CBN - A rádio que toca notícia

JULGAMENTO

Supremo decide mudar decisão do TSE e permite que Janainna volte ao cargo de prefeita

01/08/12, 21:57
N
o julgamento do Recurso Extraordinário n. 637485 interposto pelo prefeito de Valença, no Estado do Rio de Janeiro, Vicente de Paula Guedes, eleito em 2008, nesta quarta-feira (1º) o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), por maioria dos votos, entendeu modificar a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que havia cassado o prefeito por está exercendo mandato considerado "itinerante".
 
Com no julgamento de hoje, os ministros do STF, à unanimidade, entenderam que a questão é de repercussão geral, ou seja, devendo beneficiar outros prefeitos cassados em situações semelhantes, como foi o caso da ex-prefeita de Luzilândia, no Piauí, Janainna Pinto Marques, que perdeu o mandato por ser também considerada "prefeita itinerante".
 
No Piauí, além de Janainna Marques também será beneficiado o ex-prefeito Joãozinho Félix, do Município de Campo Maior, também cassado pelas mesmas circunstâncias da ex-prefeita de Luzilândia e do ex-prefeito de Valença, no Rio.
 
Por se tratar de repercussão geral, publicado no acórdão de hoje do STF, esses prefeitos considerados "itinerante" podem requerer seus retornos ao mandatos conquistados em 2008, anulando-se "ex ofício" as eleições suplementares.
 
Em nome da chamada "segurança jurídica", os ministros decidiram que a decisão não valerá para casos atuais, ou seja, prefeitos que se elegeram dessa forma nas eleições de 2008 não serão cassados. A partir das eleições deste ano, o terceiro mandato consecutivo não será permitido. A decisão tem repercussão geral, ou seja, para todo o país, o que significa que terá de ser aplicada por instâncias inferiores em situações iguais, como nos casos de Janainna Marques e Joãozinho Félix, no Piauí, e Vicente de Paula, no Rio de Janeiro, independente de ter havido ou não eleição suplementar.
 
Decisão de hoje
 
A questão foi analisada no julgamento do Recurso Extraordinário (RE 637485), interposto por Vicente de Paula de Souza Guedes, contra acórdão do TSE que cassou o diploma dos candidatos eleitos para os cargos de prefeito e vice-prefeita do município de Valença (RJ), no pleito de 2008. Por decisão majoritária, os ministros deram provimento ao recurso, ao entender que o TSE poderia ter modificado antiga jurisprudência sobre a matéria, mas, para isso, deveria modular os efeitos da decisão, por motivo de segurança jurídica.

Vicente de Paula exerceu o cargo de prefeito do município de Rio das Flores (RJ) por dois mandados consecutivos (2000-2004 e 2004-2008) e, posteriormente, após transferir o domicílio eleitoral, candidatou-se e elegeu-se, no pleito de 2008, prefeito de Valença (RJ), o que motivou a cassação de seu diploma junto ao TSE.
  
No recurso de hoje analisado pelo STF, Vicente de Paula alegou que o TSE não fez a necessária distinção entre reeleição de mesmo cargo com reeleição para cargo de mesma natureza, e que “a surpreendente alteração de jurisprudência ocorrida depois da eleição realizada afeta, de forma evidente, o princípio da segurança jurídica, porquanto frustra a possibilidade de o indivíduo ter previsão das consequências do ato a ser praticado”.

Mudança de jurisprudência

Anteriormente, o Tribunal Superior Eleitoral entendia que o prefeito reeleito em determinado município podia candidatar-se ao mesmo cargo em outro município, observados os prazos de desincompatibilização, domicílio eleitoral e filiação partidária. Nas eleições de 2008, entretanto, o TSE alterou sua orientação ao julgar o Recurso Especial Eleitoral (Respe) 32507, em que se firmou o entendimento de que o artigo 14, parágrafo 5º, da CF, veda a perpetuação no cargo, não sendo possível o exercício de um terceiro mandato subsequente, ainda que em município diverso.

Segurança Jurídica

O relator do processo de hoje (1º), ministro Gilmar Mendes, deu provimento ao recurso extraordinário e reconheceu que ao caso incide o instituto da repercussão geral. Para ele, a alteração de jurisprudência realizada pelo TSE em dezembro de 2008 – período da diplomação dos eleitos – poderia ter ocorrido, mas, ao fazê-lo, não foi observado o princípio da segurança jurídica. Por esse motivo, o ministro entendeu que houve lesão.

De acordo com o relator, houve regular registro da candidatura, bem como legítima participação e vitória do candidato no pleito, tudo conforme as regras então vigentes e a sua interpretação pela justiça eleitoral. “As circunstâncias levam a crer que a alteração repentina e radical dessas regras, uma vez o período eleitoral já praticamente encerrado, repercute drasticamente na ideia de segurança jurídica que deve nortear o processo eleitoral, mas especificamente na confiança do candidato e do cidadão eleitor”, afirmou.

O princípio da anterioridade eleitoral, previsto no artigo 16 da CF, também foi citado pelo relator. Ele afirmou que a mudança de jurisprudência do TSE está submetida a esse princípio, “de modo que seus efeitos somente podem valer para as eleições que se realizarem até um ano da data da sua prolação”.

Eficácia prospectiva

No caso concreto, o ministro Gilmar Mendes avaliou que apesar de ter entendido ser inelegível para o cargo de prefeito cidadão que exerceu por dois mandatos consecutivos cargo da mesma natureza em município diverso, a decisão do TSE não pode retroagir para incidir sobre diploma regularmente concedido ao autor do RE, vencedor das eleições de 2008 para a prefeitura de Valença (RJ).

Dessa forma, o relator entendeu que as decisões do TSE que no curso do pleito eleitoral ou logo após o seu encerramento implicar mudança de jurisprudência não têm aplicabilidade imediata ao caso concreto, somente terão eficácia sobre outros casos do pleito eleitoral posterior. Acompanharam o voto do relator a ministra Rosa Weber e os ministros Luiz Fux, Dias Toffoli, Cezar Peluso, Marco Aurélio e Celso de Mello.

Divergência

Pelo desprovimento do recurso apresentado pelo prefeito de Valença, votaram os ministros Joaquim Barbosa, Cármen Lúcia Antunes Rocha, Ricardo Lewandowski e Ayres Britto (com informações do Supremo Tribunal Federal)

Fonte: JL
TODAS AS NOTÍCIAS DO PORTAL
19/02/17, 22:28 | ENTREVISTA - ELIANA CALMON: “A Operação Lava Jato precisa chegar ao Poder Judiciário”
19/02/17, 21:41 | CRIME - Flamenguistas usaram espeto de churrasco para matar botafoguense
19/02/17, 21:38 | VIOLÊNCIA - Policial Militar mata torcedor do Coritiba com tiro no peito
19/02/17, 21:34 | CARNAVAL - Prefeitura de Teresina diz que 330 mil pessoas estiveram no Corso 2017
19/02/17, 13:41 | CARNAVAL - Polícia registra uma morte e duas pessoas esfaqueadas no Corso de Teresina
19/02/17, 13:31 | INVESTIGAÇÃO - Campanha de Aécio pagou R$ 360 mil a Moraes em 2014, e agora ele vai julgar o tucano
19/02/17, 13:28 | CRIME - Ministro de Temer recebeu R$ 7 milhões em propina, segundo Marcelo Odebrecht
19/02/17, 12:45 | ARTIGO - O foro privilegiado foi deturpado ao longo do tempo
18/02/17, 22:07 | EDUCAÇÃO - Para movimentos sociais, reforma do Ensino Médio é excludente e antidemocrática
18/02/17, 21:15 | CONFERÊNCIA - Bill Gates alerta: mundo deve se preparar para uma pandemia
18/02/17, 20:46 | CARNAVAL - Polêmica entre Uber e táxi vira temática de caminhão no Corso de Teresina
18/02/17, 20:43 | PAULISTÃO - Corinthians supera o Audax fora de casa com gol de Kazim
18/02/17, 20:33 | POLÍTICA - Cunha também tenta jogar o nome de Temer “na lama”
18/02/17, 20:27 | CARNAVAL - Sabrina Sato usa look superousado para feijoada na Vila Isabel
18/02/17, 15:21 | BENEFÍCIOS - Trabalhadores devem ficar atentos a golpes no saque do FGTS
18/02/17, 15:14 | JUDICIÁRIO - STF dá 10 dias para Temer e deputados explicarem reforma da previdência
18/02/17, 15:07 | POLÍTICA - Atos controversos de Jucá causam incômodo no Planalto
17/02/17, 17:12 | SUPREMO - Internautas questionam Moraes sobre aborto, drogas e corrupção
17/02/17, 17:08 | LAVA JATO - Justiça suspende bloqueio e lbera os bens da Odebrecht
17/02/17, 16:59 | IMBRÓGLIO - Ministro aposentado do STF recusa convite de Temer para assumir o Ministério da Justiça
17/02/17, 16:55 | INVESTIGAÇÃO - Perna é encontrada dentro de saco em lixão de Brasília
17/02/17, 16:52 | CORRUPÇÃO - Fachin diz que foro privilegiado é “incompatível com o princípio republicano”
17/02/17, 16:38 | POLÊMICA - Moro nega pedido de acesso a doações de institutos de FHC e Sarney
17/02/17, 15:26 | CRIME - Operação apreende drogas e até animais silvestres no Norte do Piauí
17/02/17, 15:20 | EVENTO - Descontrolado, ministro da Cultura bate boca com público no Prêmio Camões
17/02/17, 14:16 | ARTIGO - Brasil: Uma República em crise com uma cidadania ultrajada
16/02/17, 21:42 | POLÍTICA - TSE cassa propaganda de PT, PMDB e mais 7 partidos
16/02/17, 21:37 | JUDICIÁRIO - STF tem 357 inquéritos e 103 ações penais de políticos
16/02/17, 21:36 | POLÊMICA - Jucá retira PEC que blindaria comando do Congresso Nacional
16/02/17, 20:49 | DECISÃO - STF: Estado deve indenizar preso por condições carcerárias degradantes
« Anterior 1 - 30 | 31 - 60 | 61 - 90 | 91 - 120 | 121 - 150 | 151 - 180 | 181 - 210 | 211 - 240 | 241 - 270 | 271 - 300 Próximo »
JORNAL LUZILANDIA - O Futuro Começa Aqui
Copyright 2003 - Todos os direitos reservados
SITE FILIADO À LITIS CONSULT - REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS
CNPJ nº 35.147.883/0001-41 / CCN Comunicação.com Nordeste
Jornalista Renato Araribóia de Britto Bacellar - Homenagem Especial
Luzilândia - Teresina - Piaui - Brasil
CEP:64049-600 - Rua Lemos Cunha, 1544 - Ininga- Teresina-PI
Telefones: (86) 8804.2526 - 8100.6100
jornalluzilandia@hotmail.com | jornalluzilandia@gmail.com
création de site