CBN - A rádio que toca notícia

CORRUPÇÃO

Temer sobre ministros: 'Quando houver prova robusta, tomo providências'

Ministro Edson Fachin determinou a abertura de inquérito contra oito nomes que ocupam pastas importantes do governo

17/04/17, 11:14
 
E
m entrevista à rádio Jovem Pan na manhã desta segunda (17), o presidente Michel Temer (PMDB) afirmou que não irá pedir o afastamento de ministros com base nas delações de executivos da Odebrecht, tornadas públicas na semana passada.

"Não vou demitir ou exonerar simplesmente porque alguém falou de outro. Quando houver provas robustas, pela hipótese da denúncia, daí começo a tomar providências", disse.

A fala reitera o critério de "linha de corte" anunciado por Temer em entrevista a jornalistas. No início do ano, o peemedebista afirmou que só iria pedir o afastamento temporário de um ministro em caso de denúncia e só iria demiti-lo caso se tornasse réu.

"É preciso indagar a respeito do que A falou de B. Depois, o Ministério Público pede inquérito judicial, como está sendo pedido. Depois é que virá, eventualmente, a denúncia. Se vier, a simples denúncia não significa culpabilidade, mas que há fortíssimos elementos de que aquela delação é correta."

Sobre o andamento dos processos, o presidente comentou que prevê que as denúncias sejam formalizadas ainda neste ano, a despeito do grande volume de pedidos de inquéritos feitos ao Supremo Tribunal Federal pela Procuradoria-Geral da República.Citou a petição da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) no Supremo, noticiada pela coluna "Painel", do jornal Folha de S.Paulo, desta segunda (17).

A entidade pede que o tribunal agilize o trâmite dos processos da Lava Jato, convocando juízes auxiliares."O Supremo vai agilizar, o MP vai agilizar com essas provocações", disse Temer.

'DESAGRADÁVEL'

Temer voltou a negar que tenha cometido irregularidades -como o fez em entrevista à TV Band, no sábado (15) - e disse que o efeito das delações é "desagradável porque se trata de uma mentira".

Também tentou minimizar o impacto político da divulgação das colaborações da Odebrecht com a Lava Jato. "Devo dizer que não pode prejudicar a governabilidade. A tendência é dizer que o governo vai parar, mas o governo não pode parar", afirmou. "Digo que não vamos parar. Ainda ontem fizemos uma reunião, exata e precisamente para que não se altere a governabilidade", afirmou.

Questionado se estaria participando de um pacto com outros caciques, como Lula (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em prol da sobrevivência política de seus grupos, após o impacto da Lava Jato, o presidente disse que "não tem conversa nessa direção".

Citou a nota de FHC, que também negou a articulação em rede social no domingo (16).Comentou que a aproximação com os ex-presidentes se deu quando ele e FHC visitaram Lula em janeiro no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, para prestar solidariedade ao petista em razão da morte da ex-primeira-dama Marisa Letícia.

"Nessa ocasião, ele [Lula] disse: 'Olha, precisamos conversar sobre reforma política. "Temer afirmou que, sobre a reforma, "quem sabe" trabalharia com o tucano e o petista, "mas apenas sobre esse tópico". "Não participo e jamais fui perguntado se gostaria de fazer [um acordão]."

INVESTIGAÇÃO

O ministro Edson Fachin determinou a abertura de inquérito contra oito ministros do governo Michel Temer (PMDB), 24 senadores e 39 deputados federais. Serão abertas 76 investigações pedidas pela Procuradoria-Geral da República após as delações da Odebrecht.

Entre os citados estão os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB). Dois dos principais aliados de Temer, Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secreraria-Geral), também estão na lista, que abrange ainda os senadores Romero Jucá e Renan Calheiros, do PMDB, e Aécio Neves (PSDB).

No total a relação tem 98 nomes e inclui três governadores e um ministro do Tribunal de Contas da União. Algumas suspeitas da Procuradoria são corrupção, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, fraude e cartel. Fachin remeteu 201 outros casos a tribunais de instâncias inferiores envolvendo citados sem foro no Supremo - entre os mencionados estão os ex-presidentes Lula, Dilma Rousseff e Fernando Henrique Cardoso.

Os inquéritos iniciam longo trâmite. Investigarão o teor das delações, que precisarão de provas adicionais para tornar-se efetivas. Ainda há as fases de denúncia e do processo, com ampla defesa, antes do julgamento.

Fonte: JL/Notícias ao Minuto
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
16/10/17, 21:14 | CRISE - Análise: os sinais de que Temer será derrubado
16/10/17, 21:08 | POLÍTICA - Aécio ameaça explodir a República se for traído em votação do Senado
16/10/17, 20:56 | DELAÇÃO - Cunha era 'máquina de arrecadar dinheiro', afirma Pedro Corrêa
16/10/17, 20:49 | MUNDO - Número de mortos em atentado na capital da Somália chega a 300
16/10/17, 20:36 | PROTESTO - Placa em frente à Câmara é alterada para 'formação de quadrilha'
16/10/17, 20:24 | JULGAMENTO - Senado escreverá obituário político de Aécio, diz Luís Costa Pinto
16/10/17, 20:15 | CORRUPÇÃO - Quando Delcídio, do PT, teve prisão analisada, Aécio quis voto aberto
16/10/17, 20:12 | DELAÇÃO - Defesa de Dilma usará depoimento de Funaro para pedir anulação de impeachment
16/10/17, 20:10 | DADOS - PRF registra mais de mil acidentes em rodovias federais no feriado
16/10/17, 20:03 | ESPORTE - Tite convocará a seleção para amistosos na próxima sexta, confirma CBF
16/10/17, 19:56 | OPINIÃO - LEIA O ARTIGO: Violência aumenta no Brasil
16/10/17, 19:52 | PROPINA - Randolfe recorre ao STF para que votação sobre Aécio seja aberta
16/10/17, 19:47 | - Randolfe recorre ao STF para que votação sobre Aécio seja aberta
16/10/17, 12:17 | CAPITÃO DO GOLPE - Ciro Gomes é absolvido em processo movido por Temer
16/10/17, 11:53 | PROPINA - Senado cogita adiar decisão sobre afastamento de Aécio
16/10/17, 11:40 | INCIDENTE - Ônibus de Paula Fernandes quebra e ela pede carona no meio da estrada
16/10/17, 10:23 | CORRUPÇÃO - PF faz buscas no gabinete de Lúcio Vieira Lima, irmão de Geddel
16/10/17, 10:17 | DELAÇÃO - Novos vídeos agravam situação de Temer em meio à votação de denúncia
16/10/17, 10:13 | ESPORTE - Fifa define cabeças de chave para a Copa com a Alemanha no topo
15/10/17, 09:49 | TEMPO - Começa o horário de verão: 10 estados e DF adiantam o relógio em 1 hora
15/10/17, 09:42 | RELIGIOSIDADE - Papa torna santos os primeiros 30 mártires do Brasil
15/10/17, 08:52 | PROJETO - Crianças de projeto social ensinam xadrez para visitantes do Criança Feliz
15/10/17, 08:42 | O CIRCO - 'É uma alegria estar no meio do povo', diz Marcos Frota no Criança Feliz
15/10/17, 08:33 | EVENTO - Criança Feliz encerra 21ª edição com participação de 70 mil pessoas
15/10/17, 08:15 | ENCONTRO - Militares podem voltar ao poder em 2018, diz Bolsonaro
15/10/17, 08:10 | VOTAÇÃO - Senado ameaça não cumprir decisão da Justiça sobre Aécio
15/10/17, 08:00 | CORRUPÇÃO - Funaro: Cunha levou R$ 1 mi para comprar votos do impeachment de Dilma
14/10/17, 16:51 | DECISÃO - Lewandowski concede Habeas Corpus contra prisão em segundo grau
14/10/17, 16:20 | EVENTO - Criança Feliz planeja levar mais de 80 mil pessoas para Parque da Cidadania
14/10/17, 16:14 | REAÇÃO - ‘Inadmissível’, diz OAB sobre Senado usar voto secreto no caso Aécio Neves
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site