CBN - A rádio que toca notícia

PRIVACIDADE

Bispo Macedo teve igreja monitorada pelo governo Sarney

Os relatórios, elaborados em 1989, listam ainda excentricidades da igreja, que completara naquele ano pouco mais de dez anos de fundação

31/08/13, 17:29

Bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, durante vigília no Rio

R
elatórios produzidos pela Polícia Federal e pelo extinto Serviço Nacional de Informações revelam que Edir Macedo e a Igreja Universal do Reino de Deus foram monitorados pelos serviços de inteligência durante o governo de José Sarney (1985-90).

O objetivo da investigação, de acordo com os papeis, era descobrir a origem do apoio financeiro da igreja e sobretudo tentar identificar os "testas de ferro" da organização que adquiriam emissoras de rádio e televisão.

"Recentemente a seita tem adquirido emissoras de radiodifusão através de testas de ferro e ao custo de milhões de dólares de procedência desconhecida", diz documento da Polícia Federal. Outro trecho afirma que a Universal comprou naqueles anos dez emissoras de rádio ao custo de US$ 6 milhões.

Os relatórios, elaborados em 1989, listam ainda excentricidades da igreja, que completara naquele ano pouco mais de dez anos de fundação.

A Folha teve acesso aos relatórios e documentos sobre Edir Macedo e a Universal, desclassificados recentemente pelo Arquivo Nacional na esteira da Lei de Acesso à Informação.

A investigação, que nunca foi oficializada, lista que a igreja estimulava o pagamento de dízimo em dólares, a fama de ter fiéis arruaceiros, a primeira sede que ficava junto a uma funerária na zona norte do Rio e a prática de charlatanismo. Fundada no final da década de 1970, a Universal teve rápido crescimento na década de 80, o que motivou a investigação.
 
Para o primeiro governo civil após 21 anos de ditadura, a igreja era uma "seita" que merecia controle e atenção dos órgãos de vigilância.

À época, segundo os documentos, a Universal tinha mais de 500 templos em todo o país, com presença também nos EUA e Uruguai. Hoje a organização conta com mais de 6 mil templos em 200 países.

PEDIDO DE BUSCA

Em documento de junho de 1989, a Divisão de Segurança e Informações do Ministério da Justiça distribui a órgãos de segurança do governo federal, entre eles Polícia Federal e SNI, um pedido de busca com seis tópicos sobre a Universal.

Entre outras coisas, buscava-se o fundamento legal para a instalação da igreja no Brasil, os objetivos da "seita", o apoio financeiro de pessoas e entidades (a maioria do dinheiro chegava pelas contribuições dos fiéis) e os "testas de ferro", que não foram identificados.

Conforme o dossiê, agências do SNI e da PF em todo o país se mobilizaram para levantar informações. Até em Estados onde não havia a presença da igreja à época, como Goiás.

Os órgãos de inteligência do governo Sarney também levantaram a relação dos pastores com políticos, fraudes e casos de charlatanismo.

Paralelamente à investigação do governo Sarney, estava em curso uma outra apuração, a cargo do Ministério Público, que levaria Edir Macedo à prisão, em 1992. O criador da Universal passou 15 dias preso pelos "delitos de charlatanismo, estelionato e lesão à crendice popular".

Ele atribuiu sua prisão à Igreja Católica.

OUTRO LADO

Em nota enviada à Folha, a Universal afirmou que os documentos sobre Edir Macedo e a atuação da igreja mostram "práticas condenáveis que o extinto aparelho repressivo praticou" e que a "perseguição religiosa foi somente mais um capítulo" daqueles anos.

A Universal disse que nunca soube que fora monitorada pelo Serviço Nacional de Informações e Polícia Federal. Tampouco tomou conhecimento da investigação do governo Sarney.

Sobre os "testas de ferro" e as aquisições de emissoras de rádio e TV citadas nos documentos, disse que a "afirmação é falsa".

"O bispo Edir Macedo, ao longo de toda a sua trajetória, já teve sua atuação religiosa questionada em mais de 30 procedimentos investigatórios. Muitos aventaram eventuais práticas de estelionato, charlatanismo e curandeirismo. Em todos esses procedimentos foi reconhecida sua inocência", afirmou a organização.

Com relação à prisão de Macedo, ele mesmo atribuiu, no livro "Nada a Perder", a culpa à Igreja Católica.

"A cúria não admitia o surgimento de um povo livre da escravidão religiosa imposta por eles", escreveu. "Para quem me odiava, bispo Macedo era sinônimo de bandido. Isso é assim até hoje."

Fonte: JL/Folha
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
13/11/18, 22:29 | ECONOMIA - Crítica não deveria recair sobre salários, mas sobre gastos com Poderes, diz senador
13/11/18, 22:25 | PARLAMENTO - Congresso Nacional aprova recursos para área de segurança pública
13/11/18, 21:59 | POLÍTICA - Bolsonaro quer reduzir em 30% número de comissionados nos ministérios
13/11/18, 21:54 | INVESTIGAÇÃO - Gilmar pede vista de denúncia contra Ciro Nogueira e Eduardo da Fonte
13/11/18, 21:48 | ECONOMIA - Taxa de informalidade de novos ocupados chega a 74% em pesquisa Dieese
13/11/18, 21:38 | TRANSIÇÃO - Cotado para a Saúde é investigado sob suspeita de caixa 2 e fraude
13/11/18, 21:34 | TSE - Barroso dá três dias para Bolsonaro explicar inconsistência em contas
13/11/18, 21:21 | CORRUPÇÃO & PROPINA - TRF-1 concede habeas corpus a Cunha, mas ele continua preso
13/11/18, 15:18 | CRIME - Operação Anjos da Lei combate tráfico de droga nas escolas
13/11/18, 15:14 | ECONOMIA - Tesouro diz que 14 estados superam limite de gastos com pessoal
13/11/18, 15:10 | TRANSIÇÃO - Conheça os nomes já confirmados para equipe ministerial de Bolsonaro
13/11/18, 14:26 | POLÊMICA - Flávio Dino decreta liberdade de opinião e pensamento nas escolas do Maranhão
13/11/18, 13:49 | MOVIMENTO - Centrais programam atos contra reforma da Previdência e fim do Ministério do Trabalho
13/11/18, 13:33 | VATICANO - Papa Francisco presenteia Rio de Janeiro com uma escultura de ‘Jesus sem-teto’
13/11/18, 12:35 | DESCASO - Ministra de Temer passeia por Itália, França e Alemanha em jatinho da FAB
13/11/18, 12:29 | POLÊMICA - Onyx diz que ONGs não podem ditar o que Brasil deve fazer na área ambiental
13/11/18, 12:26 | POLÍTICA - Bolsonaro mantém sua estratégia e priorizará comunicação nas redes sociais
13/11/18, 12:22 | CONTAS PÚBLICAS - Judiciário deve estourar novamente o teto de gastos públicos
13/11/18, 12:18 | IMPRENSA - Se Bolsonaro reduzir as verbas, a grande mídia vai cair num buraco negro
13/11/18, 11:53 | JUDICIÁRIO - TRF-2 torna deputados estaduais do Rio presos preventivos
13/11/18, 10:55 | ARTIGO - Poderes do juiz e os princípios da neutralidade e da imparcialidade
13/11/18, 09:24 | EDUCAÇÃO - Tecnologia poderá ajudar na implantação do novo Ensino Médio
13/11/18, 09:17 | JUSTIÇA - Barroso diz que debate sobre aborto deve ser feito no Supremo
13/11/18, 09:13 | JUSTIÇA - Alexandre de Moraes diz que papel do STF é evitar ditadura da maioria
13/11/18, 00:33 | CAMPANHA ELEITORAL - TSE aponta 17 indícios de irregularidades nas contas de Bolsonaro
12/11/18, 23:01 | ARTIGO JURÍDICO - CASO DR. SABÓIA EM LUZILÂNDIA: "Prescrita a pena principal, prescrita estará também a pena acessória"
12/11/18, 20:11 | TRANSIÇÃO - 'Se não abrir a caixa-preta do BNDES, está fora', diz Bolsonaro sobre Levy
12/11/18, 20:03 | ESPORTE - Sem Neymar, seleção vai a campo com oito convocados e aguarda chegadas
12/11/18, 19:53 | NATAL - Papai Noel dos Correios: cartas podem ser adotadas pela web
12/11/18, 19:38 | JUDICIÁRIO - Brasil tem cerca de 22,6 mil jovens privados de liberdade, diz CNJ
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site