propositalmente o instituto. Sob o ângulo penal, não há nada de imoral delatar um comparsa. Delatar está inserido em um contexto de proteção da sociedade e não de criminosos. A delação nasceu em todo o mundo como arma para proteger o seio social e não para blindar infratores. Para, enfim, assegurar-se uma punibilidade rápida e eficiente.

É pela concretização da colaboração premiada que se pode evitar que outros delitos se repitam e que cesse os cursos daqueles que estão sendo investigados e denunciados. Como instituto jurídico-penal, o fundamental na delação é vencer pactos de silêncio estabelecidos entre criminosos.

Muitos tentam confundir álibi (versão criminal) com delação. No álibe não há obrigatoriedade do criminoso-confesso falar a verdade. Ele pode até mentir. Ao contário, na delação o criminoso-delator é obrigado a comprovar o que delata na busca da verdade real sobre determinado crime ou crimes.  No álibi, na versão criminal, prepondera o princípio da inocência. Na delação não. Ou o criminoso comprova o fato delatado ou não surtirá efeito aquilo que disser.

No aspecto jurídico do álibi (que pode derivar de uma confissão ou não) não há exigência para que o criminoso diga a verdade e somente a verdade. Na delação, no entanto, ele não pode mentir. Isso porque, além de “entregar” o chefe da organização criminosa o delator obriga-se também a “entregar” os demais comparsas, comprovando a verdade dos fatos articulados, seja por outros fatos ou por qualquer meio de prova admitido em Direito.

O Brasil estava atrasado em modernização processual penal. A instituição da colaboração premiada, como bem salienta Ricardo de Freitas Mello, citando os juristas Luiz Flávio Gomes e Luiz Flávio Borges D’Urso, “os benefícios propostos pela delação premiada estão em perfeita consonância com o caráter despenalizador defendido pelo direito processual moderno de intervenção mínima, se aproximando inclusive de uma proposta mais ressocializadora, já que permite uma maior valorização do réu colaborador na história delituosa”.

Por fim, no atual sistema penal brasileiro a delação premiada assume papel fundamental: "estimular à verdade processual". Tudo na proteção da sociedade e em defesa do bem comum.

Fonte: JL
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
24/06/18, 13:33 | CRIME - PF deve concluir inquérito que investiga Temer no início de julho
24/06/18, 13:28 | TECNOLOGIA - Uso de mídias sociais, internet e smartphone aumenta no mundo, diz pesquisa
24/06/18, 13:15 | SEGURANÇA - 6.368 pessoas morreram nas cadeias do país de 2014 a 2017
24/06/18, 12:49 | SEGURANÇA - Presos fazem buraco em parede de cela e fogem da delegacia de Barras-PI
24/06/18, 12:42 | POLÊMICA - Uruguai legalizou maconha e elevou penas para tráfico de outras drogas
24/06/18, 12:34 | ACOLHIMENTO - Refugiados e estrangeiros elogiam receptividade dos brasileiros
24/06/18, 12:27 | COPA DO MUNDO - Panamá é goleado pela Inglaterra, mas festeja primeiro gol em Copas
23/06/18, 18:26 | ENTREV ISTA - Ministro do STF diz que prisão de Lula “viola a Constituição”
23/06/18, 17:46 | POLÍTICA - Desaprovação a Bolsonaro sobe a 64%, diz pesquisa
23/06/18, 17:04 | ESPORTE - Kroos marca nos acréscimos contra a Suécia e mantém a Alemanha viva na Copa
23/06/18, 16:55 | IGREJA - Vaticano condena sacerdote acusado de pedofilia a cinco anos de prisão
23/06/18, 16:50 | DADOS - Seis em cada 10 jovens pensam em deixar o país para morar no exterior
23/06/18, 16:46 | COPA - Lesão tira Douglas Costa do jogo do Brasil contra a Sérvia
23/06/18, 16:43 | COPA DO MUNDO - Bélgica goleia Tunísia por 5 a 2 em Moscou
23/06/18, 16:40 | COPA DO MUNDO - México vence a Coreia por 2 a 1 e chega a seis pontos no Grupo F
23/06/18, 08:38 | INFRAESTRUTURA - Brasil precisa investir R$ 345,8 bi para universalizar saneamento até 2033
23/06/18, 08:35 | POLÊMICA - Fazenda Nacional questiona juiz Sérgio Moro por decisão
23/06/18, 08:12 | COPA - Torcedores do Brasil e da Argentina se envolvem em pancadaria
23/06/18, 07:53 | SAÚDE PÚBLICA - SUS incorpora novos tratamentos para doenças raras
23/06/18, 07:50 | CRIME - ONU Mulheres condena assédio promovido por brasileiros na Rússia
23/06/18, 07:47 | INTERNACIONAL - PF prende brasileiro foragido em estádio de São Petersburgo na Rússia
22/06/18, 22:24 | COPA DO MUNDO - Quatro seleções já estão classificadas para a próxima fase
22/06/18, 22:11 | ELEITOR - Datafolha mostra Lula como preferido para tirar Brasil da crise
22/06/18, 22:09 | LEI - Código de Defesa do Usuário do Serviço Público entra em vigor
22/06/18, 21:35 | DIREITOS HUMANOS - Manifestantes fazem passeata no Rio pela legalização do aborto
22/06/18, 21:29 | ESPORTE - Nono dia da Copa teve vitórias do Brasil, Nigéria e Suíça
22/06/18, 21:01 | COPA DO MUNDO - Neymar reage a críticas e desabafa nas mídias sociais
22/06/18, 00:04 | INVESTIGAÇÃO - Cármen Lúcia aquiva investigação sobre menções a ministros do STF na delação da JBS
21/06/18, 23:58 | PARLAMENTO - Deputados tentam mas não conseguem barrar CPI das delações
21/06/18, 23:52 | INVESTIGAÇÃO - Barroso inclui delação de Funaro em inquérito contra Temer
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site