CBN - A rádio que toca notícia

ARTIGO

O canto da sereia

Com o pretexto de “modernizar” as relações do trabalho, retomar o crescimento econômico e gerar novos empregos, o governo patrocina a destruição de conquistas sociais dos trabalhadores. Apoiado por sua base parlamentar, faz o jogo sujo do grande capital

12/07/17, 18:17
 
N
a mitologia grega, as sereias eram seres demoníacos, capazes de atrair qualquer um que ouvisse o seu canto. Os marinheiros, seduzidos por seu belíssimo som, descuidavam da embarcação e naufragavam. Por isso, o ardiloso Ulisses, ao regressar de Tróia, pediu para ser amarrado ao mastro de sua embarcação. Queria ouvir o canto, mas sem correr o risco de se ver atraído por seu encanto.

O atual canto da sereia, na versão brasileira, é representado pelo movimento em curso para realização da “reforma trabalhista”.

Com o pretexto de “modernizar” as relações do trabalho, retomar o crescimento econômico e gerar novos empregos, o governo patrocina a destruição de conquistas sociais dos trabalhadores. Apoiado por sua base parlamentar, faz o jogo sujo do grande capital.

Por meio do PL nº 78/2017, já aprovado pela Câmara dos Deputados e com votação prevista para ontem no Senado Federal, busca modificar mais de duzentas normas contidas na boa CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). A iniciativa é vendida como moderna, pois atenderia aos interesses das partes, refletiria as necessidades da sociedade, ampliaria a força do sindicato, aumentaria o número de postos de trabalho e seria boa para a classe empresarial.

Um olhar atento sobre o texto até aqui aprovado, porém, deixa claro que o discurso não corresponde à realidade. A retórica da “modernização” oculta os reais objetivos da “reforma”, que almeja na prática tornar precários os vínculos, ampliar as jornadas de trabalho, reduzir os salários e até eliminar direitos históricos dos trabalhadores.

Há na “reforma” ampliação da terceirização, criação do trabalho intermitente, banalização do trabalho autônomo, premiação como indenização, jornada de trabalho de 12 horas e supressão do intervalo para descanso e alimentação. E mais: trabalho de gestante em condições insalubres, eliminação de direitos previstos em lei por meio da negociação coletiva e limitação de acesso à Justiça do Trabalho.

Com trabalho mais precário, jornadas maiores, menos direitos e menores salários, isso tende a produzir queda da renda dos trabalhadores, gerar retração econômica e provocar drástica redução do consumo. Ao invés de “modernizar” as relações de trabalho e criar mais empregos, a “reforma” na prática provoca precarização do trabalho, empobrecimento dos trabalhadores, desigualdade social e reduz os empregos já existentes.

Necessário, pois, desmistificar a falácia do discurso da “modernização”, que nada mais é do que o novo canto da sereia. Para resistir a esse canto, é necessário ter a consciência de que a “reforma” em curso corresponde a um projeto de país que está andando para trás, retrocedendo-o à brutal exploração do trabalho humano praticada no século XIX. É fundamental, então, esclarecer, acompanhar, mobilizar e reagir, somando forças para impedir o retrocesso das conquistas sociais.

Como a lei não contém todo o Direito, a aprovação de ontem da "reforma trabalhista" pelo Congresso Nacional não significa que tudo estará  perdido.  Sempre haverá espaço para dar sentido às palavras desconexas, ambíguas e contraditórias usadas pela lei. Por meio do amplo diálogo social, será possível reconstruir os seus sentidos, adequando seu texto ao seu contexto.

Convém aqui lembrar a lição de Ruy Barbosa, para quem a "esperança nos juízes é a última esperança", na medida em que, nas mãos de bons juízes, até as leis ruins se tornam boas.  Como há no Brasil bons juízes do trabalho, fica a esperança de que, por meio da interpretação, serão corrigidos os desacertos da lei, ajustando-a ao valor social do trabalho e ao princípio da dignidade do trabalhador.

Fonte: JL
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
26/04/18, 12:18 | MARGINALIDADE - Milícia carioca faturava cerca de R$ 300 milhões por ano, diz delegado
26/04/18, 12:11 | ESTATÍSTICA - Cresce número de brasileiros que 'mora de favor', mostra IBGE
26/04/18, 12:06 | PUNIÇÃO - Romário tem carteira de habilitação cassada pelo Detran-RJ
26/04/18, 10:53 | INFRAESTRUTURA - 85% dos bairros de Teresina ficam sem água durante manutenção
26/04/18, 10:48 | VIOLÊNCIA - Homem é preso em Floresta do PI suspeito de matar a esposa em SP
26/04/18, 10:43 | CRIMINALIDADE - Polícias do PI e CE montam cerco para prender assaltantes de bancos
26/04/18, 10:20 | LAVA JATO - Ciro Nogueira usa rede social e aliados do PI para criticar operação da PF
26/04/18, 10:15 | ECONOMIA - Especialistas defendem menos impostos sobre consumo e mais justiça fiscal
26/04/18, 10:12 | CRÍTICA - Para juiz, única saída para nova lei trabalhista é a revogação
26/04/18, 10:06 | CRIMES - Contra pedofilia, PF coloca nas ruas nova fase da Operação #Underground
26/04/18, 10:02 | CORRUPÇÃO & PROPINA - FHC diz na TV que escândalo de Aécio pode abalar Alckmin na corrida ao Planalto
26/04/18, 07:35 | LIBERTADORES - Flamengo empata com o Santa Fé na Colômbia com arbitragem polêmica
26/04/18, 07:30 | LIBERTADORES - Palmeiras bate o Boca na Bombonera e garante vaga nas oitavas
26/04/18, 07:18 | POLÍTICA - Apreensão de itens de Ciro Nogueira pela PF gera 'pânico' no Congresso
25/04/18, 18:52 | POLÍTICA - Professor critica aluno: ‘lutei para ter democracia e você falando do Bolsonaro’
25/04/18, 18:43 | DECISÃO - Juiz revoga prisão e manda soltar 137 pessoas presas em festa de milícia no Rio de Janeiro
25/04/18, 17:21 | POLÊMICA - Julgamento sobre prisão do ex-presidente Lula será iniciado no próximo dia 4 de maio
25/04/18, 17:03 | VIOLÊNCIA - Homem é morto com cinco tiros após atolar carro em Jaicós-PI
25/04/18, 15:54 | ESPORTE - Paulinho, do Vasco, é vendido ao Bayer Leverkusen, da Alemanha
25/04/18, 15:52 | PROPINA - Joesley diz à PF que entregou mala com R$ 500 mil a Ciro Nogueira
25/04/18, 14:38 | PREVIDÊNCIA - Comissão do Senado aprova aposentadoria especial para condutor de ambulância
25/04/18, 14:35 | DENÚNCIA - Igreja que defendeu reforma da Previdência recebeu quase R$ 1 milhão em publicidade do governo Temer
25/04/18, 13:37 | PROCESSOS - Ciro Nogueira foi condenado e é acusado de lavagem de dinheiro, ocultação de bens, tráfico de influência e formação de quadrilha
25/04/18, 13:19 | SEM AGENDA - A uma semana do julgamento do foro, Temer recebe Gilmar e Aécio
25/04/18, 10:36 | AJUDA - Nove municípios do Piauí recebem kits humanitários do Governo Federal; Luzilândia fica fora
24/04/18, 18:02 | ADMINISTRAÇÃO - Governador trata com equipe sobre queda no Fundo de Participação dos Estados
24/04/18, 17:51 | INVESTIGAÇÃO - PF apreende R$ 200 mil na casa do senador Ciro Nogueira
24/04/18, 17:43 | CRIME - Condenação do tucano Eduardo Azeredo é mantida pelo TJ de Minas
24/04/18, 17:39 | CONDENAÇÃO - Poderá haver redução da pena de Lula no STJ ou no STF, diz Gilmar
24/04/18, 17:31 | INVESTIGAÇÃO - Ciro Nogueira e Dudu da Fonte tentaram comprar silêncio de ex-assessor
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site