JORNAL LUZILÂNDIA
Clipagem Eletrônica - Versão para impressão
POLÊMICA
Jatinho de Huck com dinheiro público do BNDES custou 18 tripléx do Guarujá
12/02/18, 15:58
 
O
jatinho de Luciano Huck que todos diziam ser “fake news” quando saia apenas na mídia alternativa agora foi parar na Folha de São Paulo que confirmou que Huck pegou dinheiro a juros menores do BNDES para comprar jatinho. O que parece tomar ares de escândalo, pois o mesmo é um possível candidato a presidente, representando os interesses da Globo. Agora um detalhe interessante que o blogueiro Miguel do Rosário analisou é o … valor do jatinho, o equivalente a 18 tripléx do Guarujá (atribuído a Lula pelas convicções da Lava Jato).

Lula foi condenado a 12 anos e um mês de prisão, em regime fechado, por causa de um triplex que a própria justiça não conseguiu provar que pertence a ele.

Um triplex em Guarujá custa, segundo pesquisas rápidas na internet, cerca de R$ 1 milhão.

A Lava Jato quer fazer o mundo acreditar que Lula foi o comandante máximo de um esquema que teria sido “a maior corrupção” da história do país para ganhar um upgrade num edifício em Guarujá – Lula já tinha um apartamento lá, a suposta propina seria trocá-lo por outro, na cobertura, devidamente “reformado”.

Luciano Huck, o fantoche que a Globo pretende empossar como presidente do país, pegou quase R$ 18 milhões no BNDES para comprar o seu jatinho, segundo reportagem publicada há pouco pelo blog Tijolaço.

Com esse dinheiro, daria para se comprar 18 triplexs, em suaves prestações pagas em 114 meses, com juros de 3% ao ano.

É importante observar, ainda, que a culpa não deve ser despejada sobre o BNDES, que há tempos é a instituição mais atacada, monitorada, supervisionada, do país, tendo passado, recentemente, por duas CPIs controladas por uma oposição com sangue nos olhos, sem que jamais se tenha encontrado nenhum processo de corrupção. Hoje o BNDES vive sob assédio dos órgãos de controle, em especial do TCU e do Ministério Público, ainda por razões puramente políticas.

Segundo relatos da associação de funcionários do BNDES ao Cafezinho, quase um terço dos servidores do BNDES estão “trabalhando” para o TCU, ao invés de estarem trabalhando para ajudar o país a se desenvolver.

Antes de lançar qualquer acusação ao BNDES, baixe e leia o “Livro Verde” do banco, que traz números que desmentem todas as historietas inventadas ao longo dos últimos anos, período no qual se envenenou a opinião pública com mentiras sobre as operações do banco.

Fonte: JL/Cafezinho
Reportagem publicada no site www.jornalluzilandia.com.br