CBN - A rádio que toca notícia

ARTIGO

Os valores sociais do trabalho diante da Carta Constitucional

A reforma trabalhista imposta e aprovada pelo atual governo, no mínimo, merece um confronto e um combate jurisdicional para adequá-la às conquistas constitucionais

12/07/17, 13:24
Por Nixonn Freitas Pinheiro, advogado (foto)
 
A
República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como um dos seus fundamentos os valores sociais do trabalho. A regra, insculpida no art. 1º, da nossa Carta Constitucional, deriva da máxima pétrea de que todo o poder emana do povo e em seu nome será exercido.

O art. 6º, da vigente Constituição, expressa que todos os direitos sociais devem ser respeitados. Quais sejam da educação, da saúde, da alimentação, do trabalho, da moradia, do transporte, do lazer, da segurança, da previdência social, da proteção à maternidade e da infância, e da assistência aos desamparados.

Com o advento do nosso Texto Maior, instituiu-se no Brasil um Estado Democrático destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, justa, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, acima de tudo, com a ordem interna e internacional.

Para garantir os valores sociais do trabalho, de um total de 189, o Brasil ratificou 82 Convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT). E que estão em pleno vigor. Com sede em Genebra, na Suíça, a OIT é uma agência multilateral da Organização das Nações Unidas (ONU) especializada nas questões do trabalho no que se refere ao cumprimento das normas (convenções e recomendações) internacionais. Tem por missão promover oportunidades para que homens e mulheres possam ter acesso a um trabalho decente e produtivo, em condições de liberdade, equidade, segurança e dignidade humanas, sendo considerado condição fundamental para a superação da pobreza, redução das desigualdades sociais, garantia da governabilidade democrática e desenvolvimento sustentável.

A reforma trabalhista imposta e aprovada pelo atual governo, no mínimo, merece um confronto e um combate jurisdicional para adequá-la às conquistas constitucionais. Em uma análise superficial, a reforma agride valores sociais reconhecidos internacionalmente. Entre os quais, valores por princípios concernentes à liberdade, à igualdade e à segurança nas relações de emprego, além de ignorar, constitucionalmente, as Convenções Internacionais atinentes à equidade, à dignidade humanas e às desigualdades sociais.

Exemplos claros de ofensa a princípios e fundamentos da República estão em obrigar que a gestante trabalhe em locais insalubres, comprometendo a saúde da mãe e do nascituro; e obrigar que o(a) empregado(a) tenha apenas meia hora de descanso para o almoço, ao invés de uma hora. Salvo melhor juízo, penso que isso macula a dignidade da pessoa humana como fundamentos e cláusulas pétreas da Constituição.

A dignidade do trabalho decorre da dignidade do(a) trabalhador(a) e não o contrário. Isso porque, como corolário, como consequência, o Estado Democrático de Direito foi fundado na dignidade da pessoa humana e nos valores sociais do trabalho, acima de todos os aspectos legais. Aliadas à liberdade e à igualdade, são as cláusulas mais importantes.

Paulo Bonavides nos ensina que, “sem a concretização dos direitos sociais não se poderá alcançar jamais a “sociedade livre, justa e solidária” contemplada constitucionalmente como um dos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil”. Na mesma linha e lógica jurídica, o atual ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, diz que “os Direitos Sociais são direitos fundamentais do homem, caracterizando-se como verdadeiras liberdades positivas, de observância obrigatória num Estado Social de Direito, tendo por finalidade a melhoria de condições de vida aos hipossuficientes, visando à concretização da igualdade social”.

Destacamos as expressões “...por finalidade a melhoria de condições de vida aos hipossuficientes,...” trazidas à colação pelo professor e ministro Alexandre de Moraes para nos orientar sobre o seguinte fato concreto decorrente da atual reforma trabalhista: “obrigar a gestante a trabalhar em locais insalubres, comprometendo a saúde dela e do filho a nascer”, é uma norma, a meu ver, absolutamente inconstitucional.

A hipossuficiência ditada pelo ministro é um instituto jurídico encaminhado pelo Direito Civil relativo às relações comerciais de consumo e às relações de trabalho. A gestante, na qualidade de empregada em confronto com o empregador(a), impõe-se com uma condição de vida temporária de hipossuficiência, que representa aquela condição dependente, subalterna, subordinada e submissa.

Assim, é muito preocupante o "rebaixamento dos direitos" preconizados na reforma trabalhista. Sobretudo em acordo individual firmado diretamente entre patrão e empregado. Ou seja, entre o “hipossuficiente” e o “hiperssuficiente”. Isso porque não se pode rebaixar por meio de acordos coletivos ou individuais a proteção ao trabalho estabelecida nas normas e convenções da OIT, das quais o Brasil é signatário.

Os valores sociais do trabalho, decorrentes dos direitos fundamentais, consagrados no vigente texto constitucional, são normas de ordem pública. E, como tais, de obediência interna e internacional. São, portanto, imperativas, impositivas e invioláveis. Agredidas, podem desembocar em inconstitucionalidades, com a palavra final pelo STF.

Fonte: JL
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
26/04/18, 12:11 | ESTATÍSTICA - Cresce número de brasileiros que 'mora de favor', mostra IBGE
26/04/18, 12:06 | PUNIÇÃO - Romário tem carteira de habilitação cassada pelo Detran-RJ
26/04/18, 10:53 | INFRAESTRUTURA - 85% dos bairros de Teresina ficam sem água durante manutenção
26/04/18, 10:48 | VIOLÊNCIA - Homem é preso em Floresta do PI suspeito de matar a esposa em SP
26/04/18, 10:43 | CRIMINALIDADE - Polícias do PI e CE montam cerco para prender assaltantes de bancos
26/04/18, 10:20 | LAVA JATO - Ciro Nogueira usa rede social e aliados do PI para criticar operação da PF
26/04/18, 10:15 | ECONOMIA - Especialistas defendem menos impostos sobre consumo e mais justiça fiscal
26/04/18, 10:12 | CRÍTICA - Para juiz, única saída para nova lei trabalhista é a revogação
26/04/18, 10:06 | CRIMES - Contra pedofilia, PF coloca nas ruas nova fase da Operação #Underground
26/04/18, 10:02 | CORRUPÇÃO & PROPINA - FHC diz na TV que escândalo de Aécio pode abalar Alckmin na corrida ao Planalto
26/04/18, 07:35 | LIBERTADORES - Flamengo empata com o Santa Fé na Colômbia com arbitragem polêmica
26/04/18, 07:30 | LIBERTADORES - Palmeiras bate o Boca na Bombonera e garante vaga nas oitavas
26/04/18, 07:18 | POLÍTICA - Apreensão de itens de Ciro Nogueira pela PF gera 'pânico' no Congresso
25/04/18, 18:52 | POLÍTICA - Professor critica aluno: ‘lutei para ter democracia e você falando do Bolsonaro’
25/04/18, 18:43 | DECISÃO - Juiz revoga prisão e manda soltar 137 pessoas presas em festa de milícia no Rio de Janeiro
25/04/18, 17:21 | POLÊMICA - Julgamento sobre prisão do ex-presidente Lula será iniciado no próximo dia 4 de maio
25/04/18, 17:03 | VIOLÊNCIA - Homem é morto com cinco tiros após atolar carro em Jaicós-PI
25/04/18, 15:54 | ESPORTE - Paulinho, do Vasco, é vendido ao Bayer Leverkusen, da Alemanha
25/04/18, 15:52 | PROPINA - Joesley diz à PF que entregou mala com R$ 500 mil a Ciro Nogueira
25/04/18, 14:38 | PREVIDÊNCIA - Comissão do Senado aprova aposentadoria especial para condutor de ambulância
25/04/18, 14:35 | DENÚNCIA - Igreja que defendeu reforma da Previdência recebeu quase R$ 1 milhão em publicidade do governo Temer
25/04/18, 13:37 | PROCESSOS - Ciro Nogueira foi condenado e é acusado de lavagem de dinheiro, ocultação de bens, tráfico de influência e formação de quadrilha
25/04/18, 13:19 | SEM AGENDA - A uma semana do julgamento do foro, Temer recebe Gilmar e Aécio
25/04/18, 10:36 | AJUDA - Nove municípios do Piauí recebem kits humanitários do Governo Federal; Luzilândia fica fora
24/04/18, 18:02 | ADMINISTRAÇÃO - Governador trata com equipe sobre queda no Fundo de Participação dos Estados
24/04/18, 17:51 | INVESTIGAÇÃO - PF apreende R$ 200 mil na casa do senador Ciro Nogueira
24/04/18, 17:43 | CRIME - Condenação do tucano Eduardo Azeredo é mantida pelo TJ de Minas
24/04/18, 17:39 | CONDENAÇÃO - Poderá haver redução da pena de Lula no STJ ou no STF, diz Gilmar
24/04/18, 17:31 | INVESTIGAÇÃO - Ciro Nogueira e Dudu da Fonte tentaram comprar silêncio de ex-assessor
24/04/18, 17:22 | DECISÃO - STF retira de Moro processos do Sítio de Atibaia, do Instituto Lula e de palestras do ex-presidente
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site