JORNAL LUZILÂNDIA
Clipagem Eletrônica - Versão para impressão
POLÍTICA
Candidatura de Dilma ao Senado ameaça aliança em Minas Gerais
12/04/18, 10:19

A

ex-presidente Dilma Rousseff transferiu o domicílio eleitoral do Rio Grande do Sul para Minas Gerais. Quer concorrer ao Senado pelo PT. Sua decisão, no entanto, ameaça desmontar a aliança do partido com o MDB local pela reeleição do governador petista Fernando Pimentel. Os emedebistas não pretendem ceder a candidatura ao Senado.

Antes de Dilma anunciar a mudança, a aliança estava quase pronta. Rompido com Pimentel, o vice-governador emedebista Antônio Andrade é presidente do partido no Estado. Tem uma vaga garantida para concorrer ao Senado. A outra vaga é ambicionada pelo presidente da Assembleia Legislativa, Adalclever Lopes, principal aliado do governador no MDB. E a vice, do PR: provavelmente o empresário Josué Gomes da Silva (Coteminas).

“Dilma tem que concorrer a deputada”, disse ao Poder360 o coordenador da bancada mineira e vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho (MDB).

“Podemos lançar candidato próprio. O Antônio Andrade é 1 nome. Se a Dilma concorrer para deputada dará mais votos ao PT. E não desarruma a aliança conosco. Tomara que ela aceite para não termos problemas”, afirmou Ramalho.

E Dilma aceita?

Esse é 1 grande problema. A ex-presidente nunca foi dada a acordos. Escolheu Minas não só porque é sua terra natal. Mas porque julga que o governador lhe deve fidelidade. São amigos desde a juventude e na clandestinidade como militantes contra a ditadura. No governo da petista, Pimentel foi empoderado como ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Informações deste post foram publicadas antes pelo Drive, com exclusividade. A newsletter é produzida para assinantes pela equipe de jornalistas do Poder360. Conheça mais o Drive aqui e saiba como receber com antecedência todas as principais informações do poder e da política.

Fonte: JL/PODER 360
Reportagem publicada no site www.jornalluzilandia.com.br